Hospital Pompéia concorda que atendimentos de traumato-ortopedia sejam divididos na região - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde14/10/2018 | 17h00Atualizada em 14/10/2018 | 17h09

Hospital Pompéia concorda que atendimentos de traumato-ortopedia sejam divididos na região

Na última semana, prefeitura de Caxias solicitou que o local deixasse de ser referência na área para 34 municípios

Hospital Pompéia concorda que atendimentos de traumato-ortopedia sejam divididos na região Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A intenção da prefeitura de Caxias do Sul de redistribuir os atendimentos de traumato-ortopedia entre a região da Serra geraram críticas da 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), mas agradam o Hospital Pompéia. Na última quinta-feira (11), o secretário municipal interino da Saúde, Júlio César Freitas da Rosa, enviou ofício à 5ª CRS solicitando que a instituição deixasse de ser referência em atendimentos de urgência e emergência e eletivos de alta complexidade para as regiões de Saúde 25, Vinhedos e Basalto, e 26,  Uva e Vales, que correspondem a 34 municípios. 

Leia mais
Prefeitura de Caxias quer que Hospital Pompéia deixe de ser referência em traumato-ortopedia para a região

Solange Sonda, titular da 5ª CRS, contestou a decisão, que iria contra o entendimento anterior entre as cidades da região. Para o superintendente do Hospital Pompéia, Francisco Ferrer, porém, a instituição não pode seguir sendo a única referência nos atendimentos de traumato-ortopedia.

— Há muito tempo o hospital vem argumentando que sozinho não consegue mais ser a referência. Não vejo nenhum problema, há uma fila de espera muito grande para cirurgias, consultas, e o Pompéia sozinho não consegue mais suportar isso — aponta. 

Para Ferrer, na medida em que outra instituição possa assumir os atendimentos, os recursos repassados pelo governo do Estado podem ser redistribuídos, mas ainda não é possível antecipar o montante. 

— Essa é uma discussão muito antiga. Se os atendimentos para essa abrangência de 34 municípios vão para outro lugar, a proporcionalidade do recurso deixa de ser encaminhado. Eram R$ 74 mil mensais, e como as emergências também foram para o Pompéia, somam cerca de R$ 160 mil. Mas não sei se no curto prazo terá um município para atender as emergências. 

A preocupação da 5ª CRS é que as regiões fiquem sem acesso à atendimentos de alta complexidade na traumato-ortopedia. Ferrer, porém, diz que o assunto ainda está em discussão e que o hospital seguirá sendo referência regional no restante das áreas.

— O hospital recebe recursos federais e de emendas parlamentares por ser portas abertas (manter pronto-socorro onde a população é atendida imediatamente), ser filantrópico e a referência regional que é, como o (Hospital) Geral. Não é parte da traumato que vai mudar esse status — garante. 

COMO FICARIA O ATENDIMENTO NA 5ª CRS 

Cidades atendidas pelo Pompéia:

:: Região 23 - Caxias e Hortênsias
Caxias do Sul
Gramado
Canela
Linha Nova
Nova Petrópolis
Picada Café

:: Região  24 - Campos de Cima da Serra
Pinhal da Serra
Esmeralda
Muitos Capões
Vacaria
Campestre da Serra
Monte Alegre dos Campos
Bom Jesus
Jaquirana
São José dos Ausentes

Total: 15 municípios

Cidades que precisariam de outra referência

:: Região 25 - Vinhedos e Basalto
São Jorge
Guabiju
Paraí
Nova Araçá
Nova Bassano
Nova Prata
Protásio Alves
União da Serra
Guaporé
Vista Alegre do Prata
Fagundes Varela
Vila Flores
Cotiporã
Veranópolis
Santa Tereza
Monte Belo do Sul
Bento Gonçalves
Pinto Bandeira
Coronel Pilar
Garibaldi
Boa Vista do Sul
Carlos Barbosa

:: Região  26 - Uva e Vales
Ipê
Antônio Prado
Nova Roma do Sul
Nova Pádua
Flores da Cunha
São Marcos
Farroupilha
São Vendelino
Alto Feliz
Vale Real
Bom Princípio
Feliz

Total: 34 municípios

Leia também
Praias do Litoral Norte registram grande movimento no feriadão
Cães que vivem em condições precárias em Campestre da Serra estão disponíveis para adoção

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros