Memória: Um álbum para celebrar os 75 anos de imigração - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga24/09/2018 | 07h30Atualizada em 24/09/2018 | 13h07

Memória: Um álbum para celebrar os 75 anos de imigração

Publicação da Revista do Globo foi lançada em 1950, quando a Festa da Uva retornava ao calendário do Município

Memória: Um álbum para celebrar os 75 anos de imigração Reprodução / Agência RBS/Agência RBS
Maquete do Monumento ao Imigrante publicada no álbum comemorativo dos 75 anos de imigração italiana, em 1950 Foto: Reprodução / Agência RBS / Agência RBS

A cinco meses da Festa Nacional da Uva 2019, que retorna após um intervalo de três anos, recordamos da edição que também marcou uma volta. Trata-se da festa de 1950, a primeira após a suspensão de 13 anos decorrente da Segunda Guerra Mundial e das restrições do período. Foi quando uma luxuosa publicação, editada pela Revista do Globo S.A., de Porto Alegre, buscou enaltecer os 75 anos da imigração italiana na região e tudo o que fora construído desde a chegada dos primeiros colonos, em 1875.

Fartamente ilustrado, o álbum também destacou a maquete do então futuro Monumento ao Imigrante, inaugurado quatro anos depois, em 28 de fevereiro de 1954. O texto da época assim destacava a obra, de autoria do escultor Antonio Caringi:

"O monumento a ser erigido na Pérola das Colônias representa um casal de pioneiros cheios de fé e esperança. Ela, numa atitude de prece. Ele, como que prescrutando o futuro, confiante na própria tenacidade. O grande obelisco, com cerca de 25 metros de altura, contados do nível do solo, simboliza a fé e possui três altos-relevos intitulados: doação das terras, progresso e defesa da pátria. Tanto o casal de imigrantes como o obelisco estão colocados sobre uma cripta, que será o início do futuro Museu da Imigração. A estátua do casal terá cerca de quatro metros e meio de altura e será executada em bronze. A pedra característica da região será aproveitada na realização do conjunto monumental, que servirá de centro à futura Praça do Imigrante, a ser construída no local — isto é, na entrada da cidade de Caxias do Sul, ao lado da Estrada Federal, na elevação fronteira a esta artéria pública". 

Leia mais:
Os antigos projetos para o Monumento Nacional ao Imigrante
Vídeo: inauguração do Monumento ao Imigrante em 1954
Monumento ao Imigrante em desfile na Festa da Uva de 1954
Monumento ao Imigrante, agora um símbolo oficial de Caxias
Caxias pelas lentes de um turista em 1960
Cartazes pró-vinho na Festa da Uva de 1950

Álbum foi lançado em 1950Foto: Rodrigo Lopes / Agência RBS

Mudanças

A pedra fundamental do Monumento ao Imigrante foi lançada em 25 de fevereiro de 1950, durante a visita do presidente Eurico Gaspar Dutra à Festa da Uva. Inicialmente uma homenagem local aos italianos e, posteriormente, estadual, o monumento ganhou uma abrangência macro após o presidente Getúlio Vargas visitar o atelier do escultor Antonio Caringi, no Rio de Janeiro, em junho de 1952. 

Vargas declarou-o um Monumento Nacional, homenageando todas as etnias que colaboraram para o desenvolvimento do país — daí a inscrição "A Nação Brasileira ao Imigrante". É exatamente esse contexto misto o atrativo da cripta, denominada Espaço Cultural Antonio Caringi. Além de painéis, imagens e objetos abordando a imigração no contexto internacional, nacional e regional, uma exposição permanente de documentos fotográficos detalha a criação das estátuas.

Leia mais:
Cripta do Imigrante e outros espaços históricos de Caxias do Sul
Getúlio Vargas e o inseparável guardião Gregório Fortunato
Chegada dos moldes do Imigrante à Maesa em 1953
Pórtico da Estrada Federal Getúlio Vargas em 1941  
Um novo pavilhão surge em 1954
Pioneiro 70 anos: de volta a 1952
Pioneiro 70 anos: anúncios na estreia do jornal em 4 de novembro de 1948  
Pioneiro 70 anos: expressões em desuso, mas com o charme da época

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros