Memória: Encontro da família Casagrande no bairro Santa Catarina - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga21/09/2018 | 07h30Atualizada em 21/09/2018 | 07h30

Memória: Encontro da família Casagrande no bairro Santa Catarina

Confraternização deste domingo, dia 23, recorda a trajetória de Luiz Casagrande, nascido em 1900

Memória: Encontro da família Casagrande no bairro Santa Catarina acervo de família / divulgação/divulgação
Luiz Casagrande e Tereza Bedin (sentados) com os 10 filhos Angela, Itália, Armando, Valério e Reinaldo (atrás). À frente, João, Maria, Alcides, Dionísio e Giocondo Foto: acervo de família / divulgação / divulgação

A família Casagrande estará em festa neste domingo (23), no bairro Santa Catarina. Tudo para recordar de uma história iniciada em 1878, quando os irmãos Vincenzo, Felice e Francesco, juntamente com suas famílias, deixaram a comuna italiana de Pederobba, na província de Treviso, rumo ao Brasil. 

Saídos do Porto de Le Havre, na França, os Casagrande chegaram à sede da Colônia de Caxias em 19 de janeiro de 1879, quando passaram a se dedicar à agricultura nos lotes recebidos na Linha 40. Conforme informações divulgadas pela família, Felice Casagrande, 57 anos, e Francesca Collava, 51, atravessaram o oceano na companhia dos quatro filhos: Maria, 26 anos; Giovanni, 24; Luigi, 20; e Angela, 19. 

No Brasil, o filho Giovanni casou-se com Ângela Andreazza, com quem teve quatro descendentes: Luiz, Isidoro, Fortunato e Francesca. Com o falecimento de Angela, Giovanni contraiu segundas núpcias com Luiza Comasseto, nascendo dessa união mais seis herdeiros: Ermenegildo, Antônio, Irene, Santina, Angelina e Raimundo.  

É em torno da descendência de Luiz Casagrande, nascido em 21 de junho de 1900, que gira o encontro deste domingo. Filho do primeiro casamento de Giovanni, Luiz  casou-se com Tereza Bedin, com quem teve 10 descendentes: Valério, Armando, Angelina, Reinaldo, Itália, João, Dionysio, Giocondo, Maria Libera e Henrique.

Já em meados dos anos 1930, Luiz e a família mudaram-se para Vila Segredo, 9º Distrito de Vacaria, onde o patriarca atuou como carreteiro e desempenhou atividades na agricultura. O casal e os filhos permaneceram em Vila Segredo até 1952, quando retornaram a Caxias do Sul, fixando residência no bairro Santa Catarina.

Luiz faleceu em 10 de setembro de 1978, aos 78 anos. A esposa, Tereza Bedin, morreu oito anos antes, em 18 de novembro de 1970. Dentre todos os filhos de Luiz e Tereza, o único vivo é Dionísio, hoje com 91 anos.

Leia mais:
Encontro da família Bussolotto em Nova Bassano
Encontro da família Soldatelli em São Marcos
Encontro da família Bortoloso em Ipê
Encontro da família Gedoz em Carlos Barbosa
Encontro da família Fachinelli em Garibaldi
Os 125 anos da família Tonus no Brasil
Encontro internacional da família Bigolin em Pinto Bandeira
Imigração italiana: Isidoro Bigolin e o brinco de ouro   

O encontro

Mais informações sobre o encontro com Marcos Antonio Casagrande, pelo e-mail casagrande@origene.com.br ou decio@saopelegrinoimoveis.com.br. Também pelo site www.origene.com.br

Participe da coluna

Você possui fotos antigas de família ou está organizando algum encontro de descendentes? Envie as imagens em alta resolução, acompanhadas de um breve histórico, para o e-mail rodrigolopes33@gmail.com. 

Leia mais:
Família Motter celebra as origens em Caravaggio da Terceira Légua
Encontro da família Webber
Encontros das famílias Manfroi e Marafon
Encontro da família Ferro em Vila Flores  
Encontro da família Menegat em Nova Pádua
Imigração italiana: encontro da família Lain
Encontro da família Gobbato em Monte Bérico
Encontro da família Fermiano Alves em Criúva   

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros