Memória: Encontro da família Andreazza em Itapema - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga12/09/2018 | 07h30Atualizada em 12/09/2018 | 07h30

Memória: Encontro da família Andreazza em Itapema

Celebração ocorre neste sábado em Itapema (SC), recordando uma história iniciada no Brasil em 1879

Memória: Encontro da família Andreazza em Itapema acervo de família / divulgação/divulgação
As bodas de ouro de Giuseppe Andreazza e Ana Poloneatto ( ao centro), defronte ao casarão em Nossa Senhora da Saúde, em 1903 Foto: acervo de família / divulgação / divulgação

Um ano após a confraternização internacional realizada na Itália em 2017, a família Andreazza volta a se reunir. Será neste sábado, dia 15, no município de Itapema, em Santa Catarina. A programação engloba recepção, passeio de barco, missa, jantar e até uma reunião dançante (ver contatos abaixo).

A trajetória da família Andreazza no Brasil remete a dezembro de 1878, quando o "Capo de La Famiglia" Giuseppe Sebastiano Andreazza, então com 46 anos, e a mulher, Ana Poloneatto, 44, deixaram a Europa. Saindo do porto francês de Le Havre a bordo do vapor Ville de Santos, o casal, acompanhado dos oito filhos e mais seis integrantes da família, chegou ao antigo Campo dos Bugres em 19 de janeiro de 1879, quatro anos após o início do processo de imigração, em 1875.

O clã ocupou inicialmente o lote número 37 do Travessão Thompson Flores, na nona légua. Documentos coletados pela família, porém, destacam que o patriarca, bastante visionário para a época, teria comprado vários outros. As terras adquiridas por ele localizavam-se um pouco além dos atuais Pavilhões da Festa da Uva, próximo da Igreja Nossa Senhora da Saúde.

Leia mais:
Encontro da família Segalla em São Braz
A trajetória da família Tessari em livro
Família Tessari e as lembranças de São Romédio da Quinta Légua
Imigração portuguesa: Tanoaria São Martinho em 1948  

A família de Constante e Regina Andreazza, com os filhos e netos em 1935 Foto: acervo de família / divulgação

A família

Ao todo, dezesseis Andreazza, naturais da província de Treviso, chegaram ao Brasil em 1878. Antes de se fixar na Serra, o grupo desembarcou no Porto do Rio de Janeiro, em 29 de dezembro daquele ano —  outros desceram em Santos e optaram por trabalhar nos cafezais paulistas e mineiros.

Além dos oito filhos, Pietro Domenico (23 anos), Sebastiano (22), Vittore Leone (20), Regina (17), Davide Paolo (15), Maria Carolina (14), Giuseppina Corona (11) e Francesco Domenico (dois), emigraram para o Brasil a cunhada de Giuseppe, a viúva Emiglia Tereza (63 anos), os sobrinhos órfãos Inocente Pietro (10) e Francesca Anna (sete), e seu irmão Angelo (49 anos), então viúvo, com os dois filhos, Ângela (21) e Constante (sete anos).

Na imagem acima, de 1935, vemos Constante e Regina (ao centro, sentados); Aurélia e Joaquim, com Alcides no colo (à esquerda); Alice e Marina (à direita). Em pé estão Aristides, Abilio Eleutério, Antonio, Arcizio, Zita e Regina. No chão, Mário, Romeu, Leonora a Amábile.

Parte das informações desta coluna foi publicada originalmente em 2014, quando a família promoveu seu oitavo encontro, nos Pavilhões da Festa da Uva.

O encontro 

Mais informações com Armando Andreazza, pelo fone (54) 99971.6882, pelo e-mail armando.andreazza@gmail.com ou pelo site oficial www.familiaandreazza.com.br

Leia mais:
Família Andreazza celebra as origens nos Pavilhões da Festa da Uva

Na Itália

O Encontro Internacional dos Andreazza ocorreu em 17 de setembro de 2017 no Castello di Roncade, uma das localidades de origem da família, assim como as comunas de Quero, Onigo de Piave, San Cipriano, Pederoba e Montebelluna, todas na província de Treviso, região do Vêneto. 

A comitiva brasileira foi formada por 36 integrantes, que permaneceram na Itália durante 21 dias refazendo o roteiro dos antepassados.

Participe da coluna

Você possui fotos antigas de família ou está organizando algum encontro de descendentes? Envie as imagens em alta resolução, acompanhadas de um breve histórico, para o e-mail rodrigolopes33@gmail.com.

Leia mais:
Encontro da família Bussolotto em Nova Bassano
Encontro da família Soldatelli em São Marcos
Encontro da família Bortoloso em Ipê
Encontro da família Gedoz em Carlos Barbosa
Encontro da família Fachinelli em Garibaldi
Os 125 anos da família Tonus no Brasil
Encontro internacional da família Bigolin em Pinto Bandeira
Imigração italiana: Isidoro Bigolin e o brinco de ouro  

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros