Memória: um passeio e uma aula de história sobre rodas - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga20/08/2018 | 07h30Atualizada em 20/08/2018 | 07h30

Memória: um passeio e uma aula de história sobre rodas

Casa Finco, Lanifício Gianella e Museu Ambiência Casa de Pedra integraram roteiro ciclístico realizado sábado 

Memória: um passeio e uma aula de história sobre rodas Robsom Guerra de Oliveira / divulgação/divulgação
Grupo reuniu-se na Av. Júlio, em frente à Igreja do Santo Sepulcro e à lendária Casa Finco Foto: Robsom Guerra de Oliveira / divulgação / divulgação

Dois extremos da cidade ligados por uma iniciativa que buscou chamar a atenção para o patrimônio histórico-cultural e sua relação com uma futura rota turística cicloviária – e todas as demandas e benefícios que essa ideia traz. Foi o que ocorreu na tarde de sábado, quando o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) – Núcleo Caxias do Sul e os integrantes do projeto Memória sobre Rodas promoveram a versão local do evento nacional "O Brasil abraça o seu Patrimônio Cultural". 

O roteiro incluiu dois símbolos tombados pelo Município, ambos já bastante comprometidos em sua estrutura. Falamos da lendária Casa Finco, ao lado da Igreja do Santo Sepulcro, em Lourdes, e de parte do Lanifício Gianella, no bairro Santa Catarina. 

Lanifício Gianella em imagens e lembranças
Cripta do Santo Sepulcro na década de 1930
As histórias que rondam o casarão ao lado do Santo Sepulcro
Lourdes, Zona Caipora e Bairro Guarani

O encontro teve início defronte ao Santo Sepulcro e ao velho casarão contíguo, datado de 1908, onde ocorreu uma espécie de bate-papo informal entre participantes, arquitetos, historiadores, jornalistas e representantes da comunidade cultural.  Na sequência, o grupo de ciclistas dirigiu-se ao bairro Santa Catarina, seguindo um roteiro pré-estabelecido pelo Memória sobre Rodas e devidamente orientado pela Fiscalização de Trânsito. 

Primeiro, ao Museu Ambiência Casa de Pedra – o mais visitado de Caxias –, depois, ao mítico complexo têxtil fundado pelo imigrante italiano Matteo Gianella e a pela esposa Ermelinda Viero Gianella em 1915. A discussão, porém, não ficou restrita à preservação e ocupação dos espaços edificados. 

Leia mais:
Casa de Pedra: uma restauração em 1975
Inauguração da Casa de Pedra em 1975
Inauguração do Monumento aos Tiroleses em 1977
Casa de Pedra e outros espaços que abrigam a história de Caxias

Grupo reuniu-se na Casa de Pedra e no Monumento aos TirolesesFoto: Suane Moschen / divulgação

Mobilidade e rota turística cicloviária

Conforme a arquiteta Sílvia Nunes, presidente do IAB – Núcleo Caxias, a ideia é chamar a atenção para a infraestrutura de mobilidade do trajeto e a percepção urbana da Casa de Pedra e do lanifício como espaços vizinhos e de alto potencial: 

–  A ideia foi fazer os participantes perceberem as condições do trecho (que compreendeu as ruas Vinte de Setembro e Matteo Gianella). O ciclista está inserido no sistema viário, mas que condições existem para uma rota turística cicloviária entre esses pontos? – questiona Sílvia.

O passeio, segundo ela, também deu subsídios para o avanço do projeto Memória sobre Rodas.

–   Buscamos  desenvolver uma estrutura cicloviária associadas aos bens culturais da cidade – conclui.

Alto potencial: complexo do antigo Lanifício Gianella também integrou o roteiroFoto: Suane Moschen / divulgação

Tombamento e preservação

O encontro também jogou luzes sobre  o grande parque urbano do Lanifício Gianella e a riqueza ambiental em torno do Arroio Tega, escondida da maioria dos passantes.

–   Serviu para equalizar as questões que envolvem o tombamento e os custos para os proprietários com a preservação – avalia Sílvia. 

Um debate que também teve a participação do empresário Gabriel Gianella Mondadori, bisneto de Matteo Gianella e um dos entusiastas do lugar:

– Minha ideia seria um parque chamado Boulevard Gianella, com uma série de atrativos gastronômicos e culturais, museu, passeio em meio à mata e pontes sobre o Arroio Tega, somando-se tudo isso com a Casa de Pedra – projeta.

Leia mais:
Lanifício Gianella: um século de história
Ranchos no Lanifício Gianella em 1941
Lanifício Gianella na Festa da Uva de 1965
Os 60 anos da Paróquia Santa Catarina
Moinho da Cascata: um ícone da imigração
Livro O Instante e o Tempo: uma cidade, múltiplos olhares  

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros