Memória: Paróquia de Lourdes rumo aos 80 anos - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga10/08/2018 | 07h30Atualizada em 10/08/2018 | 07h30

Memória: Paróquia de Lourdes rumo aos 80 anos

Mostra que abre neste sábado (11), na cripta da igreja, resgata uma trajetória iniciada em 1925

Memória: Paróquia de Lourdes rumo aos 80 anos Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A igreja captada a partir da Rua Os Dezoito do Forte no início dos anos 1950, com a chaminé da antiga Vinícola Michielon (à esquerda) Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Uma detalhada linha do tempo, com fotos e os principais acontecimentos da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, desde 1925 até meados dos anos 1960, pode ser conferida a partir deste sábado (11), após a missa das 17h, na cripta da igreja. Trata-se da exposição Memórias da Fé, uma das atividades integrantes da Festa das Capelinhas 2018 e que também antecipa a programação alusiva aos 80 anos da paróquia, celebrados em 2022.

A Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes foi fundada oficialmente em 8 de fevereiro de 1942, por decreto do primeiro bispo de Caxias, Dom José Baréa,  – no mesmo dia foi abençoada a Matriz, ainda em fase de construção, e nomeado como primeiro pároco o padre Maximiliano Franzoi.

Toda essa história, porém, começou bem antes, em 1925, durante uma reunião na firma Michielon, Menegassi e Cia. Foi quando surgiu uma espécie de sociedade, encabeçada pelos empresários João Menegassi, David Bisol e Vicente Rovea, cuja incumbência era angariar fundos "para edificar uma igreja e adquirir terreno para um cemitério destinado aos defuntos das famílias que fazem parte da referida sociedade".

Leia mais:
Lourdes, Zona Caipora e Bairro Guarani
Primórdios da Igreja de Lourdes
Inauguração da Gruta de Nossa Senhora de Lourdes em 1943
Celebração nos 75 anos da Gruta de Lourdes, em Conceição da Linha Feijó 

Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação
A igreja ainda sem as torres, em 1947, época em que a Rua Sinimbu ainda não tinha sido aberta até a BR 116. À esquerda, o antigo Orfanato Santa Terezinha e o Colégio Madre ImildaFoto: Reno Mancuso / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A igreja, o complexo da Vinícola Michielon e a famosa chaminé por volta de 1955. Rua Sinimbu ainda não havia sido aberta desde a Angelina Michielon até a BR-116 Foto: Foto Victor / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Devoção a Lourdes

Conforme a organização da mostra,  a devoção a Nossa Senhora de Lourdes iniciou-se devido a uma gruta natural existente no antigo Orfanato Santa Terezinha, atual Colégio Madre Imilda. Como as aparições de Maria em Lourdes, na França, em 1858, se deram dentro de uma gruta, os moradores do bairro acharam por bem colocar lá uma estátua de Nossa Senhora para devoção.

Surgia aí uma pequena comunidade-igreja, que, em 1936, teve lançada sua pedra fundamental – no terreno doado pela firma Michielon, Menegassi e Cia. Já os trabalhos de construção iniciaram-se em 1939, com o surgimento da cripta – era lá que aconteciam as celebrações religiosas e eventos sociais visando adquirir verbas para a futura Matriz.

Leia mais:
Origens do Colégio Madre Imilda
A história do prédio do Arquivo Histórico Municipal
O pioneirismo da família de Vicente Rovea
Venda a granel: ontem, hoje e sempre
De volta aos antigos armazéns
Um retorno aos velhos secos & molhados  
O Grande Baratilho de Antonio De Lazzer
Antigos verões: o Balneário De Lazzer  

Bucolismo: o templo concluído em 1958, captado a partir da esquina da Júlio com a Angelina Michielon. Trecho da Sinimbu até a BR-116 ainda não havia sido abertoFoto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação

Algumas datas:

:: 1939: embarque do sino em aço de São Paulo para Caxias.

:: 1942: conclusão dos muros e colocação do telhado e mais 12 vitrais, doados por famílias do bairro e particulares.

:: 25 de agosto de 1942: licença para celebrar o matrimônio de Claudino Pezzi e Clementina Tomazi.

:: 25 de outubro de 1942: Primeira Comunhão pela primeira vez na igreja (147 crianças).

:: 1947: colocação de portas nas sacristias, instalação elétrica, reboco interno e finalização da pintura

:: 13 de junho de 1948: inauguração do púlpito, confeccionado nas oficinas de José Gollo.

:: 5 de março de 1950: entrega da Via-Sacra, confeccionada por Estácio Zambelli.

:: 11 de fevereiro de 1951: inauguração das torres.

:: 15 de agosto de 1953: inauguração do altar-mor da igreja, confeccionado pela firma Alexandre Bertelli e Filhos, de Farroupilha.

Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação

Imagens e visitação

A mostra pode ser conferida de 11 a 18 de agosto, sempre após as missas da novena. As celebrações ocorrem de segunda a sexta, às 19h; sábado, às 17h; e domingo, às 18h30min. A organização também busca por fotos antigas do bairro e da igreja. 

Contatos com o padre Eleandro Teles, pelo fone (54) 3222.1636.

Leia mais:
Cripta do Santo Sepulcro na década de 1930
Zambelli & Locatelli: os detalhes do interior da Igreja do Santo Sepulcro
Memórias da Júlio: as histórias que rondam o velho casarão ao lado do Santo Sepulcro
Giovanni Argenta e os primórdios da Catedral 

Parceria

Com informações da Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes e do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami.

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros