Inverno de 2018 já teve mais horas de frio do que todo o ano passado - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Clima05/08/2018 | 20h34Atualizada em 05/08/2018 | 20h34

Inverno de 2018 já teve mais horas de frio do que todo o ano passado

Foram 240 horas neste ano contra 191 de todos os meses de inverno de 2017

Inverno de 2018 já teve mais horas de frio do que todo o ano passado Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O inverno com temperaturas mais elevadas em 2017 fez com que a colheita da uva fosse antecipada na Serra Gaúcha em cerca de 20 dias. Com menos frio, as plantas ficam maduras mais cedo e mais suscetíveis a danos causados por geadas tardias. Já em 2018, mesmo ainda no início de agosto, as horas de frio já superaram as de todo o inverno passado.

Para consideração da hora de frio, a temperatura não deve passar de 7,2ºC. A média na região é de 409 horas de frio por ano, que ocorrem normalmente no período entre abril e setembro, que são os meses onde há temperaturas abaixo dessa faixa. 

Na chamada região Uva e Vinho, que engloba cidades com produção mais acentuada de uvas, como Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Flores da Cunha e Farroupilha, a medição é feita na estação meteorológica automática instalada na Embrapa Uva e Vinho, em Bento.

De acordo com o técnico responsável pelo setor de meteorologia desta unidade da Embrapa, Adriel Davi Marconatto, em 2017, foram registradas apenas 191 horas de frio. Neste ano, até o fim de julho, já foram 240 horas. 

O destaque até agora é para o mês de junho, com 123 horas, acima da média, que é de 104. Contudo, em julho, o número ficou abaixo da média. Foram 84 horas de frio, quando o normal seriam 126. Para agosto, a média é de 78 horas.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros