Mutirão solidário realiza festa de casamento para casal de recicladores em Caxias do Sul - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Matrimônio07/07/2018 | 16h43Atualizada em 08/07/2018 | 13h54

Mutirão solidário realiza festa de casamento para casal de recicladores em Caxias do Sul

Amarildo Moreira, apenado que busca reconstruir a vida fora das grades, formalizou a união com Carla da Silva neste sábado. Cerimônia teve terno, vestido e almoço doados

Mutirão solidário realiza festa de casamento para casal de recicladores em Caxias do Sul Lucas Amorelli/Agencia RBS
Carla e Amarildo posam em frente à igreja do bairro Santa Catarina após celebrarem a união Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Ainda sentida pelos brasileiros, a eliminação da Seleção perante a Bélgica na Copa do Mundo serviu de inspiração para a fala do padre Renato Ariotti aos noivos Carla da Silva e Amarildo Moreira na manhã deste sábado, na igreja da Paróquia Santa Catarina, em Caxias do Sul. 

— A vida é feita de vitórias e de derrotas que nos ensinam a recomeçar —advertiu o pároco. 

Recomeço é o que Amarildo busca desde agosto de 2016, quando a progressão de regime o permitiu cumprir em liberdade  o restante de uma longa pena por dezenas de assaltos a bancos, cometidos nos anos 1980. Foram 32 anos de reclusão do homem que chegou a ser um dos mais procurados do Estado entre 2004 e 2005, após a última de muitas fugas. A ressocialização começou com a participação nos círculos de Justiça Restaurativa e com a pequena empresa de reciclagem que abriu no bairro Marechal Floriano, que o permitiu reencontrar a vizinha de infância que agora tem como esposa. Carla, que trabalha como cuidadora de uma tia doente e ajuda a administrar a reciclagem, é uma parceira disposta a cooperar na nova vida de Amarildo e construir com ele uma nova família. Ambos têm filhos e netos.  

— Cada um de nós teve a sua vida e a sua história, mas acabamos voltando para o mesmo bairro e nos reencontramos. Quando ele me pediu em casamento fiquei até um pouco desconcertada, mas aceitei e desde então estou me sentindo muito alegre e emocionada. Só não vou chorar pra não estragar a maquiagem — comenta a noiva. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL 07/07/2018O casal Amarildo Moreira e Carla da Silva celebrou casamento na manhã deste sábado, na igreja da Paróquia Santa Catarina, em Caxias do Sul. Humildes, ele reciclador e ela cuidadora, contaram com a união de esforços da comunidade para celebrar a festa, com diversas doações. (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Carla chega à igreja. Vestido e buquê foram doadosFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

O casório foi resultado de uma ação solidária que envolveu dezenas de membros e amigos da paróquia após um temporal ter destelhado a sede da reciclagem de Amarildo, alguns meses atrás. A igreja custeou a troca do telhado, e nesta aproximação Amarildo falou ao padre Ariotti sobre o desejo de formalizar a união com Carla, pedindo ao religioso que concedesse a benção em uma cerimônia simples, já que para dar uma festa eles não tinham dinheiro. Foi o que fez a casa religiosa querer ir além. Em uma semana, um mutirão conseguiu a doação do terno e do vestido, além dos alimentos para fazer o almoço para 60 convidados, com risoto, salsichão, saladas e refrigerante. A equipe de cozinha atuou de forma voluntária, assim como o fotógrafo e a turma da decoração da igreja e do salão paroquial. 

— Ainda há muitas pessoas caridosas e dispostas a ajudar. O mundo e o país vivem um momento tão difícil, a gente lê tanta notícia ruim, que está sendo maravilhoso proporcionar uma história feliz como essa. É uma corrente do bem, porque assim como estamos ajudando a eles, eles na reciclagem também acolhem e dão trabalho a muitas pessoas que não têm nada — emociona-se a secretária da paróquia e presidente da Associação dos Moradores do Bairro (Amob) Santa Catarina, Beatriz Perin.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL 07/07/2018O casal Amarildo Moreira e Carla da Silva celebrou casamento na manhã deste sábado, na igreja da Paróquia Santa Catarina, em Caxias do Sul. Humildes, ele reciclador e ela cuidadora, contaram com a união de esforços da comunidade para celebrar a festa, com diversas doações. (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Casamento foi celebrado pelo padre Renato Ariotti e teve cerca de 60 convidados, entre benfeitores e papeleirosFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Entre as dezenas de convidados, confraternizaram desde empresários que contribuíram com doações até catadores que atuam para a reciclagem. Um deles, que luta para se livrar do vício em drogas, comentou que mira o exemplo de Amarildo para tentar se regenerar. Servir de exemplo positivo é o que o recém-casado espera para dar sentido à vida que resgatou, segundo ele, com muita oração e vontade de deixar o buraco. 

_ A prisão me fez abrir os olhos e tirar a venda. Foi onde pude fazer ensino fundamental e médio, sempre li, trabalhei, passei no Enem. Estou vivendo uma nova história e muito agradecido por poder participar da Justiça Restaurativa, dando meu exemplo para os mais jovens e torcendo para que eles façam as escolhas certas. 

Em  memória

O envolvimento do padre Renato Ariotti e da paróquia de Santa Catarina com os recicladores remete a 2012, quando o religioso adotou os cães Scooby e Preta, que pertenciam ao catador de papel Carlos Miguel dos Santos, que morreu após ter o corpo incendiado por adolescentes. O crime chocou a cidade. No ano seguinte, um memorial com o carrinho do papeleiro e fotos de reportagem publicadas à época sobre o caso foi feito nos fundos da igreja e permanece até hoje.

— Aquele gesto me aproximou muito dos pobres, dos recicladores, das crianças, das pessoas que cuidam de bichos. A partir daquele caso surgiram caminhadas pela paz, os círculos de paz que ocorrem dentro da Justiça Restaurativa e discutem alternativas de pacificação das comunidades mais violentas. O casamento que ocorre hoje também é um gesto que mostra que as postas da igreja estão abertas para todos — ressalta o padre. 


Leia também
O recomeço de um dos maiores assaltantes de banco da Serra
Painel com fotos e reportagens sobre o papeleiro Carlos Miguel dos Santos foi montado na Paróquia Santa Catarina, em Caxias
Especialista em Justiça Restaurativa defende criação de espaços permanentes para resolução de conflitos

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros