Memória: inauguração do Mercado Público de Caxias do Sul em 1968 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga06/07/2018 | 07h30Atualizada em 06/07/2018 | 07h30

Memória: inauguração do Mercado Público de Caxias do Sul em 1968

Espaço surgiu há 50 anos, na esquina das ruas Vinte de Setembro e Marechal Floriano, onde hoje situa-se o Postão 24 Horas

Memória: inauguração do Mercado Público de Caxias do Sul em 1968 Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Bispo auxiliar Dom Cândido Maria Bampi e o prefeito de Caxias Hermes João Webber conferem as opções das 36 bancas do espaço, em 1968 Foto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A instalação de um mercado público no complexo da Maesa é uma das principais reivindicações da comunidade desde que se iniciaram os estudos para a ocupação do espaço. E toda essa mobilização (leia mais abaixo) coincide com os exatos  50 anos da chegada do primeiro Mercado Público Municipal de Caxias do Sul.

O espaço, um amplo pavilhão subdivido em bancas, foi inaugurado em 11 de janeiro de 1968, na esquina das ruas Vinte de Setembro e Marechal Floriano — exatamente 20 anos após a instalação das primeiras Feiras Livres de Caxias, em 1948.  Assim como as feiras, o mercado buscava oferecer frutas, verduras, hortaliças e iguarias coloniais a preços mais acessíveis, estreitando as relações entre consumidores e produtores. 

Mercadinho do Povo na Av. Júlio em 1947
Inauguração das Feiras Livres em 1948
As antigas feiras livres de Caxias do Sul 

Conforme matéria do Pioneiro de 13 de janeiro daquele ano (reprodução abaixo), a solenidade contou com a presença do prefeito Hermes João Weber, que cortou a fita inaugural, e do bispo auxiliar da Diocese de Caxias do Sul, Dom Cândido Maria Bampi, responsável pela tradicional bênção das instalações. 

Além das centenas de consumidores, expositores e produtores rurais, passaram por lá o presidente da Câmara Municipal, vereador Aurélio Barp; o empresário Livio Gazola, presidente da Comissão da Festa da Uva de 1969; o diretor do Departamento Municipal de Abastecimento Público, Isidoro Moretto; e o senhor Wilson Schaefer, representando os locadores dos estandes.

Leia mais:
Sila Mariani Santini e a Mercearia Caxiense em 1952
Venda a granel: ontem, hoje e sempre
De volta aos antigos armazéns
Um retorno aos velhos secos & molhados  
Restaurante da Exposição, na Rua Alfredo Chaves, em 1958

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

O início

Nos primórdios, o Mercado Público concentrava 36 bancas, dispostas em uma área de 890 metros quadrados. Além disso, abrigava a filial 5 do Super Calcagnotto, também inaugurada naquele dia pelo empresário Antonio Calcagnotto. Matéria do Pioneiro (foto abaixo) destacava a novidade:  

"O Super Mercado Calcagnotto de nº 5 segue as características dos demais supermercados daquela organização, mantendo um sortimento completo de gêneros alimentícios, enlatados, bebidas, especialidades, produtos coloniais, etc, com atendimento rápido e eficiente e por preços realmente acessíveis. Dentro, aliás, do espírito que norteia o Mercado Público, qual seja o de regulador de preços." 

Inauguração do Super Calcagnotto em 1975

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

O fim

Tanto o formato das bancas quanto a estrutura do prédio sofreram diversas alterações ao longo das décadas, até o complexo ser desativado e posteriormente demolido, em meados dos anos 1990 — para abrigar o atual Pronto Atendimento 24 Horas (Postão).

Maesa, mercado e São João

Neste domingo, o Coletivo Abrace a Maesa volta a promover uma série de atividades em torno do prédio, a partir das 15h. Entre tantas abordagens, uma aula pública sobre a história do complexo —  com a instalação de um mercado público novamente em pauta. 

A tarde reserva shows da banda Cuscobayo, apresentação do Maracatu Baque dos Bugres e uma intervenção cultural: um abraço ao prédio da antiga metalúrgica com um cordão formado por bandeirolas juninas, no melhor clima de São João. 

Todas as atividades ocorrem na Rua Plácido de Castro, próximo ao antigo portão de acesso, exatamente o cenário da foto abaixo: um flagrante de Mauro De Blanco para a saída dos trabalhadores em 1970.  

Rua Plácido de Castro: a saída dos trabalhadores da Maesa em 1970Foto: Mauro De Blanco / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Agende-se

:: Abrace a Maesa - São João (Rua Plácido de Castro, esquina com Treze de Maio)
:: 14h -
DJ Stuani
:: 15h - Maracatu Baque dos Bugres
:: 15h45min - Aula pública sobre a Maesa
:: 16h30min - Cuscobayo
:: 18h - DJ Johnny Boaventura

Todas as atrações são abertas à comunidade.

Leia mais:
Praça Monteiro Lobato, ao lado da Maesa, em 1953
Chegada dos moldes do Imigrante à Maesa em 1953
Memória: um abraço para ficar na história da Maesa
Comissão da Maesa vai definir modelo de edital para estudo arquitetônico de ocupação
Maesa e as portas de bronze da Basílica de Belém do Pará em 1959
Maesa: lembrando o passado, projetando o futuro
Maesa: um presente para Caxias do Sul
Nos primórdios da Maesa
Setor de gravação da Maesa em 1958  

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros