Memória: inauguração das Feiras Livres em 1948 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga05/07/2018 | 07h30Atualizada em 05/07/2018 | 07h30

Memória: inauguração das Feiras Livres em 1948

Espaços de venda de hortifrutis no Centro, São Pelegrino e Lourdes surgiram na gestão do prefeito Luciano Corsetti

Memória: inauguração das Feiras Livres em 1948 Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Prefeito Luciano Corsetti corta a fita inaugural, acompanhado pelo bispo Dom José Barea, em 1948 Foto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Há 70 anos, em 24 de dezembro de 1948, a população de Caxias via concretizado o projeto de lei que estabelecia as primeiras feiras livres da cidade. Proposta pelo vereador Isidoro Moretto (PRP), a iniciativa foi aprovada pela administração do prefeito Luciano Corsetti (PTB) e levada a cabo no final do primeiro ano de governo.

E a solenidade­ não poderia ter sido mais badalada. A inauguração, junto a um palanque erguido na esquina das ruas Dr. Montaury e Sinimbu, contou com a bênção do bispo Dom José Barea, corte da fita simbólica pelo prefeito e discurso do vereador Afonso de Almeida, membro da comissão executora das feiras.

As antigas feiras livres de Caxias do Sul
A atuação comunitária do bispo Dom José Barea
Família de Raymundo Magnabosco em 1946

Acompanhada por centenas de “donas de casa e outros curiosos”, a estreia foi um sucesso. Conforme registro do Pioneiro de 30 de dezembro de 1948, as transações comerciais do primeiro dia alcançaram a cifra da Cr$ 52 mil – entrando aí a venda de queijos, salames, pães, frutas, chimias, verduras, hortaliças e toda sorte de produtos coloniais.   

Os números expressivos selaram uma reivindicação antiga de agricultores e sub-prefeituras do interior, que esperavam há meses por uma definição do Município. Matéria do jornal A Época de 5 de setembro de 1948 já ventilava o formato a ser adotado e o regulamento pré-estabelecido.    

"Devem funcionar as feiras em barracas desmontáveis, devidamente cobertas e dotadas de bancas apropriadas à venda pública, de modo a oferecer uma realçada exposição dos produtos. Serão instaladas em três pontos distintos da cidade: uma na zona Guarani (bairro Lourdes), uma na zona Central e outra no bairro São Pelegrino."  

Vereador Afonso de Almeida, membro da comissão de feiras, discursa na inauguraçãoFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Solenidade contou com a bênção do bispo Dom José Barea. Ao fundo, atrás do microfone da Rádio Caxias, o radialista Nestor GolloFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Leia mais:
José Zugno e os primórdios da Feira do Agricultor
O Horto Municipal na década de 1960
O jardineiro do antigo Horto Municipal
Jardins da Praça Dante Alighieri nos anos 1950

Os feirantes e a sequência de barracas na Rua Dr. Montaury, ao lado do prédio do MagnaboscoFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Flagrantes na Rua Dr. Montaury

Nas imagens acima e abaixo, a sequência de fotos publicada no Pioneiro de 30 de dezembro de 1948, quando o então semanário destinou uma página para o acontecimento. Em uma das fotos (acima), a antiga legenda do jornal destacava:

"Em primeiro plano, a banca nº 1, que está sendo atendida pelo senhor Altyr Fischer de Moura. O leitor pode observar os pequenos cartões, com a indicação dos preços de cada produto, seu peso e qualidade, que obrigatoriamente deve estar à vista do público".

O local é a Rua Dr. Montaury, entre a Sinimbu e a Os Dezoito do Forte, na calçada contígua às vitrines da Casa Magnabosco.

Consumidores lotaram a Rua Dr. Montaury, onde ficavam as barracasFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Barracas tomaram a extensão da Rua Dr. Montaury, entre a Sinimbu e a Os Dezoito do Forte Foto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Feirantes e consumidores lotaram os espaços na estreia, em 24 de dezembro de 1948Foto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Leia mais:
Rua Dr. Montaury em 1959
Casa Magnabosco e outros preferidos dos caxienses em 1954
Praça Dante Alighieri e arredores nos anos 1930 e 1940
Primórdios do Museu Municipal na década de 1950
Catedral Diocesana: um campanário e um século de histórias
Casa Magnabosco durante o Congresso Eucarístico Diocesano de 1948
Interiores da Loja Magnabosco nos anos 1950
Girólamo Magnabosco e os brevetados do Aeroclube de Caxias em 1942
A Caxias moderna de Silvio Toigo   

Na imprensa

Abaixo, o Pioneiro de 30 de dezembro de 1948, destacando toda a movimentação da estreia.

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

Dias e horários 

Anúncio veiculado no jornal O Momento de 8 de janeiro de 1949 destacava os dias e horários estipulados pelo Departamento de Feiras Livres da Prefeitura Municipal de Caxias do Sul:

:: Terças-feiras: Rua Sinimbu – Zona Frigeri

:: Quartas-feiras: Rua Dr. Montaury – Perto da Igreja Matriz

:: Quintas-feiras: Rua Feijó Júnior – Zona São Pelegrino

:: Sábados: Rua Dr. Montaury – Perto da Igreja Matriz

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

Balanças viciadas

O sucesso das feiras também motivou um alerta sobre os "espertos que pontificam nesse setor, como nos demais". O jornal Diário do Nordeste de 8 de junho de 1951 trazia um hilariante relato:

"Balanças viciadas, enganos nos trocos, sempre contra o freguês, são as defesas que eles lançam  para ganhar mais. A fiscalização é severa, e os preços obedecem a tabelas. Todavia, dever-se-ia estendê-la ao peso e aos trocos. Na confusão e na pressa, de quando em quando, o dedo ajuda o peso."

Leia mais:
Praça Dante Alighieri coberta de neve em 1941
Caxias pelas lentes do fotógrafo Reno Mancuso
Casamento de Reno Mancuso em 1941
Domingos e Reno Mancuso: as antigas agências bancárias de Caxias 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros