UCS finaliza revitalização de lago no campus-sede, em Caxias - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Infraestrutura05/06/2018 | 17h52Atualizada em 05/06/2018 | 17h54

UCS finaliza revitalização de lago no campus-sede, em Caxias

Estrutura havia rompido durante obras em 2016

UCS finaliza revitalização de lago no campus-sede, em Caxias Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

A Universidade de Caxias do Sul (UCS) anunciou na tarde desta terça-feira a finalização das obras de revitalização do lago que fica no campus-sede da instituição. Parte da estrutura havia rompido durante obras em 2016, provocando o esvaziamento do lago. 

Leia mais
UCS anuncia obras e inovações no modelo de ensino
Serra terá escola de gastronomia internacional no Vale dos Vinhedos

Agora, o local é integrante de uma estrutura denominada Praça do Lago. A ideia é que volte a ser ponto de visitação do público, junto com o zoológico e à Vila Poliesportiva, e também faça parte do complexo de Medicina Veterinária da UCS.

O empreendimento faz parte de um ambicioso pacote de investimentos até 2022 anunciados no ano passado. O planejamento abrangia cerca de 20 mudanças estruturais e acadêmicas na instituição, a maioria na Cidade Universitária, no bairro Petrópolis. Desde então, seis meses se passaram: alguns empreendimentos saíram do papel — além do novo lago, o StartUCS, estrutura que oferece auxílio na geração e no desenvolvimento de ideias de negócio no campo tecnológico — e outras novidades anunciadas ainda estão pendentes. 

A construção de uma concha acústica para concertos e espetáculos, por exemplo, ainda depende da disponibilidade de verbas. Também não há informações sobre o funcionamento da alardeada escola para formação de lideranças, destinada a alunos do Ensino Médio. 

A recondução de Evaldo Kuiava e Odacir Graciolli para os cargos de reitor e vice-reitor da UCS para a gestão 2018-22 garantiu a continuidade do planejamento para o período, mas outros fatores se interpuseram no caminho: o processo eleitoral para a reitoria concentrou os esforços da instituição no início do ano e figuras-chave da gestão foram realocadas. Além isso, o orçamento ficou mais apertado porque a universidade teve que cobrir um déficit de R$ 5,9 milhões do Hospital Geral em 2017.

Mesmo assim, até o momento, a instituição parece estar cumprindo com a maior parte do planejado. A revitalização do lago entra na estratégia de fortalecer o curso de Medicina Veterinária: atualmente, a infraestrutura da graduação inclui os blocos 46, 47 e 56, com atendimento clínico e cirurgias eletivas para pequenos animais e exames para grandes animais. Para os próximos meses, está prevista a inauguração de um bloco cirúrgico para animais de grande porte, com a realização de cirurgias complexas em equinos, bovinos, ovinos e caprinos. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL 22/05/2018No ano passado, a Universidade de Caxias do Sul (UCS) anunciou um pacote de investimentos até 2022. Agora, alguns projetos começam a sair do papel: o Complexo Ecológico-Veterinário, que integra o Hospital Veterinário no bloco 46 com o zoológico e o lago da UCS; e o Centro Clínico, que integra a Clínica de Fisioterapia, o Instituto de Medicina do Esporte e o Ambulatório Central, que deixará de atender exclusivamente pelo SUS. (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Novo Hospital Veterinário funcionará no bloco 46, integrado com o zoológico e o novo lagoFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Outra novidade — definida pelo reitor no ano passado como a grande obra para 2018 — é a construção do Hospital Veterinário da UCS, no Bloco 46. O local terá estrutura clínica e cirúrgica para animais domésticos e silvestres, com atendimento 24 horas e durante os finais de semana. O complexo tem previsão de funcionamento durante o segundo semestre de 2018. A estrutura é completada pelo  lago e o zoológico, que serão usados para fins didático-pedagógicos. 

O NOVO LAGO

:: O projeto do novo lago da UCS foi concebido pelo Instituto de Saneamento Ambiental (ISAM-UCS). 

:: A reformas iniciaram cerca de um ano após o esvaziamento do lago, em setembro de 2016. Na época, uma retroescavadeira trabalhava para consertar uma tubulação no local e acabou atingindo a canalização por onde escoava a água excedente do lago. 

:: Foi realizada a reconstituição do sistema de drenagem, o redimensionamento dos espaços de esporte e lazer, da ilha e a ampliação e recomposição do entorno. 

:: Também se trabalhou no fortalecimento de estruturas, na remoção de resíduos e intervenções na tubulação subterrânea de água e na a ampliação da área externa ao restaurante que fica no local, bem como a canalização de seus efluentes.

:: As características paisagísticas e ambientais foram restabelecidas, com a introdução de plantas nativas e a seleção de espécies animais nativas para o repovoamento.

Leia também
Hospitais da Serra retomam cirurgias eletivas suspensas durante paralisação
Daer prevê começar obras de novo acesso a Forqueta, em Caxias, na próxima semana

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros