Moradora do bairro De Lazzer, em Caxias, espera há cinco meses por consulta com ortopedista - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde27/06/2018 | 08h15Atualizada em 29/06/2018 | 16h09

Moradora do bairro De Lazzer, em Caxias, espera há cinco meses por consulta com ortopedista

Prazo para atendimento com especialista é de até 238 dias na cidade

Moradora do bairro De Lazzer, em Caxias, espera há cinco meses por consulta com ortopedista Marcelo Casagrande/Agencia RBS
A cozinheira Neusa Scariot Mendes, 53 anos, vê sua qualidade de vida piorar a cada dia sem atendimento Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Apesar do índice de mais de 15% de desistências em consultas com especialistas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Caxias do Sul, a maioria das pessoas que espera atendimentos na rede pública não tem outra alternativa senão aguardar. 

A demora para o atendimento é, inclusive, a principal reclamação dos usuários sobre o SUS, conforme pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgada nesta terça-feira.

A cozinheira Neusa Scariot Mendes, 53 anos, é uma das pacientes que sofre com o problema. Moradora do bairro Diamantino, ela aguarda consulta com ortopedista há exatos 155 dias, conforme relata a filha Francine Scariot Vinhas, 34.

Leia mais
Pacientes faltam a mais de 15% das consultas com especialistas pelo SUS em Caxias
Conheça serviços disponíveis para atendimento na saúde pública de Caxias no inverno

— Nesse tempo, ela piorou bastante. Como é um problema no fêmur e no quadril, tem impacto na mobilidade. Ela já não tem musculatura na perna — lamenta. 

Durante a espera, Francine conseguiu levar a mãe para uma consulta privada, com a ajuda de um cartão de desconto, já que não tem condições de pagar um plano de saúde. Ali, realizou radiografias que teriam apontado que Neusa necessita de cirurgia. Mesmo assim, a espera continua enquanto o problema se agrava.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 26/06/2018 - A cozinheira Neusa Scariot Mendes, 53, espera por uma consulta pelo SUS com ortopedista há 154 dias. A moradora do Diamantino sente dores no quadril e na perna e o problema piora a cada dia. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)
Dona Neusa teve que deixar emprego e recorrer a andador enquanto aguarda tratamentoFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

— Ela não trabalha desde agosto do ano passado, porque não consegue mais. Eu tive de comprar bengala e andador. A mobilidade dela caiu muito. A minha mãe está se deteriorando dia a dia e ninguém me ajuda — lamenta Francine.

Ela teme que com a continuidade da espera, que já dura cinco meses, o problema de saúde da mãe passe também para a outra perna. 

Hoje, é preciso aguardar até 238 dias para uma consulta com um ortopedista no CES, e os pacientes faltam em 18,4% dos atendimentos agendados. O Pioneiro tentou contato com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) durante a segunda e a terça-feira mas, até a publicação da reportagem, não obteve retorno. 

ATUALIZAÇÃO: Na tarde de sexta-feira (29), a assessoria de imprensa da SMS entrou em contato com o Pioneiro e informou que a consulta de dona Neusa com um ortopedista foi agendada para o dia 9 de julho.  

Leia também
Bancos têm horário reduzido nesta quarta-feira, dia de jogo do Brasil contra a Sérvia
Mãe e filha são assassinadas em Bento Gonçalves

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros