Memória: Praça Dante Alighieri coberta de neve em 1941 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga25/06/2018 | 07h30Atualizada em 25/06/2018 | 07h48

Memória: Praça Dante Alighieri coberta de neve em 1941

Em 29 de maio de 77 anos atrás, Caxias "amanheceu coberta de um vasto e espesso lençol de neve"

Memória: Praça Dante Alighieri coberta de neve em 1941 Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A Praça Dante Alighieri, captada a partir da Rua Marquês do Herval, coberta de neve em 1941. Ao fundo, a Rua Dr. Montaury Foto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Nesse ínicio oficial de inverno, as ocorrências de neve ao longo do século 20 voltam a dar as caras na coluna Memória. Hoje, retornamos a 28 de maio de 1941, quando o semanário “A Época” noticiou o fenômeno na capa da edição de 1º de junho. A notícia “Caxias sob o espetáculo deslumbrante de mais uma nevada”, destaque da primeira página, é um primor em expressões, adjetivos e construções rebuscadas características da época.

Ou alguém ousaria hoje publicar algo como: “Dir-se-ia que a nossa cidade, qual elegantíssima noiva, ostentava altiva o véu virginal, decidida ao cortejo nupcial”?

O texto

“A alma emotiva da nossa população viveu, na manhã de quinta-feira última, horas de imenso deslumbramento. É que a cidade amanheceu coberta de vasto e espesso lençol de neve. Já na tarde quarta-feira, 28 de maio, se observara queda brusca de temperatura, acompanhada de gélido chuvisqueiro. 

Pelas 21h daquele dia puderam inúmeras pessoas observar o início da nevada, que, em quantidade cada vez maior, ia se dissolvendo sob a ação da chuva. Pelas 23h, porém, com a interrupção desta, começou o nosso solo a mostrar a camada alvíssima de neve. E o espetáculo maravilhoso prosseguiu madrugada adentro. Às 6h, a nossa cidade oferecia aspecto inolvidável. É que se não divisava, sob as primeiras barras do dia 29, aqui, outra coisa que não a brancura belíssima da neve. 

Uma camada média de 25 centímetros cobria e tomava as formas de todas as coisas que estavam ao alcance da vista extasiada: telhados, ruas, calçadas, árvores, automóveis, etc, formando um conjunto encantador. E as encostas montanhosas da cidade não apresentavam aspecto diferente: tudo era branco! Dir-se-ia que a nossa cidade, qual elegantíssima noiva, ostentava altiva o véu virginal, decidida ao cortejo nupcial. E, com efeito, como se fora uma noiva, ela nunca se apresentara, antes, tão deliciosamente bela. 

Mas o espetáculo grandioso deveria ter curta duração: é que pelas 6h30min, insistente e indesejada chuvinha iniciava a sua ação destruidora. E, no seu maléfico afã, ia a pouco e pouco minorando aquele quadro sem par. Contudo, puderam os caxienses — e os visitantes, extasiados! — viver aquele ambiente polar até a tardinha, quando se dissiparam os últimos contornos daquela efêmera beleza!”

Jornal A Época (1º de junho de 1941)

Foto: Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução
Foto: Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução
A Praça Dante e a neve, captadas a partir do Clube JuvenilFoto: Reno Mancuso / Acervo de Renan Carlos Mancuso, divulgação
Fenômeno durou pouco, mas cobriu a área central e os canteiros da praça de brancoFoto: Reno Mancuso / Acervo de Renan Carlos Mancuso, divulgação
A praça coberta de neve, com o Clube Juvenil ao fundo (ainda sem o terceiro andar)Foto: Reno Mancuso / Acervo de Renan Carlos Mancuso, divulgação

As fotos

As imagens acima integram o blog www.caxiaspormancuso.blogspot.com, mantido pelo leitor Renan Carlos Mancuso, filho do fotógrafo Reno Mancuso (1919-1974), autor das fotos de 1941.  Já o jornal de onde foi retirado o texto original integra o acervo do Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul.

Em atividade entre os anos de 1938 e 1958, o semanário "A Época" circulava aos sábados e teve como primeiros diretores Ítalo Balen e João Brusa Netto. Também trazia o seguinte slogan: Jornal da Mocidade em Prol das Aspirações Coletivas. 

Caxias pelas lentes do fotógrafo Reno Mancuso
Casamento de Reno Mancuso em 1941
Domingos e Reno Mancuso: as antigas agências bancárias de Caxias

Leia mais:
A neve de agosto de 1965
Caxienses e os flagrantes da neve de 1965
Estácio Zambelli e um boneco de neve em 1965
A nevada de 1965 em postais
Caxias cobertas de branco em 1965 e 1975

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros