Memória: pórtico da Estrada Federal Getúlio Vargas em 1941 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga26/06/2018 | 07h30Atualizada em 26/06/2018 | 08h21

Memória: pórtico da Estrada Federal Getúlio Vargas em 1941

Estrutura localizada no início da Av. Júlio de Castilhos surgiu à época da conclusão do trecho da BR-116 entre Caxias do Sul e Porto Alegre

Memória: pórtico da Estrada Federal Getúlio Vargas em 1941 Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Cartão de visita: o pórtico à época da conclusão da estrada, em 1941 Foto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Estrada Federal Getúlio Vargas, BR-116, Avenida Presidente Vargas. Dependendo do trecho (Galópolis, São Marcos, Nova Petrópolis, Vacaria) ou da idade do morador, a rodovia mais emblemática de Caxias do Sul costuma ser identificada por todos esses nomes. E sua história está atrelada a um pórtico que nem sempre costuma receber a devida atenção entre os pontos turísticos da cidade.

Falamos da estrutura de pedra localizada no início da Avenida Júlio de Castilhos, em Lourdes. O então chamado "cartão de visitas da Metrópole do Vinho" surgiu à época da entrega do trecho Porto Alegre-Caxias do Sul, em 9 de novembro de 1941, quando Lourdes ainda era um arrabalde distante e pouco povoado.

Leia mais:
Primórdios da BR-116 nos anos 1950
Getúlio Vargas e o inseparável guardião Gregório Fortunato
Festa da Uva: um novo pavilhão surge em 1954

Obra do mestre canteiro José Zambon, o monumento em alvenaria e basalto destaca o período de construção e o nome do presidente da República, em dizeres que acompanham a estrutura em semi-círculo: "1938 – Estrada Getúlio Vargas – 1941". Posteriormente, em 24 de agosto de 1955, um ano após o suicídio de Vargas, o espaço recebeu o busto em bronze do ex-presidente — uma espécie de homenagem da cidade ao mentor da estrada responsável por acelerar o desenvolvimento econômico da região.

José Zambon: o Monumento à Itália em 1958

Nas imagens desta página, alguns momentos do pórtico ao longo das décadas. A estrutura faz conjunto com outros dois endereços históricos daquele ponto: a Praça Vestibular Abramo Eberle, onde situa-se o busto do empresário (inaugurado em 1946); e o Monumento Nacional ao Imigrante, descerrrado pelo próprio Getúlio na Festa da Uva de 1954.

Nas fotos abaixo percebe-se também a antiga fonte que existia no centro da estrutura, onde posteriormente foi instalada a herma de Getúlio Vargas. 

A Júlio deserta: a estrutura recém-concluída em 1941, ainda sem os bancos, as luminárias e o ajardinamentoFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
O pórtico por volta de 1948, já com os bancos, os postes de luz e o paisagismoFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Leia mais:
Primórdios da Igreja de Lourdes
Lourdes, Zona Caipora e Bairro Guarani
Cripta do Santo Sepulcro na década de 1930
Zambelli & Locatelli: os detalhes do interior da Igreja do Santo Sepulcro
Memórias da Júlio: as histórias que rondam o velho casarão ao lado do Santo Sepulcro 

O pórtico em 1960, já com o busto de Getúlio Vargas, inaugurado em 24 de agosto de 1955Foto: Foto Real Caxias / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A estrutura em 1970, ainda com as placas originais, os bancos de concreto e as lumináriasFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

As inscrições

Na placa frontal do busto, em bronze, constam as inscrições: "Ao presidente Getúlio Dorneles Vargas, homenagem do povo caxiense 24-8-1955". Abaixo dela havia um laço, também em bronze, mas furtado há tempos. 

Na parte traseira, em outra placa — furtada, reposta em 2012 e novamente furtada — constavam: "Comissão Organizadora da Homenagem ao Presidente Getúlio Vargas. Presidente: Olavo Hoffman. Vice-Presidente: Evangelista Costa Pires. Secretário: Agenor da Silva. Segundo Secretário: Carlino Facchin. Tesoureiro: Vergílio Antonio Merlo. Segundo Tesoureiro: Ismael Rangel de Castilhos. Membros do Conselho: Vercidino A. Souza, Julio Kuhn, Alzerino Hoffman, Jacinto Cechett, Abilio Webber, João A. de  Andrade, Francelino de Lima, Godofredo Costa, Primo Adami, Adelia Vencatto e Nair Peccin".

Leia mais:
Dante Marcucci: um busto e uma polêmica
A cidade de Dante Marcucci nos anos 1930 e 1940
Busto de Dante Alighieri, um ícone da praça desde 1914
Busto de Dante completa um século na praça
Hospital Pompéia: inauguração do busto de Dom José Barea em 1966
Estátua da Liberdade, um ícone da Praça Dante desde 1922 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros