Memória: o cinquentenário da Metalúrgica Abramo Eberle em 1946 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga04/06/2018 | 07h30Atualizada em 04/06/2018 | 14h06

Memória: o cinquentenário da Metalúrgica Abramo Eberle em 1946

Semana Abramo Eberle, de 11 a 19 de maio de 1946, recordou de uma trajetória iniciada em 1896

Memória: o cinquentenário da Metalúrgica Abramo Eberle em 1946 Imagem integrante do livro "O Milagre da Montanha" / reprodução/reprodução
O quarteirão da metalúrgica à época do aniversário, em 1945, com a calçada de pedras portuguesas no formato de engrenagens e os antigos casarões de madeira nas laterais Foto: Imagem integrante do livro "O Milagre da Montanha" / reprodução / reprodução

Às vésperas do evento "City Talk Vivacidade", que promete movimentar o antigo Salão Nobre da Metalúrgica Abramo Eberle nesta quarta (6), recordamos de um dos momentos mais emblemáticos do icônico prédio da Rua Sinimbu. Trata-se da abertura da exposição comemorativa dos 50 anos de fundação da empresa, surgida em 1896.

Eberle: a trajetória de Domingos Gedoz
Maesa: lembrando o passado, projetando o futuro  
Discussões sobre o projeto Maesa estão paradas há mais de seis meses em Caxias
Um abraço para ficar na história da Maesa

A chamada "Semana Abramo Eberle" ocorreu de 11 a 19 de maio de 1946. Destacou, além de uma suntuosa exposição de todos os produtos fabricados pela empresa – com filas para visitação –, a inauguração do busto do empresário na Praça Vestibular Abramo Eberle (defronte ao Monumento ao Imigrante), uma sessão solene na antiga Associação Comercial de Caxias, jogos, concertos, apresentações artísticas, torneios esportivos e uma romaria ao túmulo de Abramo, falecido um ano antes, em 14 de janeiro de 1945.

Uma das mais belas imagens daquela semana foi captada pelo mestre Giacomo Geremia: a noite da abertura da exposição, em 11 de maio de 1946 (abaixo), com a Sinimbu tomada de visitantes e o prédio todo iluminado para destacar a famosa casinha do terraço, reproduzindo a velha funilaria onde tudo começou...

Leia mais:
Setor de gravação da Maesa em 1958
Maesa e as portas da Basílica de Belém do Pará
Alvis Fiedler e as réplicas da Basílica de Belém do Pará
Exposição das portas de bronze na Maesa em 1959

Exposição dos 50 anos da empresa movimentou a Sinimbu em 1946Foto: Giacomo Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A metalúrgica refletida no chafariz da Praça Dante Alighieri à época do aniversário de 50 anos, em 1946Foto: Giacomo Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Ícones a caminho

Quando a empresa chegou aos 50 anos, em 1946, o prédio como conhecemos hoje ainda estava incompleto. O prolongamento da fachada do edifício em direção a Borges de Medeiros, onde situa-se o Salão Nobre, ainda não havia sido iniciado, assim como a torre do relógio – que só seria inaugurado cerca de nove anos depois. 

As 12 badaladas soaram pela primeira vez à meia-noite do dia 31 de dezembro de 1955.

Leia mais:
As cores e as horas do relógio do Eberle
Varejo do Eberle: um clássico do Centro
Varejo do Eberle: presentes que duram uma vida inteira
Encontro de ex-funcionários do Varejo do Eberle
Chafariz da Praça Dante Alighieri nos anos 1950

O prédio por volta de 1945, ainda sem a torre do relógio e sem a famosa casinha no alto, reproduzindo a velha funilariaFoto: Imagem integrante do livro "O Milagre da Montanha" / reprodução

Engrenagens no passeio

Além da casinha reproduzindo a velha funilaria e das duas piteiras —situadas no terraço e no telhado —, outro ícone original do entorno do prédio acaba de ser recuperado, após anos de negligência e abandono.  Trata-se da famosa calçada de pedras portuguesas, que atinge toda a extensão do passeio defronte ao edifício da Sinimbu. 

Conforme o arquiteto Celestino Rossi,  a calçada foi mapeada e refeita inteiramente com a reposição das partes faltantes. 

—Houve uma pequena diferença inicial nas pedras portuguesas, devido ao desgaste das antigas em relação às novas pedras de reposição.  Procuramos mesclar as duas — explica Rossi, completando que também foi efetuado um novo projeto para proteção das árvores, nos mesmos moldes do que foi realizado nas ruas Os Dezoito do Forte e Borges de Medeiros. 

Para quem nunca prestou atenção, o trajeto destaca uma sequência de engrenagens, símbolos da indústria metalúrgica e de Caxias como polo metal-mecânico (fotos abaixo).

Leia mais:
Eberle Centro: detalhes de outros tempos
Antigos vitrais da fachada do Eberle são recuperados
Memórias do Palacete Eberle
Praça Dante Alighieri e o calçamento de pedras portuguesas
A fábrica de joias Eberle Kochemborger e o surgimento da famosa piteira

Calçada de pedras portuguesas com o desenho das engrenagens foi recentemente recuperada Foto: Rodrigo Lopes / divulgação
Retomando a história: as engrenagens na calçada, os vitrais originais e a identificação do edifício, batizado de Abramo EberleFoto: Rodrigo Lopes / divulgação
Calçada de pedras portuguesas com o desenho das engrenagens foi recentemente recuperada Foto: Rodrigo Lopes / divulgação
A calçada em setembro de 2015, quando o Pioneiro alertou sobre a deterioração e o cimento cobrindo o desenho original Foto: Roni Rigon / Agência RBS

Painel sobre patrimônio histórico

A sexta edição do "City Talk Vivacidade" ocorre nesta quarta, dia 6, no sexto andar do prédio do Eberle – renomeado de Edifício Abramo Eberle –, na Sinimbu (foto acima). A programação inicia-se com uma gincana focada no patrimônio histórico da área central, que promete mobilizar as equipes e participantes inscritos. 

Na sequência, às 17h30min, ocorre um painel sobre patrimônio – com profissionais das áreas de História, Memória, Meio Ambiente, Direito, Construção Civil e Arquitetura –, a palestra com o arquiteto Luciano Rocha de Andrades e a entrega do VIII Prêmio Projeto de Arquitetura e Urbanismo, promovido pelo Centro Universitário da Serra Gaúcha (FSG).

A realização é do coletivo Vivacidade, em parceria com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do RS (CAU-RS) e a FSG. Inscrições gratuitas pelo link www.sympla.com.br/vivacidade. Também é possível conferir o painel sem inscrição prévia – o que exclui o certificado de participação. A entrada é franca. 

Mais informações e programação completa na página do evento City Talk – Antiga Fábrica Eberle no Facebook.

Leia mais:
Eberle: um relógio de ouro no jubileu de prata
Eberle: o jubileu de prata e ouro de Honório Marotto em 1948
Eberle: a trajetória de Joaquim Barasuol
Olivo Berton e os jubilados do Eberle em 1968
Getúlio Jacoby da Rosa: um jubileu de prata em 1969  
Eberle: a seção de gravação em 1956
Eberle: o jubileu de prata de Hugo Seidl em 1952   
Varejo do Eberle: o jubileu de prata de Enio Arioli em 1968

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória 



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros