Memória: escola da Vinícola Luiz Antunes em 1943 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga31/05/2018 | 07h30Atualizada em 31/05/2018 | 07h30

Memória: escola da Vinícola Luiz Antunes em 1943

Surgido para alfabetizar filhos de funcionários, Colégio São Luis passou a atender crianças de diversos bairros próximos

Memória: escola da Vinícola Luiz Antunes em 1943 Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Espaço foi criado para alfabetizar os filhos dos funcionários da antiga Cantina Antunes Foto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Instalada em Caxias do Sul em 1910, a Cantina Antunes mesclou-se ao cotidiano de milhares de famílias até meados dos anos 1980, quando as atividades foram encerradas. Além do trabalho em si, a antiga firma Luiz Antunes & Cia mantinha ainda uma série de serviços de assistência e recreação, visando manter os funcionários integrados à vinícola.

Um deles era o Colégio São Luis, surgido nos anos 1930. Conforme informações contidas no antigo boletim Mirante – Cantina Antunes, editado pela Secretaria Municipal da Cultura em 2003, o espaço foi criado com o objetivo de atender aos filhos de funcionários , mas aos poucos, passou a assistir outras crianças do antigo bairro Lusitano e das redondezas  – as aulas eram ministradas em um enorme cômodo, também usado como salão de festas, conforme vemos nas imagens acima e abaixo, de 1943.

Nos tempos da Cantina Antunes
A Quinta São Luiz e o Quinta Estação
Imigração portuguesa: Tanoaria São Martinho em 1948 

Depoimento do ex-funcionário Domingos Bosa (in memoriam), prestado à professora Cleodes Piazza e à arquiteta Sandra Barella em 1985 e reproduzido na publicação, destacava alguns aspectos do espaço:

"A escola terminou um pouco antes, porque a gurizada começou a quebrar vidro, começou a brigar. Foram muitas questões, então a firma resolveu tirar a escola, porque não era só para os operários. Ela (a cantina) dava escola para toda essa zona aqui. Não tinha outra escola".

Leia mais:
Ruínas da Cantina Antunes nos anos 1980
Demolição da Vinícola Mosele em 1981
Lembranças da Vinícola Mosele 

Aulas eram ministradas em um enorme cômodo, também utilizado como salão de festasFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

O prédio

Conforme documentos e fotos preservados no Arquivo Histórico Municipal, o salão das aulas do Colégio São Luis localizava-se no último prédio à esquerda, pelo acesso junto ao pórtico, onde hoje situa-se o Fórum. Seria a "esquina" defronte a atual Casa das Etnias (desenho abaixo), um dos poucos prédios originais do complexo que foram mantidos, juntamente com o Centro de Cultura Henrique Ordovás Filho.

Com pesquisa e informações de Elenira Prux e da equipe do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami.

Colégio São Luis aparece identificado no último prédio à esquerda, conforme o desenho da épocaFoto: Studio Geremia / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Leia mais:
Vinhos Raposa: um clássico da Mosele
Cooperativa Vinícola Caxiense em 1960
Cooperativa Vinícola São Victor nos anos 1950
Trajetória da família Zandomeneghi
Chaminés, as sobreviventes das alturas  
Vinícola Adega Pezzi em 1933
Estação Férrea em 1958
Caxias antiga: Quando o trem cortava a cidade 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros