FAS de Caxias lança edital para acolhimento familiar de crianças e adolescentes - Cidades - Pioneiro
 

Uma criança por família07/05/2018 | 11h12Atualizada em 07/05/2018 | 11h12

FAS de Caxias lança edital para acolhimento familiar de crianças e adolescentes

Entidade selecionada será responsável pelos programas de famílias acolhedoras e apadrinhamento afetivo

FAS de Caxias lança edital para acolhimento familiar de crianças e adolescentes Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

As famílias acolhedoras e o apadrinhamento afetivo de crianças e adolescentes, que haviam sido encerrados há alguns anos, voltarão a ser oferecidos em Caxias do Sul. O edital lançado nesta sexta-feira (4) pela Fundação de Assistência Social (FAS) vai selecionar uma entidade que ficará responsável pelos dois serviços.

Leia mais
Projeto de acolhimento familiar em Caxias deve começar com seis famílias

Atualmente, o acolhimento de crianças e adolescentes em Caxias é feito em três abrigos com 20 vagas cada, mas que frequentemente operam um pouco acima dessa capacidade, e também em casas lares com até oito vagas. No momento, há 101 crianças e adolescentes em abrigos e 88 em casas lares em Caxias do Sul.

Já no formato de família acolhedora, em cada lar fica apenas uma criança. O número só pode ser maior no caso de haver irmãos que precisam ser acolhidos. Conforme a FAS, esse serviço é voltado a crianças e adolescentes afastados temporariamente da família de origem por medida judicial. 

O período de permanência é de até dois anos, com possibilidade de reavaliação para prorrogação do período. As famílias que desejam acolher deverão se cadastradar e ser aprovadas pela entidade e pela FAS.

Já no apadrinhamento afetivo, a criança ou adolescente não mora com o padrinho, que é alguém que, por exemplo, sai para passear com a criança ou adolescente no fim de semana, acompanha atividades do afilhado na escola e pode receber em alguns momentos a criança ou adolescente em casa. 

Existem ainda as modalidades de padrinho provedor, que financia campanhas de lazer, esportivas e educativas, e também o padrinho prestador de serviço. Conforme a diretora de Proteção Social Especial de Alta Complexidade da FAS, Eler de Oliveira, um exemplo desse tipo de padrinho é o que conserta uma máquina de lavar em um serviço de acolhimento, por exemplo. Quando é necessário, ele se dispõe a fazer o trabalho.

Eler comenta que a ideia da FAS é aumentar o acolhimento em que há uma relação familiar e mais próxima. Ela observa que, num abrigo, a relação é mais institucional, e a criança ou adolescente pode acabar não compreendendo a rotina real de uma família - como, por exemplo, nas tarefas domésticas diárias, conhecer as despesas da casa e participar da vivência familiar em geral. O abrigo, conforme ela, é um modelo que, a longo prazo, deverá ser desativado, dando lugar a essas outras modalidades.

O titular do Juizado da Infância e da Juventude de Caxias do Sul, Leoberto Brancher, analisa que a tendência ao longo do tempo é que o acolhimento se torne mais próximo da criança ou do adolescente.

— Vamos pensar que, antigamente, nós tivemos aquele modelo dos grandes internatos, onde os meninos eram levados para morar, com 100, 150 internos. Em 1990, o estatuto projetou uma redução disso; criamos os abrigos, já com uma concepção de transitoriedade. Disso, se evoluiu para as casas lares, que são uma concepção mais familiar, com os pais sociais, e de seis a oito crianças. E com a família acolhedora, estamos em um processo progressivo para trazer a situação mais para perto da realidade, da vida, que é a família —comenta.

Brancher também faz um pedido à comunidade para que as pessoas se candidatem ao apadrinhamento afetivo e participem do sistema de acolhimento.

A entidade selecionada para administrar os serviços em Caxias do Sul terá de fazer a seleção de 12 famílias acolhedoras e buscar a meta de 60 pessoas para apadrinhamento afetivo.

Para as entidades interessadas em administrar os serviços em Caxias, a documentação deve ser entregue no dia 04 de junho entre as 14h e as 16h na sala de licitações da FAS, na rua Os Dezoito do Forte, 423, bairro Lourdes. 

Leia mais
Possível falta de diálogo entre a prefeitura de Caxias e o governo estadual pode trazer prejuízo aos cofres públicos
Serra gaúcha tem, pelo menos, 65 pré-candidatos a deputado estadual e federal  

estadual e federal  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros