Em um intervalo de 72 horas, três pessoas morrem atropeladas na Serra - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Trânsito31/05/2018 | 19h30Atualizada em 31/05/2018 | 19h30

Em um intervalo de 72 horas, três pessoas morrem atropeladas na Serra

Entre as vítimas está uma menina de 11 anos. Ela foi atingida por um trator

Em um intervalo de 72 horas, três pessoas morrem atropeladas na Serra Polícia Rodoviária Federal/Divulgação
Um ônibus atingiu o pedestre Diógenes Jader de Oliveira, 32, na BR-285, em Vacaria Foto: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Apesar dos esforços e do movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito — o Maio Amarelo —, o mês que termina nesta quarta-feira fechou com uma triste notícia: foi o que teve mais atropelamentos com morte em ruas e estradas da Serra, com cinco ocorrências (31,25% do total em 2018). Os números dos últimos três dias demonstram bem a violência do período. Entre a noite de terça-feira e a madrugada de ontem, quatro pessoas foram atropeladas, sendo que três morreram, entre elas uma criança. Vacaria, a cidade com mais casos na região (cinco), também aparece nos dados das últimas 72 horas, com duas vítimas fatais atingidas nas BRs 285 e 116. 

O caso mais recente na cidade ocorreu por volta de 1h de quinta-feira na altura do km 41 da 116. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Edvan Salazar Cruz, 32 anos, natural de Codó (MA) perambulava sobre a pista, com indícios de embriaguez, quando foi atingido por um caminhão com placas de Agudos do Sul (PR). O veículo se deslocava para buscar uma carga de cenouras em Ipê.

O condutor do veículo, de 23 anos, não sofreu lesões e parou para prestar socorro à vítima. Cruz chegou a ser encaminhado pelo Samu ao Hospital Nossa Senhora da Oliveira, mas não resistiu aos ferimentos e morreu menos de uma hora depois.

Na noite de terça-feira, outro pedestre já havia sido vítima de atropelamento em Vacaria. Diógenes Jader de Oliveira, 32, foi atingido por um ônibus no km 116 da BR-285, por volta das 19h30min. O condutor do veículo não prestou socorro à vítima e, por isso, deve ser indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Oliveira empurrava um carrinho de mão quando foi atingido pelo ônibus em uma curva da rodovia, próximo ao campus da Universidade de Caxias do Sul (UCS). 

A outra morte aconteceu em Nova Petrópolis, por volta das 14h de quarta-feira. Ketlin Daiana Santos Konrath, de 11 anos, foi  atingida por um trator conduzido pelo avô, em uma propriedade rural no interior de Nova Petrópolis. 

Leia mais
Homem morre atropelado na BR-285, em Vacaria
Menina atropelada por trator será sepultada nesta quinta, em Nova Petrópolis
Homem morre após ser atropelado em Vacaria
Polícia procura condutor que atropelou mulher e fugiu na BR-116, em Caxias

Conforme o Corpo de Bombeiros Voluntários, familiares relataram que Ketlin foi juntar um chapéu que estava no interior do veículo quando se desequilibrou e caiu. O avô tentou resgatá-la, mas ela foi atropelada pela máquina agrícola. 

A menina foi socorrida pelos familiares. Os bombeiros encontraram com o carro que conduzia a vítima no meio do caminho e prestaram os primeiros socorros. Ketlin chegou a ser encaminhada ao Hospital de Nova Petrópolis, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ela foi sepultada ontem na localidade de Pinhal Alto.

Motorista fugiu

Em Caxias do Sul, a Delegacia de Trânsito deve investigar um atropelamento ocorrido por volta das 23h30min de quarta-feira no km 150 da BR-116. O motorista do veículo — um Kadett prata — fugiu do local após atingir a vítima, uma mulher de 47 anos. Ela foi encaminhada ao Hospital Pompéia e permanecia em observação até as 18h de quinta-feira.

Segundo uma testemunha, o Kadett transitava em alta velocidade e ficou com muitos estragos na parte frontal. Como o condutor não se apresentou às autoridade, deve será instaurado inquérito para apurar omissão de socorro. Informações a respeito do veículo e condutor envolvidos podem ser repassadas para a PRF pelo telefone 191. 

OS NÚMEROS

Número de acidentes com morte na Serra: 59

Atropelamentos: 16 (27,1% do total)

Cidades com mais ocorrências

Vacaria: 5

Caxias do Sul: 3

São Sebastião do Caí: 2

Meses com mais ocorrências

Maio: 5

Março: 4

Abril e fevereiro: 3

Sexo das vítimas

Homem: 12

Mulher: 4

Idades das vítimas

Menores de 18: 1

Dos 19 aos 29 anos: 1

Dos 30 aos 39 anos: 4

Dos 40 aos 49 anos: 2

Dos 50 aos 59 anos: 5

Mais de 60 anos: 3

O MAIO AMARELO

O mês de maio se tornou referência mundial para balanço das ações de trânsito que o mundo inteiro realiza em razão de a Organização das Nações Unidas (ONU) ter decretado, em maio de 2011, a Década de Ação para Segurança no Trânsito. A intenção da ONU com a ação é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, 5 milhões de vidas até 2020. O amarelo simboliza atenção e também a sinalização e advertência no trânsito. 

Conforme a entidade, 3 mil vidas são perdidas por dia nas estradas e ruas ou a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (Produto Interno Bruto) de cada país.

Leia também
Exército mantém vigilância nas rodovias da Serra
Preço do tomate e da batata disparam na Ceasa Serra
Tapetes de serragem encantam fiéis em Flores da Cunha 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros