Em Antônio Prado, preservação dos bens históricos passa pela educação patrimonial - Cidades - Pioneiro
 

Tombamento #2/317/05/2018 | 07h00Atualizada em 17/05/2018 | 21h58

Em Antônio Prado, preservação dos bens históricos passa pela educação patrimonial

Projetos de conscientização buscam contornar a falta crônica de recursos para a manutenção dos imóveis tombados da cidade mais italiana da Serra

Em Antônio Prado, preservação dos bens históricos passa pela educação patrimonial Lucas Amorelli/Agencia RBS
Pesquisador Fernando Roveda trabalha com kits educativos que são distribuídos para as escolas da rede pública do município Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

>> LEIA TAMBÉM:  Saiba quais são os caminhos para tornar o patrimônio histórico de Antônio Prado rentável 

Ainda falta muito para que o maior patrimônio arquitetônico da imigração italiana no Brasil esteja nas condições em que ele merece. A preservação dos 48 imóveis tombados no Centro Histórico de Antônio Prado depende dos sempre escassos recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da boa vontade de seus proprietários, muitos dos quais ainda se ressentem das restrições de uso impostas pelo governo federal na década de 1980. 

Leia mais
Antônio Prado, a cidade mais italiana do Brasil, luta para manter seu patrimônio histórico
Mesmo tombados, prédios históricos de Caxias do Sul correm o risco de desaparecer
Proprietários enfrentam dificuldades para reformar prédios históricos em Caxias do Sul   

Mesmo com todas as dificuldades, porém, é possível afirmar que a cidade caminha lentamente para uma conciliação com sua história. Um dos responsáveis diretos por essa mudança de visão é o pradense Fernando Roveda. Em 30 anos de atuação junto ao patrimônio, o Mestre em Turismo e Hospitalidade pela UCS resgatou praticamente sozinho a identidade das casas tombadas. 

— Quanto mais tu conhece, mais tu preserva — justifica.

Conheça, a seguir, os caminhos e desafios para a preservação do patrimônio histórico da cidade mais italiana da Serra.

Leia também
Serra não tem casos recentes de exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais
Visate diz que vai buscar negociação para que aumento da tarifa de ônibus em Caxias seja menor


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros