Memória: os leões de Michelangelo Zambelli no Parque Cinquentenário - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga04/04/2018 | 07h30Atualizada em 04/04/2018 | 18h11

Memória: os leões de Michelangelo Zambelli no Parque Cinquentenário

Esculturas foram criadas originalmente para circundar a Estátua da Liberdade, inaugurada na Praça Dante em 1922 

Memória: os leões de Michelangelo Zambelli no Parque Cinquentenário Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação/divulgação
As amigas Zélia De Carli Fasoli e Odila Zatti junto ao leão situado nos fundos do Parque Cinquentenário, em 1939 Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação / divulgação

Quando se fala em leões decorativos em logradouros públicos de Caxias, a primeira imagem que vem à cabeça são os dois exemplares na entrada do Parque Cinquentenário, no bairro São Pelegrino. A história dos primeiros felinos de gesso instalados na cidade, porém, remete a outro local: a Praça Dante Alighieri, no longínquo ano de 1922. Foi quando Michelangelo Zambelli esculpiu a Estátua da Liberdade, inaugurada por ocasião do centenário da Independência do Brasil, em 7 de setembro daquele ano. 

Estátua da Liberdade, um símbolo da Praça Dante desde 1922
Atelier Zambelli: um ícone da arte sacra
O Cine Central e as esculturas de Estácio Zambelli
Para recordar de Estácio Zambelli 

Fazendo composição com a balaustrada e o pedestal, dois leões decoravam o então chamado Largo da Independência, com a frente e as escadarias voltada para a Av. Júlio de Castilhos. Conforme reportagem do jornal "O Brazil", de 15 de abril de 1922, Zambelli também foi o responsável pelas esculturas dos "guardiões" da estátua, então uma "encomenda da municipalidade":

"A base (da coluna) será caprichosamente decorada, tendo em cada uma de suas extremidades, representando a força do Brasil, dois grandes leões, que já estão quase ultimados. A figura da Liberdade medirá dois metros e meio de altura. Balaustres, vasos e outros ornamentos completarão a obra de vulto em preparo". 

Manifestação contra a emancipação do distrito de Nova Trento por volta de 1923. Ao centro, a Estátua da Liberdade e dois leões nas lateraisFoto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação
O antigo Largo da Independência, com a Estátua da Liberdade e apenas um leão (à esquerda) em 1925Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação
O antigo Largo da Independência, com a Estátua da Liberdade e apenas um leão (à esquerda) por volta de 1922Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação
Praça Dante: a 5ª Turma do Tiro de Guerra de Caxias em frente à Estátua da Liberdade, em 1925, com apenas um leão (à esquerda)Foto: Julio Calegari, Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação

Da praça para o parque

A dupla, porém, não permaneceu na Praça por muito tempo. Conforme registros do jornal "Caxias", em 1928 os dois exemplares não circundavam mais a estátua — devido às obras de nivelamento do terreno realizadas na administração do intendente Celeste Gobbato. Segundo a edição do dia 6 de setembro de 1928, os leões teriam sido removidos para o novíssimo Parque Cinquentenário, inaugurado em 1925 por ocasião dos 50 anos da imigração italiana na Serra Gaúcha (daí o nome). 

Do outro lado da cidade, eles passaram a contornar o Obelisco do Cinquentenário, nos fundos do terreno. Exatamente como mostra a foto abaixo, do casal de namorados Raul e Nilva Randon por volta de 1951, posando com um dos leões e o monumento atrás. Já na foto que abre a matéria, vemos a rainha da Festa da Uva de 1934, Odila Zatti, e a amiga Zélia De Carli Fasoli posando junto ao leão em janeiro de 1939, também no parque.   

Leia mais:
Para recordar de Odila Zatti, rainha da Festa da Uva de 1934
O casamento de Raul Randon e dona Nilva em 1956
Raul Randon e uma vida para recordar
Encontro da família de Domenico Tronca no Parque Cinquentenário em 1936

Os namorados Nilva e Raul Randon junto ao leão, nos fundos do Parque Cinquentenário, por volta de 1950Foto: acervo família Randon e Editora Belas Letras / divulgação

A mudança

Os leões que contornavam o obelisco nos fundos do Parque Cinquentenário são os mesmos que decoram o pórtico desde o final dos anos 1970. A mudança definitiva ocorreu durante a grande reforma de 1978. Conforme matéria do "Jornal de Caxias" de 24 de junho de 1978, o parque recebeu nova iluminação, melhorias nos lagos e nas escadarias, e o famoso pombal. 

Os leões atualmente

Nas imagens abaixo, a entrada do Parque Cinquentenário atualmente. Há alguns anos, as esculturas receberam limpeza e uma pintura em tom amarelado, descaracterizando seu aspecto original. 

 CAXAIS DO SUL, RS, BRASIL, 03/04/2018 -Leões da entrada do Parque Cinquentenário, no bairro São Pelegrino. Estátuas são obra do escultor e artista plástico Michelangelo Zambelli, do lendário Atelier Zambelli. Originalmente eles foram criados para acompanhar a Estátua da Liberdade, na Praça Dante, por ocasião da inauguração, em 1922. Foram para o Parque na época do cinquentenário da imigração italiana, em 1925. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)
O acesso ao parque atualmente, com os leões pintados de amareloFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
 CAXAIS DO SUL, RS, BRASIL, 03/04/2018 -Leões da entrada do Parque Cinquentenário, no bairro São Pelegrino. Estátuas são obra do escultor e artista plástico Michelangelo Zambelli, do lendário Atelier Zambelli. Originalmente eles foram criados para acompanhar a Estátua da Liberdade, na Praça Dante, por ocasião da inauguração, em 1922. Foram para o Parque na época do cinquentenário da imigração italiana, em 1925. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)
Esculturas foram obra de Michelangelo Zambelli em 1922Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
 CAXAIS DO SUL, RS, BRASIL, 03/04/2018 -Leões da entrada do Parque Cinquentenário, no bairro São Pelegrino. Estátuas são obra do escultor e artista plástico Michelangelo Zambelli, do lendário Atelier Zambelli. Originalmente eles foram criados para acompanhar a Estátua da Liberdade, na Praça Dante, por ocasião da inauguração, em 1922. Foram para o Parque na época do cinquentenário da imigração italiana, em 1925. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)
Esculturas são símbolos da entrada do Parque Cinquentenário desde os anos 1970 Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Leia mais:
Os antigos quiosques da Praça Dante Alighieri
Um coreto no coração da Praça Dante
Jardins da Praça Dante Alighieri nos anos 1950
Confira um vídeo com imagens raras da Praça Dante em 1957
As rosas da praça e o horto municipal nos anos 1960
Busto de Dante Alighieri completa 100 anos na Praça
Jimmy Rodrigues e a antiga praça das rosas
Praça Dante Alighieri e arredores nos anos 1930 e 1950
Anos 1950: flertes dominicais nos arredores da Praça Dante

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros