Memória: formatura de Hermínio Bassanesi em 1946 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga12/04/2018 | 07h30Atualizada em 12/04/2018 | 13h51

Memória: formatura de Hermínio Bassanesi em 1946

Fundador da Molduraria Caxiense cursou a Escola de Comércio de Caxias do Sul, junto ao então Ginásio Nossa Senhora do Carmo  

Memória: formatura de Hermínio Bassanesi em 1946 Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação/divulgação
Hermínio Bassanesi (o segundo na fila do meio, atrás do paraninfo Eduardo Mosele) e os jovens colegas contadores em 1946 Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação / divulgação

A formação foi em exatas, como contador, mas a atuação foi nas humanas, mais especificamente nas artes plásticas. E por toda a vida, até falecer, em 2015. Falamos de seu Hermínio Adelmar Bassanesi, o Bassa, nome eternamente atrelado à história da Molduraria Caxiense – fundada por ele e funcionando até hoje, na Rua Moreira César, em São Pelegrino.

Hermínio Bassanesi, uma vida atrelada à arte

Nascido em 1925, seu Hermínio recebeu em 20 de dezembro de 1946 o diploma de contador, após concluir o curso oferecido pela Escola de Comércio de Caxias do Sul, junto ao Ginásio Nossa Senhora do Carmo. É dessa solenidade a imagem acima, em que o jovem aparece junto aos colegas e ao empresário e paraninfo da turma Eduardo Mosele (um dos fundadores da vinícola da Av. Rio Branco). 

Lembranças da Vinícola Mosele
Vinhos Raposa: um clássico da Mosele
Demolição da Vinícola Mosele em 1981 

Conforme anotações no verso da foto original, o grupo era formado ainda por nomes como Délcio Nabinger, Sergio Weber, Enio Favaro, Renato Rossi e Luciano Castilhos, entre outros. Outra curiosidade diz respeito ao diploma de seu Hermínio Bassanesi, integrante do acervo do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami. 

Nele, percebe-se claramente, pelas rasuras do documento, a alteração de duas datas: a de nascimento (de 1925 para 1928) e a da formatura em si (de 1946 para 1949), um intervalo de três anos (foto abaixo).

Foto: Acervo pessoal / divulgação

Trajetória

Após a formatura, seu Hermínio iniciou profissionalmente na Metalúrgica Abramo Eberle. Mas os cálculos e números logo foram deixados de lado. Convidado pelo irmão Otoni, entrou como sócio de uma fábrica de espelhos instalada na Rua Coronel Flores, próximo à Estação Férrea, em 1952. 

Já com a transferência para o atual endereço da Moreira César, o negócio passou a abarcar os trabalhos de emolduração e vidraçaria. Era o início da fase áurea da casa, a primeira a contar também com uma galeria de arte, inaugurada em 1981. 

Uma trajetória que segue sob o comando de Dalfrei Carniel Horbach, iniciado na molduraria em 1979, aos 14 anos.

Memórias de subsolo: conheça a antiga adega da família Andreazza, em São Pelegrino

Identificação dos formandos

A imagem que abre a matéria integra o acervo do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, mas carece da identificação de vários outros jovens formandos. Você reconhece ou tem mais informações sobre algum deles? Entre em contato pelo e-mail rodrigolopes33@gmail.com.

Leia mais:
Para recordar do bairro São Pelegrino
Lembranças recheadas de sabor no antigo Pastifício Caxiense
São Pelegrino: ontem e hoje  
Bar Danúbio nos anos 1950: sorvetes, bebidas e guloseimas 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros