Memória: encontro da família Gobbato em Monte Bérico - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Farroupilha 13/04/2018 | 07h30Atualizada em 13/04/2018 | 13h24

Memória: encontro da família Gobbato em Monte Bérico

Descendentes de Rústico Gobbato reúnem-se no próximo dia 21 de abril  

Memória: encontro da família Gobbato em Monte Bérico Acervo de família / divulgação/divulgação
Rústico Gobbato e Luiza Arsego Gobbato com 25 dos 28 filhos em 1956, durante as bodas de prata / acervo de família, divulgação Foto: Acervo de família / divulgação / divulgação

 Uma história que remete aos primórdios da colonização italiana na região será recordada em Monte Bérico, 3º distrito de Farroupilha, no próximo dia 21 de abril. É quando ocorre o 1º Encontro da Família Gobbato, cuja programação engloba um café da manhã típico (colazione) e um almoço.

A história da família na Serra Gaúcha tem início em 1898, com a chegada da imigrante italiana Anna Trentin Gobbato, viúva do também italiano Majolo Gobbato. Após a morte do marido, no Rio de Janeiro, Anna rumou ao Rio Grande do Sul com os seis filhos: Rústico, Pacífico, Próspero, Reingarda, Celestina e Ermínia. Estabelecida inicialmente na Linha Palmeiro, em Bento Gonçalves, a família logo adquiriu terras na Linha Azevedo, junto à comunidade de Monte Bérico, em Farroupilha, onde dedicou-se à vitivinicultura.

Farroupilha eternizada no Studio Dal Monte

O encontro deste domingo parte dos descendentes do filho Rústico Gobbato, que já em 1912, aos 29 anos, começava a atuar na área da educação, lecionando na primeira escola da comunidade — como não era naturalizado brasileiro, na década de 1940 ele foi substituído pela filha Izena, devido às políticas nacionalistas do governo de Getúlio Vargas durante a Segunda Guerra Mundial.

Conforme informações disponibilizadas pela família, Rústico teve um total de 18 filhos, 15 com a primeira esposa, Carolina Dalzochio Gobbato; três com a segunda, Luiza Arsego, viúva e mãe de outros 11, de suas primeiras núpcias. Toda essa prole — ou quase toda — esteve reunida nas bodas de prata de Rústico e Luiza, em 6 de outubro de 1956, quando foi tirada a foto acima. O local é defronte à igreja da localidade de Monte Bérico,  interior de Farroupilha. Exatamente onde os descendentes se reúnem dia 21, 62 anos depois.

 Leia mais:
Encontro da família Fermiano Alves em Criúva
Encontro da família Ferro em Vila Flores
Encontro da família Soldatelli em São Marcos
Os 125 anos da família Tonus no Brasil
Encontro internacional da família Bigolin em Pinto Bandeira
Imigração italiana: Isidoro Bigolin e o brinco de ouro
Encontro da família Peruchin em Vacaria   

Rústico Gobbato e Luiza Arsego Gobbato com os 28 filhos em 1956, durante as bodas de prata / acervo de família, divulgaçãoFoto: Acervo de família / divulgação

Curiosidade da foto

Na imagem acima, vemos Rústico e a segunda esposa, Luiza (sentados ao centro), com seus 28 filhos. A partir da fila da frente estão Fiorindo, Reinaldo, Dolvino, Vitalino, Ricardo, Marcelo, Anézio, Adelina, Idalina, Maria, Eugênia, Rachel, Albina, Gonçalino, Gema, Vitalina, Santina, Anita, Assunta, Rosa, Clélia, Ester, Lorena, Anézia e Terezinha.

Naquele 6 de outubro de 1956, porém, três filhas não estavam presentes. Izena, Gonçalina e Clementina foram "aplicadas" posteriormente na imagem, conforme percebe-se na montagem à direita, na fila de trás. 

Abaixo, Rústico e Luiza com os filhos, genros e noras.Na sequência, o casamento da filha Lorena Gobbato com Egídio Emer, em 17 de fevereiro de 1950, na igreja velha de Monte Bérico. 

Leia mais:
Maio: mês para recordar de noivos e antigos casamentos
Maio: antigas noivas e homenagens
Noivas de maio e de vários outros meses

Rústico e Luiza com os filhos, genros e noras em 1956, durante as bodas de prataFoto: acervo de família / divulgação
O casamento de Lorena com Egídio Emer, em 17 de fevereiro de 1950Foto: Acervo de família / divulgação

O patriarca

Além de atuar como professor e educador, Rústico Gobbato ocupou os cargos de diretor da Sociedade Vitivinícola Monte Bérico e de presidente da Associação Rural de Farroupilha. Ele faleceu em 26 de setembro de 1958, aos 75 anos.

Na reprodução abaixo, o obituário publicado na edição de 22 de outubro de 1958, no jornal Correio Riograndense.

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

O convite

Abaixo, a reprodução do convite original da celebração das bodas de prata de Rústico e Luiza, em 6 de outubro de 1956.

Foto: Acervo de família / divulgação
Foto: Acervo de família / divulgação

Três gerações

No encontro do dia 21 devem estar presentes as representantes mais velhas da família: Izena (95 anos) e Teresinha (99 anos), filhas de Rústico com Carolina Dalzochio; e Gonçalina (85), Vitalina (83) e Clélia (80), filhas de Rústico com Luiza Arsego.

Contatos

Mais informações e ingressos pelos fones (54) 99983.8081 ou (54) 99972.5645 ou pelo e-mail nadia.eg@terra.com.br.

Participe da coluna

Você possui fotos antigas de família ou está organizando algum encontro de descendentes? Envie imagens em alta resolução, com a identificação das pessoas e um breve histórico, para o e-mail rodrigolopes33@gmail.com.

Leia mais:
Memórias do bairro Lourdes: a zona Caipora e o bairro Guarani
A história do prédio do Arquivo Histórico Municipal
O pioneirismo da família de Vicente Rovea
Venda a granel: ontem, hoje e sempre
De volta aos antigos armazéns
Um retorno aos velhos secos & molhados  
O Grande Baratilho de Antonio De Lazzer
Antigos verões: o Balneário De Lazzer  

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   


 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros