Coletivo Viva.Cidade será lançado nesta terça-feira em Caxias do Sul - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Programe-se!17/04/2018 | 09h37Atualizada em 17/04/2018 | 11h00

Coletivo Viva.Cidade será lançado nesta terça-feira em Caxias do Sul

O projeto nasceu em 2012, com o movimento Limpa Caxias, que debate a poluição visual e as intervenções no patrimônio histórico

Ocupar os espaços, andar de bicicleta, usar o transporte coletivo urbano, adotar canteiros e hortas comunitárias, praticar esportes nas escadarias dos parques, caminhar juntos pelas ruas da cidade. Viver Caxias do Sul e transformar a cidade em um organismo vivo e pensante. Essa é a intenção do coletivo Viva.Cidade que será lançado nesta terça-feira, às 19h, na Biblioteca Parque, no Largo da Estação Férrea, em Caxias do Sul. 

O projeto, de certa forma, nasceu em 2012, com o movimento Limpa Caxias, que debate a poluição visual e as intervenções no patrimônio histórico da cidade. Como a adesão ao Limpa Caxias cresceu, principalmente nas redes sociais, a ideia de expandir o conceito e unir projetos que mesclem Arquitetura e Urbanismo, Sociologia e Psicologia e incentivem a comunidade a participar de ações coletivas, ganhou forma. O lançamento integra o Projeto Saergs Na Estrada, promovido pelo Sindicato dos Arquitetos no Estado do Rio Grande do Sul (Saergs). 

Para inspirar os projetos e demonstrar como serão as ações realizadas pelo Viva.Cidade em Caxias, a programação apresentará um case do TransLAB.URB, coletivo que realiza intervenções em Porto Alegre. O grupo palestrará sobre a Criação de Rede Distribuída e Empoderamento do Espaço Público e fará uma ação de Urbanismo Tático no local, com a chamada Arquitetura Efêmera Inflável. Na Capital, o TransLAB.URB  já promoveu diversas intervenções de ocupação de espaços públicos como o WikiPraça Poa, que abordou e debateu aspectos do Viaduto Tiradentes, conhecido como Viaduto "da Silva Só" e a relação da comunidade com o local, o Vagas-Vivas, que transforma vagas de estacionamento em espaços de convivência social, e as hortas comunitárias, com a transformação de canteiros ou terrenos abandonados em hortas onde a comunidade planta e colhe alimentos. 

A arquiteta Jéssica de Carli, diretora do Saergs e uma das fundadoras do projeto, explica que o Viva.Cidade é um laboratório de intervenções urbanas. Para ela, é preciso ir além da questão do patrimônio histórico e debater também as demais intervenções urbanas despertando o senso de pertencimento da população:

— Hoje, 85% da população mundial vive no meio urbano. Então, nos perguntamos como qualificar esse meio? Mudar e transformar esses cenários? Queremos falar de outras intervenções urbanas, não apenas do patrimônio histórico, que é uma das nossas bandeiras mais fortes, mas precisamos também de ações que envolvam a comunidade, porque não andar de bicicleta ou a pé, juntos, pelas ruas de Caxias, usar transporte público, praticar esportes nas escadarias do Parque dos Macaquinhos? A ideia é mudar a cidade e essas intervenções são para motivar a comunidade a participar dessa ocupação e modificação dos cenários urbanos. A rua é nossa, a cidade é nossa e acredito que temos que ocupar a Caxias, até mesmo a segurança passa por isso, afinal cidades ocupadas são cidades mais seguras, tudo passa pela ocupação das cidades. Vamos fazer de Caxias uma cidade mais viva, viver realmente Caxias do Sul. 

As ações do Viva.Cidade serão divulgadas pelas redes sociais, e conforme ocorrer a adesão da comunidade serão criado grupos de trabalho para realizar as intervenções urbanas, em conjunto com universidades, poder público e iniciativa privada.

Leia também
Ciee Caxias tem 120 vagas disponíveis para estágio
Empresa caxiense forma e emprega 100 jovens

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros