Audiência com o Ministério Público discute abertura de posto de saúde em Caxias - Cidades - Pioneiro
 

De portas fechadas17/04/2018 | 13h19Atualizada em 17/04/2018 | 14h15

Audiência com o Ministério Público discute abertura de posto de saúde em Caxias

Pronto há um ano e quatro meses, prédio no bairro Cristo Redentor não tem atendimentos

Audiência com o Ministério Público discute abertura de posto de saúde em Caxias Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Além do Cristo Redentor, o posto de saúde contempla bairros como o Panazzolo, Exposição, Vila Ipiranga e o loteamento Flor da Serra Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Após quase uma década na espera de uma Unidade Básica de Saúde (UBS), a comunidade do bairro Cristo Redentor, em Caxias do Sul, agora enfrenta uma outra batalha: o prédio, que está pronto há um ano e quatro meses, ainda não está aberto ao público. Além do Cristo Redentor, o posto de saúde contempla bairros como o Panazzolo, Exposição, Vila Ipiranga e o loteamento Flor da Serra. 

Para tentar resolver o problema, uma reunião entre as lideranças dos bairros e o Ministério Público (MP) ocorre nesta terça-feira (16). O encontro ocorre após ter sido protocolado junto ao MP um abaixo-assinado contendo mais de 3 mil assinaturas cobrando um posicionamento da prefeitura. 

Segundo a presidente da Associação dos Moradores do bairro Cristo Redentor, Nivea Rosa, a expectativa é que o MP possa intervir junto à administração municipal para a solução do problema.

— Há tempos tentamos contato com a Secretaria da Saúde e com a prefeitura para sabermos os reais motivos da não abertura da UBS. Nossa luta, agora, é para que o MP faça a sua parte e cobre do governo, já que nós, moradores, não podemos mais esperar pela abertura — diz.

Aprovada como prioridade ainda no Orçamento Comunitário de 2009, a UBS Cristo Redentor tem 366 m² distribuídos em uma sala de grupo, uma sala de observação, um consultório ginecológico, dois consultórios odontológicos, cinco consultórios multiprofissionais (podem ser usados por pediatras, médicos clínicos, assistentes sociais e enfermagem), uma sala de vacinas, farmácia, recepção, sala de gerência, almoxarifado, copa, sala de lavagem e esterilização de materiais, depósito de materiais de limpeza e sanitários.

A falta de atendimento tem obrigado os moradores da região a procurar consultas em outros postos da zona leste, como os do Bela Vista e Planalto. Além da travessia da BR-116, mais de 13 mil moradores do Cristo Redentor enfrentam a demora no atendimento, já que não tem prioridade por serem de outra região da cidade.

O que diz a prefeitura:

Segundo a Secretaria da Saúde, as chaves do imóvel foram recebidas pela prefeitura em julho de 2017 e foram encaminhadas duas licitações. A da compra de móveis já foi documentada e aguarda ser protocolada na prefeitura. Já a de equipamentos médicos foi lançada e a empresa vencedora está na fase de representação de amostras dos produtos. As licitações são válidas para as UBS do bairro Cristo Redentor, Reolon e São Vicente. Porém, não há previsão de quando a UBS estará em funcionamento.

Leia também
Falha em sistema do Detran pode ter afetado o pagamento de 36,6 mil documentos
Ciee Caxias tem 120 vagas disponíveis para estágio
Empresa caxiense forma e emprega 100 jovens
Pais reclamam que filhos estão sendo excluídos da rede de ensino em Caxias do Sul 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros