Obras de pavimentação de oito estradas do interior de Caxias devem começar em 2018 - Cidades - Pioneiro
 

Infraestrutura05/03/2018 | 08h02Atualizada em 05/03/2018 | 08h02

Obras de pavimentação de oito estradas do interior de Caxias devem começar em 2018

Trechos fazem parte do pacote custeado com empréstimo de US$ 33 milhões tomado pela prefeitura de Caxias

Obras de pavimentação de oito estradas do interior de Caxias devem começar em 2018 Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Quase 34 quilômetros de estradas do interior de Caxias do Sul devem começar a ser asfaltados ainda em 2018. De acordo com a prefeitura, duas obras do Programa de Desenvolvimento da Infraestrutura (PDI) sairão do papel até julho e outras seis no segundo semestre.

Leia mais
Novo projeto de asfaltamento do interior busca priorizar o turismo e o agronegócio em Caxias
Empréstimo de US$ 33 milhões para asfalto no interior de Caxias é aprovado pelo Senado

Os trechos pavimentados fazem parte do pacote de obras custeado pelo empréstimo de US$ 33 milhões (R$ 107 milhões) captado junto à Cooperação Andina de Fomento (CAF). Representantes da entidade estiveram em Caxias no início de fevereiro. No início de fevereiro, o município apresentou um cronograma de trabalho para receber os recursos. A proposta do PDI, sucessor informal do Programa de Asfaltamento do Interior (PAI) da gestão municipal anterior, é privilegiar obras em locais importantes para o turismo e para a produção rural. 

Um dos primeiros trechos que receberá a pavimentação corresponde às estradas municipais 92 e João Edgard Jung, que ligam o distrito de Santa Lúcia do Piaí à localidade de Linha Sebastopol, no distrito de Vila Cristina. Serão 15,7 quilômetros asfaltados no que deve ser o maior trecho contemplado pelo programa. A via é usada para escoar a produção agrícola de Santa Lúcia até Porto Alegre. O empreendimento, porém, também terá a maior duração, pois as obras devem ser concluídas somente no primeiro semestre de 2020. 

Outro caminho que deve começar a receber melhorias até julho é a Estrada Municipal Arziro Galafassi, no limite com Farroupilha. Conhecida como Estrada dos Romeiros, a via é utilizada para chegar ao Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio e terá 3,8 quilômetros asfaltados.

No segundo semestre, será a vez de outros seis trechos, em Fazenda Souza, Criúva e na Terceira Légua, entre outras localidades (veja abaixo). Um dos trajetos mais curtos, cujas obras devem acabar já no fim do ano, é o da Estrada Municipal Waldemar José Pante, na saída de Criúva para São Jorge da Mulada.

Serão somente 260 metros de pavimentação, mas que prometem fazer a diferença na vida de quem mora por ali. O aposentado Luiz Carlos do Prado, 45, explica que o local dá acesso a pelo menos três balneários e ao Memorial da Família Bertussi. 

— É um local turístico, tem muito movimento e sobe muita poeira, fica horrível. Acho que no fim de semana tem mais movimento que na rua principal (do distrito) — relata o morador, que diz que a obra é esperada há mais de 12 anos. 

De acordo com o secretário municipal do Planejamento, Fernando Mondadori, além das oito obras para este ano, o programa contemplará a pavimentação da Estrada Municipal José Zanette, partindo das saídas da BR-116 e da RSC-453 (Rota do Sol), e a construção de um novo acesso ao bairro Planalto.

— Nestas duas obras estamos fazendo ajustes no projeto, por isso não foi possível divulgar o prazo, nem será possível iniciar neste ano — explica o secretário. 

Inicialmente, a prefeitura previa que 16 pontos fossem asfaltados com o empréstimo. Mondadori diz, porém, que o restante das obras está em análise de viabilidade. Mesmo assim, garante que serão pavimentados pelo menos 68 quilômetros de estradas no total.

— A quantidade de trechos ainda estamos encaixando no orçamento. Logo que definirmos, divulgaremos. A previsão é de 180 dias para estas definições de viabilidade — projeta.

A liberação do empréstimo junto à CAF tramitava em Brasília desde 2014. Devido ao aumento no preço do dólar, o montante original de US$ 50 milhões foi reduzido para US$ 33 milhões. O município tem prazo de 16 anos para quitar o valor.

Asfaltamento aumenta expectativa por visitantes

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (01/03/2018). Estrada Municipal 101. Anunciada pavimentação asfáltica no trecho entre a BR 116 e Gruta de São Pedro, na Terceira Légua. Márcio Sirtoli, diretor da Vinícola Tradição,  relata a importância da obra.  (Roni Rigon/Pioneiro).
Vitivinicultor Márcio Sirtoli, 28, espera que asfaltamento da Estrada Municipal 101, na Terceira Légua, facilite o acesso dos turistasFoto: Roni Rigon / Agencia RBS

A chegada do asfalto é aguardada ansiosamente por empreendedores do interior. Márcio Sirtoli, 28, proprietário da Vinícola Grutinha, que desde 2001 produz vinhos da marca Tradição, na Terceira Légua, é um deles. O negócio está às margens da estrada que deve ser asfaltada no segundo semestre. 

— Hoje, o acesso é bem difícil. Transportadoras de ônibus de turismo não querem vir por causa do trecho de dois quilômetros de estrada de chão. Ontem mesmo (quarta-feira, dia 28 de fevereiro), dois grupos que já conheciam meu produto queriam vir de Santa Catarina, mas era ônibus leito e não tinha como passar pelo caminho — reclama Sirtoli. 

Com a pavimentação prevista dos 2,5 quilômetros da Estrada Municipal 101, conhecida como Estrada da Gruta, desde a BR-116 até a Gruta da Terceira Légua, o problema estaria resolvido. As obras têm previsão de conclusão no fim de 2019.

Mesmo com as dificuldades, hoje Sirtoli recebe um grupo de turistas a cada 15 dias, em média, a maioria da região metropolitana de Porto Alegre para passeios de um dia. 

— No nosso tour mostramos a produção de vinho, suco, graspa e incluímos a Igreja Sagrados Corações, que é uma das mais antigas de Caxias — explica.

Para os turistas, é possível chegar ao local também pela Estrada do Imigrante, partindo do bairro Nossa Senhora das Graças. O caminho, porém, é inviável para escoar a produção da vinícola.

— Tem que dar toda a volta e sair lá no bairro Kayser. Também tem um pedaço de chão e é bem mais distante — diz o vitivinicultor.

Por isso, diariamente pelo menos dois caminhões cruzam o trecho de terra entre a vinícola e a BR-116 para transportar a produção anual de 1,5 milhão de litros de sucos e vinhos da vinícola. A via asfaltada daria mais agilidade e também estimularia a visita de turistas, acredita o produtor. Ele está investindo para receber mais visitantes já para a próxima Festa da Uva.

— Estamos investindo, reformando para receber turistas diariamente. A expectativa é que em um ano as instalações fiquem prontas — projeta Sirtoli. 

CRONOGRAMA DAS OBRAS

:: Estrada 92 + Estrada João Edgar Jung (Santa Lúcia do Piaí/Sebastopol)
Início: primeiro semestre deste ano
Conclusão: primeiro semestre de 2020
Distância: 15,65 quilômetros

:: Estrada Arziro Galafassi (Estrada dos Romeiros) Início: primeiro semestre deste ano
Conclusão: primeiro semestre de 2019
Distância: 3,85 quilômetros

:: Rua Patrício Pasquali (Fazenda Souza/Vila Seca) Início: segundo semestre deste ano
Conclusão: segundo semestre de 2019
Distância: 7,45 quilômetros

:: Estrada 101 (Terceira Légua) Início: segundo semestre de 2018
Conclusão: segundo semestre de 2019
Distância: 2,5 quilômetros

:: Estrada Domingos Mazzocchi (São José/São Braz) Início: segundo semestre de 2018
Conclusão: primeiro semestre de 2019
Distância: 2,38 quilômetros

:: Estrada 61 + Estrada 19 (São Pedro da Terceira Légua/Estrada do Vinho) Início: segundo semestre de 2018
Conclusão: primeiro semestre de 2019
Distância: 1,45 quilômetros  

:: Estrada Waldemar José Pante (saída de Criúva/São Jorge da Mulada) Início: segundo semestre deste ano
Conclusão: segundo semestre deste ano
Distância: 260 metros

:: Estrada 386 (saída de Criúva/Campestre da Serra) Início: segundo semestre de 2018
Conclusão: segundo semestre de 2018
Distância: 250 metros

Para 2019

:: Pavimentação de 4,15 quilômetros da Estrada José Zanette (Rota do Sol/São Gotardo/BR-116)

:: Reformulação do acesso ao bairro Planalto (pela BR-116)

Sob análise

:: Estrada Professor Natalino Boschetti (Dalagno/São Jorge da Mulada) Distância: 14,7 quilômetros

:: Estrada 165 (Rota do Sol até limite com São Marcos)
Distância: 7,95 quilômetros

:: Estrada 163 (Rota do Sol em direção à comunidade de Menino Deus) Distância: 3,55 quilômetros

:: Estrada da Uva (Loreto/São Valentim)
Distância: 1,9 quilômetro

:: Estrada João Boldo (ERS-122/Pedancino/ERS-122)
Distância: 1,6 quilômetro

:: Rua Padre Rossi (Ana Rech)
Distância: 530 metros

Total do programa: 68,17 quilômetros

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros