Memória: bênção da matriz de Galópolis em 1947 - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga15/02/2018 | 07h30Atualizada em 15/02/2018 | 08h18

Memória: bênção da matriz de Galópolis em 1947

Família Chaves Barcellos custeou boa parte das obras da igreja, que tiveram a supervisão de João Laner Spinato

Memória: bênção da matriz de Galópolis em 1947 Acervo pessoal de Therezinha Spinato Bissaco/Divulgação
Família de Ismael Chaves Barcellos (de terno escuro) foi homenageada na missa de 2 de março de 1947. Foto: Acervo pessoal de Therezinha Spinato Bissaco / Divulgação

Símbolo máximo da religiosidade do povo de Galópolis, a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia levou cerca de nove anos para ser entregue à comunidade. E pode-se dizer que, do tijolo avulso ao serão voluntário noturno, o bairro inteiro colaborou com a obra.

Os trabalhos tiveram início em 1938, a partir da cedência do terreno pela família Chaves Barcellos, então à frente do Lanifício São Pedro. Conforme informações contidas na publicação E Assim Eles Contavam..., com as memórias do gerente do lanifício e supervisor das obras João Laner Spinato, a paróquia não dispunha de meios pecuniários para arcar com as despesas da construção, cabendo à fábrica cobrir a maior parte do saldo devedor.

Galópolis ganha uma nova igreja em 1947
Galópolis vista do Morro da Cruz em 1959
Família Rigon e os povoadores da Colônia Caxias
Galópolis: Grupo de Bolão Explosivo em 1945
Casarão da família Stragliotto, um símbolo de Galópolis 

O projeto, as plantas e o orçamento foram executados pelos engenheiros Sady de Castro e Luís Leseugner de Farias. Após a medição da área por José Ariodante Mattana, em janeiro de 1939 os pedreiros Antonio Kistchner e Ferdinando Guizzo deram início aos alicerces. Cinco anos depois, em 1944, o templo recebeu o telhado e o reboco das paredes. Já em 1946, a firma Kaufmann & Schumacher realizou a pintura interna e externa.

Em meio a tudo isso, Spinato inspecionava os trabalhos, escolhia materiais e incentivava a comunidade, que, com o auxílio do pároco Angelo Mugnol, realizava festas e rifas para arrecadar mais verbas. O resultado chegou em março de 1947, com uma ampla programação festiva que perdurou por dois dias. 

Inauguração da Igreja Matriz de Galópolis em 1947

Na foto acima, a bênção da igreja, ocorrida em 2 de março de 1947. À frente, aparece o empresário Ismael Chaves Barcellos (de terno escuro), acompanhado pelo filho José Chaves Barcellos (à direita) e parte da família. O registro traz ainda as irmãs da Congregação do Imaculado Coração de Maria, a senhora Luiza Gitzler Spinato e o marido, João Laner Spinato (na segunda fila, à direita, olhando para trás). A imagem foi gentilmente cedida por dona Therezinha Spinato Bissaco, filha de Luiza e João, que tinha 12 anos à época.

Leia mais:
Residência da família Spinato em Galópolis
Therezinha Spinato: um baile de gala no Recreio da Juventude em 1955
Galópolis na Festa da Uva de 1954 

Igreja Matriz de Galópolis Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, à epoca de sua inaiguração, em março de 1947.
A igreja recém-construída em 1947, com a praça ainda em obras e parte da vila operária (ao fundo)Foto: Sisto Muner / Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami,divulgação

Lembranças de João Laner Spinato

Antigo gerente do Lanifício São Pedro, João Laner Spinato (1899-1977) recordou de vários episódios curiosos ocorridos durante a construção do templo. As histórias integram a coletânea E Assim Eles Contavam..., organizada pela filha Lori Spinato Torresini em 1998.

Uma delas diz respeito aos vitrais, produzidos pela famosa Casa Genta, de Porto Alegre. Conforme revelou Spinato, "... assim que os vitrais ficaram prontos, foram guardados no antigo almoxarifado da fábrica (Lanifício São Pedro), que ficava no corredor ao lado da fiação cardado. Quando do pavoroso incêndio que destruiu prédio e maquinário da mesma fiação (em 29 de janeiro de 1945), o almoxarifado estaria irremediavelmente perdido e, com ele, os vitrais. Não fosse ter ficado de pé justamente e somente a parede em frente, possibilitando acorrer com baldes de água. Esse trabalho salvou os vitrais da destruição, foi uma graça de Nossa Senhora."

Leia mais:
Galópolis: uma formatura de corte e costura em 1953
A trajetória da professora Ida Matté
Escolha da madrinha do Grupo de Bolão Explosivo em 1959
Teatro no Cine Operário de Galópolis em 1947 

 Caxias do Sul - RS - Brasil. 26/06/2012.Igreja do bairro Galópolis deve ser reformada. AS paredes to teto tem infiltrações, vitrais estão quebrados, pintura está velha e parte de madeira das paredes do altar será retirada.
Vitrais confeccionados na antiga Casa Genta, de Porto Alegre, são um dos destaques do temploFoto: Daniela Xu / Agencia RBS
 Caxias do Sul - RS - Brasil. 26/06/2012.Igreja do bairro Galópolis deve ser reformada. AS paredes to teto tem infiltrações, vitrais estão quebrados, pintura está velha e parte de madeira das paredes do altar será retirada.
Vitrais confeccionados na antiga Casa Genta, de Porto Alegre, são destaques arquitetônicos do temploFoto: Daniela Xu / Agencia RBS
 CAXIAS DO SUL,RS, BRASIL  (23/09/2014) Igreja Matriz de Galópolis. Igreja de Galópolis recebe manutenção em toda a sua estrutura interna e externa. Página do Ciro 2014. (Roni Riogon/Pioneiro)
Vitrais confeccionados na antiga Casa Genta, de Porto Alegre, são um dos destaques arquitetônicos Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

No coração da vila

Outro trecho da entrevista de Spinato contida no livro detalha a escolha do terreno: "... de fácil acesso, sem grandes e cansativas escadarias, proibitivas a velhos, reumáticos e cardíacos, e de estar localizado bem no centro, no coração da vida social da vila. Além de dispor de ampla praça, que realça a igreja e abriga a grande massa popular, sem os riscos ou atropelos do trânsito."

Leia mais:
Galópolis antiga: no escurinho do cinema
Capitel de São Roque: uma tradição de Galópolis
Galópolis: um museu a céu aberto
Museu de Território de Galópolis: um vínculo comunitário 

Vista da Igreja Matriz de Galópolis após sua conclusão, em 1947. Igreja Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, em Galópolis.
A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia à epoca de sua inauguração, em 1947Foto: Sisto Muner,acervo Instituto Hércules Galló / divulgação

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros