Encontro da família Peruchin em Vacaria - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

História26/02/2018 | 07h30Atualizada em 26/02/2018 | 08h20

Encontro da família Peruchin em Vacaria

Descendentes celebraram uma história iniciada em 1879, com a chegada do imigrante italiano Giuseppe Perucchin

Encontro da família Peruchin em Vacaria Acervo família Peruchin / divulgação/divulgação
A matriarca Maria Lissoni, viúva de Ferdinando Perucchin, com os filhos, netos e sobrinhos nos anos 1940 Foto: Acervo família Peruchin / divulgação / divulgação

A celebração às origens da família Peruchin ocorreu no último dia 17 de fevereiro, mas uma saga iniciada há quase 140 anos merece ser recontada. Falamos da trajetória do imigrante italiano Giuseppe Perucchin, natural da comuna italiana de Cornuda, província de Treviso, e chegado a Caxias do Sul em 20 de fevereiro de 1879.

De acordo com informações contidas no livro "Povoadores da Colônia Caxias", dos historiadores Mário Gardelin e Rovílio Costa, Giuseppe (José) Perucchin e a família adquiriram o lote 22 do Travessão Umberto I, na 6ª Légua de Caxias (São Valentim da 6ª Légua). À época com 42 anos, Giuseppe era casado com Antônia Gasparetto, 40, e já contava quatro filhos: Luigi (Luiz), 12; Antonio, nove; Rachele, sete; e Ferdinando, quatro.

Por volta de 1900, o primogênito Luiz (Luigi) mudou-se para Vacaria, onde fixou residência. Na cidade dos Campos de Cima de Serra, Luigi  casou-se com Emília Borges de Almeida, em 1905, nascendo dessa união Cecílio, Leonidia e José.

Já os outros filhos de Giuseppe permaneceram em Caxias. O caçula Ferdinando casou-se com Maria Lissoni, com quem teve seis descendentes: Rodolfo, Santa, Antonio José, Guilhermina, João e Pascoal. Já a irmã Rachele casou-se com Antonio Belincanta, enquanto que Antonio (o segundo mais velho) uniu-se a Henrica, com quem teve o filho Luiz.

Leia mais:
Bênção da Igreja Matriz de Galópolis em 1947
Família Rigon e os povoadores da Colônia Caxias
Galópolis: Grupo de Bolão Explosivo em 1945
Casarão da família Stragliotto, um símbolo de Galópolis  

Ferdinando Perucchin na juventude, no início do século passadoFoto: Acervo família Peruchin / divulgação

As fotos

Nas imagens acima e abaixo, alguns momentos da família Perucchin ao longo do século 20. Na foto que abre a matéria, Maria Lissoni (à esquerda), viúva de Ferdinando Perucchin, aparece com os filhos, netos e sobrinhos durante um encontro de família, em meados dos anos 1940.  Na sequência, acima, em destaque, Ferdinando na juventude. 

Abaixo, a família do irmão Luiz Peruchin, o Luigi, por volta de 1915. Ele aparece junto à esposa Emília Borges de Almeida e os filhos Leonidia, Cecílio e José.

Luigi Perucchin, a esposa Emília e os filhos
Luigi Perucchin (à direita), a esposa Emília e os filhos Leonidia, Cecílio (C) e JoséFoto: Acervo família Peruchin / divulgação

Um século depois

Passados 101 anos da morte do patriarca Giuseppe Perucchin, em 1917, a família realizou seu primeiro encontro de descendentes dia 17 de fevereiro, na Capela São Pedro, localidade de Cochilha Grande, em Vacaria.

A programação englobou missa de ação de graças e o tradicional almoço de confraternização, quando dezenas de parentes puderam rever e conhecer as mais diversas ramificações do clã.

O imigrante

Conforme informações disponibilizadas pela família, Giuseppe Perucchin era filho de Lorenzo Peruchin e Pascoa Gaspari e teria migrado para o Brasil juntamente com os parentes Domingos e Calixto. Porém, estes teriam se mudado para a Argentina com seus respectivos filhos.

Leia mais:
Ranchos no Lanifício Gianella em 1941
Getúlio Vargas no Real Hotel em 1954
Moinho da Cascata: um ícone da imigração
Livro O Instante e o Tempo: uma cidade, múltiplos olhares 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros