Justiça decide que Sindicato dos Médicos não representa grevistas de Caxias do Sul - Cidades - Pioneiro

Paralisação no SUS24/11/2017 | 16h33Atualizada em 24/11/2017 | 19h34

Justiça decide que Sindicato dos Médicos não representa grevistas de Caxias do Sul

TJ julgou dois processos movidos pela prefeitura

Justiça decide que Sindicato dos Médicos não representa grevistas de Caxias do Sul greve dos médicos,greve 2017,saúde 2017,greve dos médicos caxienses 2017,ubs cinquentenário/Agencia RBS
Foto: greve dos médicos,greve 2017,saúde 2017,greve dos médicos caxienses 2017,ubs cinquentenário / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

A greve dos médicos do Sistema Único de Saúde (SUS) de Caxias do Sul ganhou mais um capítulo nesta semana. Assim como o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) já tinha considerado, agora foi a vez da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) decidir que a entidade que representa os profissionais é o Sindicato dos Servidores Municipais (Sindiserv), e não o Sindicato dos Médicos. 

Leia mais
Em três meses, mais de 100 irregularidades foram registradas no transporte público de Caxias
Ferramenta online ajuda usuários do transporte público de Caxias a não perder tempo na parada  

A decisão, divulgada nesta sexta, é referente a dois processos movidos pela prefeitura desde o início da paralisação da categoria médica. O primeiro, segundo a procuradora do município Ana Cláudia Doleys Schittler, tratava da primeira greve, que durou poucos dias em março (considerado ilegal); a segunda, se refere ao movimento que ainda está ocorrendo na rede pública. A greve dura mais de sete meses e já provocou o cancelamento de mais de 35 mil consultas na rede pública.

Ainda em abril, quando o movimento iniciou, o Executivo começou a descontar o ponto dos grevistas em função das faltas injustificadas (já foi descontado mais de R$ 1 milhão nos contracheques) e também abriu, há um mês, processos administrativos disciplinares para investigar as ausências dos servidores ao trabalho. Essa decisão do TJ-RS, segundo a prefeitura, dá respaldo para que sanções disciplinares previstas no Estatuto do Servidor sejam efetuadas. Em nota divulgada ontem o prefeito Daniel Guerra (PRB) disse que "A resposta do Tribunal de Justiça é uma vitória para o nosso governo e comprova que estamos fazendo o que é certo, priorizando pela legalidade em nossas ações".

— A decisão desta semana, referente aos dois processos que foram julgados juntos, foram acolhidas parcialmente, mas são satisfatórias para o Executivo. Também tínhamos pedido uma multa por dia paralisado, mas não foi acatado — explica a procuradora.

O representante da comissão dos médicos grevistas, André Pormann, não quis comentar o assunto. O advogado da comissão, Lauri Romário da Silva, não atendeu às ligações. Para a rádio Gaúcha Serra, disse que apresentará recurso nos dois processos que tramitam na Justiça.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros