Déficit de professores é suprido na rede estadual de Caxias do Sul  - Cidades - Pioneiro

Educação03/07/2017 | 09h01Atualizada em 03/07/2017 | 09h01

Déficit de professores é suprido na rede estadual de Caxias do Sul 

Em abril, a carência de docentes chegava a 46 nas escolas estaduais do município

Déficit de professores é suprido na rede estadual de Caxias do Sul  Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Depois de um período difícil em função da falta de professores, as escolas estaduais de Caxias do Sul e da região se organizam para amenizar possíveis prejuízos aos estudantes. Conforme a 4ª Coordenadoria Regional da Educação (4ª CRE), a demanda dos primeiros meses do ano foram completamente supridas. Em abril, o déficit de professores chegava a 100 em 122 escolas de 14 municípios de abrangência da 4ª CRE.

— Estamos com os quadros organizados. Agora, é só lidar com as emergencialidades. Em relação à recuperação de horas, nós já conversamos com as escolas, e os professores vão receber por este trabalho. Mas cabe a cada escola se organizar para compensar estas horas-aula — explica a coordenadora de Recursos Humanos da 4ª CRE, Cristina da Silva Boeira Fabris.

Leia mais
Mais de um mês após o início do ano letivo, faltam 46 professores na rede estadual de Caxias
Falta de professores altera rotina de alunos de escolas estaduais na Serra
Paralisação dos professores anunciada para esta quarta agrava situação da rede estadual 

Em Caxias do Sul, onde faltavam 46 docentes, uma das instituições mais prejudicadas foi a Escola Engenheiro Dario Granja Sant'Anna, no loteamento Sanvitto. Até abril, não havia docentes nas disciplinas de matemática, história, geografia e inglês. No período, alunos chegaram a frequentar a escola somente duas vezes na semana.

Conforme a diretora Evandra Cristina Borges de Lima, a situação foi regularizada entre o final de abril e o início de maio, quando o quadro de professores ficou completo. A recuperação do conteúdo está sendo feita aos sábados e estudantes de algumas turmas do 6º e 7º anos também terão aulas no turno oposto para que não fiquem com conteúdo pendente. As aulas extras devem prosseguir até dezembro. 

Na Escola Pedro Cecconello, em Flores da Cunha, que também teve a situação mostrada em reportagem do Pioneiro, os alunos não ficaram em casa graças ao trabalho voluntário da comunidade. Havia carência nas disciplinas de português, ciências e religião para estudantes do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental desde o início do ano letivo. Conforme a direção, a situação foi normalizada e não haverá necessidade de repor o conteúdo visto que, mesmo sem o quadro completo, os alunos não deixaram de ter aula.

Região

Na 16ª CRE, sediada em Bento Gonçalves, havia déficit de 12 professores. A situação está normalizada. O mesmo ocorre na na 23ª CRE, localizada em Vacaria, onde faltavam quatro docentes. 


 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros