Caxias é escolhida como futura sede de coordenação de cercamento eletrônico regional - Cidades - Pioneiro

Segurança03/07/2017 | 20h33Atualizada em 04/07/2017 | 08h48

Caxias é escolhida como futura sede de coordenação de cercamento eletrônico regional

Estado deve encaminhar até a próxima semana formalização de convênio para cercamento eletrônico a oito cidades

Caxias é escolhida como futura sede de coordenação de cercamento eletrônico regional Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Prefeito Daniel Guerra (PRB) e secretário Municipal de Segurança, José Francisco Mallmann, recepcionaram representantes de outros sete municípios e do governo do Estado. Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Representantes do governo do Estado e de oito municípios da região se reuniram nesta segunda no Salão Nobre da prefeitura de Caxias para definir a futura integração dos sistemas de monitoramento por câmeras, visando a implantação do chamado cercamento eletrônico. 

As prefeituras de Caxias, Farroupilha, São Marcos, Flores da Cunha, Pinto Bandeira, Nova Pádua, Ipê e Nova Roma do Sul aguardam agora o encaminhamento do termo de cooperação por parte do Estado para formalizar o acordo e iniciar a articulação de implantação.

Leia mais:
Adolescente confessa morte de ex-namorada em Caxias
Governo Guerra pede retorno de servidores da prefeitura que estão na Câmara de Vereadores

Após a apresentação do projeto, ficou definido que Caxias será a sede do sistema regional. Também foi sugerido que o prefeito Daniel Guerra (PRB) seja responsável pela coordenação geral.

— Temos hoje 137 municípios no Rio Grande do Sul com videomonitoramento. Porém, eles não interagem entre si. Sabemos que o crime não respeita divisas e pretendemos realizar, de maneira conjunta, um monitoramento mais efetivo — destaca o tenente-coronel Alexandre Aragon, coordenador do Sistema de Segurança Integrada com os Municípios  (SIM/RS) da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

A ideia é unificar o modelo de sistema de vigilância para detectar, especialmente, roubos a veículos, quando frequentemente há deslocamento entre cidades. A tecnologia seria viabilizada por meio da combinação de softwares e bancos de dados utilizados pela Secretaria Estadual da Fazenda e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

— Esse projeto caiu como uma luva para nós. Já estamos implantando esse tipo de monitoramento em lombadas eletrônicas e esse modelo proposto aprimora ainda mais o nosso policiamento — ressalta o prefeito de Flores da Cunha, Lídio Scortegagna (PMDB).

A padronização dependerá da adaptação dos sistemas e possivelmente da aquisição de novos equipamentos em alguns municípios, caso não haja compatibilidade para a integração. Já existem emendas parlamentares previstas para custear o projeto. 

A verba seria repassada por meio de equipamentos e softwares. No entanto, caso os recursos sejam insuficientes, as prefeituras precisarão articular formas de dividir os valores.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros