Usando sobras de tecido, empresa de Caxias presenteia crianças com casaquinhos de lã - Cidades - Pioneiro

Solidariedade30/06/2017 | 17h47Atualizada em 30/06/2017 | 17h47

Usando sobras de tecido, empresa de Caxias presenteia crianças com casaquinhos de lã

Desde o início de junho, 420 peças estão sendo entregues a famílias pobres atendidas pela Lefan

Usando sobras de tecido, empresa de Caxias presenteia crianças com casaquinhos de lã Daniele Daniel/Divulgação
Foto: Daniele Daniel / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

De uma pequena sala montada dentro da empresa de confecções Personalità saem casaquinhos de lã que ajudam a amenizar o frio de centenas de crianças de Caxias do Sul. Desde o início de junho, 420 peças estão sendo entregues a famílias pobres atendidas pela Pastoral do Pão da da Legião Franciscana de Assistência aos Necessitados (Lefan). 

— É muito injusto saber que há crianças passando frio e fome bem perto da gente. Durante uma entrega, ouvi uma mãe dizer que o filho não estava indo à escola porque não tinha roupa para o frio. Não tem como ficar parado. Se cada um fizesse um pouquinho, muita gente seria ajudado — afirma o diretor da empresa, Ivanês Spiller.

Leia mais: 
Diferentemente de outras cidades, prefeitura de Gramado está autuando motoristas do Uber
Projeto de regulamentação do Uber passa por revisão antes de voltar à Câmara 

A iniciativa existe há cerca de nove anos. No início, conforme Spiller, a empresa aproveitava parte dos retalhos de lã e fazia peças para entregar a uma ou outra entidade que precisava. A parceria com os freis capuchinhos, no entanto, possibilitou, que a ajuda chegasse a mais gente, revela Spiller. Além dos casaquinhos, que vestem crianças dos dois aos 11 anos, as sobras de tecido também são transformadas em cobertores para berços e camas de solteiro.Neste ano, a produção começou em março. Os casaquinhos são fabricados pelos próprios funcionários, durante o expediente.

— Eles fazem questão de participar e afirmam que esses são os pedidos mais importantes que estamos fazendo. Dá bastante trabalho, até quase mais do que fazer a peça para um adulto. Mas é gratificante. Quando alguém tem um tempinho em seu setor, vai para a sala que montamos e trabalha nas peças. Recentemente, até paramos a fabricação dos nossos pedidos dois ou três dias para dar vazão ao projeto, já que não havia muita coisa pronta e o frio estava chegando — revela Spiller. 

E a certeza de estar cumprindo sua missão social não se revela apenas com os agradecimentos e sorrisos exibidos durante a entrega às famílias. Cartinhas, fotos e vídeos da garotada desfilando os casaquinhos por aí frequentemente chegam à empresa, mostrando que fazer a solidariedade nunca sai de moda. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros