Um dia depois do incêndio que matou duas idosas em Vacaria, comunidade se mobiliza para ajudar  - Cidades - Pioneiro

Tragédia em asilo02/06/2017 | 12h20Atualizada em 02/06/2017 | 15h42

Um dia depois do incêndio que matou duas idosas em Vacaria, comunidade se mobiliza para ajudar 

Das 47 pessoas que moravam no local, 24 estão abrigadas no Centro de Treinamento de Motoristas

Um dia depois do incêndio que matou duas idosas em Vacaria, comunidade se mobiliza para ajudar  Carolina Klóss / Agência RBS/Agência RBS
Incêndio no Asilo Santa Isabel começou por volta das 13h de quinta-feira Foto: Carolina Klóss / Agência RBS / Agência RBS

Um dia depois do incêndio que deixou duas idosas mortas e que destruiu 70% da estrutura do Asilo Santa Isabel, em  Vacaria, o cenário ainda é de tristeza no local. Muitas pessoas que conheciam o trabalho desenvolvido no prédio cedido pela Mitra Diocesana, ou curiosos que buscavam informações sobre a tragédia, ficaram boa parte da manhã desta sexta em frente ao asilo. O prédio está interditado porque ainda é possível ver fumaça em algumas partes e há perigo de que a estrutura que foi atingida pelo incêndio, que começou por volta das 13h de quinta, desmorone a qualquer momento.

Doações também estão chegando para os idosos que moravam no local e que foram transferidos ainda na quinta para o Centro de Treinamento de Motoristas (Centronor). A presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar de Ipê, Marinêz Castagna, chegou por volta das 10h30min em Vacaria com roupas e alimentos arrecadados para serem entregues aos ex-moradores do Santa Isabel.

— Alguns idosos que estavam abrigados aqui são de Ipê, então nos comovemos ainda mais. Estamos fazendo a nossa parte e vamos ajudar no que for preciso — disse.

Parte das doações também está sendo entregue no Centronor, local que vai abrigar os idosos por pelo menos 20 dias. A primeira ideia é de que, depois desse período, eles sejam transferidos para um imóvel da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro). Mas, de acordo com Cristiane Siota, assistente social do asilo, dois novos espaços estão sendo analisados.

— O espaço na Fepagro é mais distante e teria que ser muito reformado para abrigá-los. Vamos ver mais dois espaços nesta sexta à tarde. Se eles forem melhores, a prefeitura pagará o aluguel enquanto o prédio queimado não for reconstruído — garante.

Leia mais

Duas mulheres são encontradas mortas em asilo de Vacaria
VÍDEO: testemunhas relatam movimentação de fuga e resgate em incêndio em asilo de Vacaria

Uma reunião na tarde desta sexta-feira, com funcionários do asilo, integrantes da Defesa Civil, empresários e prefeitura de Vacaria começará a encaminhar ações para a reconstrução do prédio que fica entre as ruas Teodoro Camargo e Borges de Medeiros. A primeira informação repassada por técnicos da Defesa Civil é de que a reconstrução demore pelo menos seis meses. Mas as condições climáticas e a quantia que será gasta para a reforma podem aumentar esse prazo.  

Como ajudar

Parte das doações também está sendo entregue no Centronor, local que vai abrigar os idosos por pelo menos 20 dias Foto: Carolina Klóss / Agência RBS

— Os sobreviventes precisam de alimentos, fraldas, roupas, água e roupas de cama. Materiais de construção (telhas, cimento) também podem ser doados para a reconstrução do prédio. Mercados, instituições beneficentes, Câmara de Vereadores, prefeitura e as escolas Gustavo Vieira de Brito e Bom Jesus São José abriram pontos para receber doações. Informações podem ser obtidas pelos telefones (54) 99905.8128 (com Adriana) e 98144.5755 (com Cristiane).

— O Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro) abriu uma conta bancária para arrecadar fundos ao asilo. O depósito pode ser efetuado no Banrisul: Agência 0440, Conta 06.089020.0-2.

— Entregar doações na Portaria da CDL Caxias. Sinimbu, 1415, esquina com Alfredo Chaves até às 19 horas de hoje. 

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros