Prefeito de Caxias tenta reverter bloqueio de valores das contas do município em Brasília - Cidades - Pioneiro

Caso Magnabosco26/06/2017 | 17h40Atualizada em 26/06/2017 | 18h02

Prefeito de Caxias tenta reverter bloqueio de valores das contas do município em Brasília

Na semana passada, Daniel Guerra viajou para tratar do desbloqueio de R$ 69 milhões

Prefeito de Caxias tenta reverter bloqueio de valores das contas do município em Brasília Roni Rigon/Agencia RBS
A ação dos Magnabosco corre desde os anos 1980 na Justiça e envolve a ocupação ilegal no terreno da família Foto: Roni Rigon / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Pela segunda vez neste ano, o prefeito Daniel Guerra (PRB) viajou para Brasília para tratar do Caso Magnabosco. Dessa vez, a intenção foi tentar reverter o bloqueio de R$ 69 milhões das contas do município pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul em maio. Ao contrário da primeira vez que Guerra foi para a Capital, em março, a prefeitura não divulgou quais foram as ações em Brasília, nem detalhes da audiências por estratégia jurídica. No início do ano, o político se encontrou com ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) com a intenção de sensibilizá-los sobre o impacto que o pagamento da dívida milionária causaria aos cofres municipais.

— Estamos lutando porque consideramos essa decisão do Judiciário muito injusta, ainda mais porque o município está com dois recursos em andamento — garante o chefe de gabinete da prefeitura, Júlio César Freitas da Rosa, que acredita que alguma novidade sobre o caso seja divulgada até o final da semana.

Leia mais:
Reformulação do trevo da Rota do Sol, em Caxias, está orçada em R$ 925 mil
Hospital São Carlos, de Farroupilha, acumula déficit de R$ 40 milhões

Há três ações movidas pelo município sobre o caso Magnabosco atualmente: duas tramitam no TJ e outro no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. No STJ, trata-se de uma ação rescisória que pede a retirada do município do polo passivo, ou seja, deixar de ser réu no processo. Ainda não há previsão para o julgamento. No TJ, tramita um mandado de segurança para tentar reverter o sequestro do dinheiro das contas da prefeitura. A prefeitura também recorreu contra a decisão do TJ que confirmou a improcedência de um pedido para que o município não pague juros compensatórios, pois só foi incluído como réu no processo em 1996.

A ação dos Magnabosco corre desde os anos 1980 na Justiça e envolve a ocupação ilegal por dezenas de famílias no terreno hoje conhecido como bairro 1º de Maio.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros