"Fui salva por Deus", diz irmã que morava no asilo que pegou fogo em Vacaria - Cidades - Pioneiro

Incêndio02/06/2017 | 13h58Atualizada em 02/06/2017 | 13h58

"Fui salva por Deus", diz irmã que morava no asilo que pegou fogo em Vacaria

Tragédia nos Campos de Cima da Serra deixou duas idosas mortas 

"Fui salva por Deus", diz irmã que morava no asilo que pegou fogo em Vacaria Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Ainda muito abalada com a morte de Alzira Melo dos Santos, 76 anos, e Silvonia Borre, 64, a irmã Rosa Delmira Onzi, que mora há 47 anos no Asilo Santa Isabel, em Vacaria, agradecia por estar viva um dia depois da tragédia. Ela conta que estava no andar superior do prédio costurando com Silvonia quando ouviu alguém chamá-la na parte inferior. Logo se levantou e viu as chamas que já consumiam parte de trás da estrutura. Lembra que fez um sinal para Silvonia, que era surda-muda, descer e correu pelas escadas.

— Ela pegou as coisas e foi para o banheiro, acho que entendeu que era para tomar banho. Desci, mas logo subi para busca-la. Só que não deu porque as portas trancaram com a fumaça e eu não tive força para abrir. Estou muito triste — lamenta.

Desde quinta, a Irmã está morando na casa de outras irmãs. Mas conta que recebeu inúmeras propostas de ajuda:

— As pessoas são muito boas. Não queria sair daqui, não queria que isso tivesse acontecido.

Leia mais
VÍDEO: testemunhas relatam movimentação de fuga e resgate em incêndio em asilo de Vacaria
Um dia depois do incêndio que matou duas idosas em Vacaria, comunidade se mobiliza para ajudar
Duas mulheres são encontradas mortas em asilo de Vacaria 

 21 idosos foram para casa de familiares

Vinte e quatro dos 45 idosos que sobreviveram ao incêndio no Asilo Santa Isabel foram alojados ainda na quinta-feira no Centronor; os outros 21 foram para casa de familiares. Uma senhora chegou a passar a noite na casa de um filho após a tragédia, mas, na manhã de sexta, ela teria voltado para o Centronor. O filho, segundo uma voluntária que está ajudando no novo alojamento dos idosos, teria dito que não tem condições de ficar com a mãe, que, assim como a maioria dos ex-moradores do asilo, sofre com problemas mentais.

Pouco se sabe das duas idosas que morreram no incêndio, Alzira Melo dos Santos, 76 anos, e Silvonia Borre. A assistente social do asilo, Cristiane Siota, diz que as duas eram do interior de Vacaria, Alzira seria de Pinhal da Serra, e que elas moravam no espaço há mais de 10 anos. Os familiares não as visitavam há muito tempo. Um parente de uma delas, segundo as funcionárias do espaço, chegou a ser contatado ontem,  mas teria dito que não teria condições de ir até Vacaria para cuidar do velório e enterro da idosa. Os dois corpos foram encaminhados na quinta para perícia no Departamento Médico Legal (DML) de Caxias do Sul.

Estrutura do prédio que abrigava o asilo foi destruída pelas chamas Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Mais de 30 voluntários mobilizados

O pedido de ajuda e de doações para os idosos sobreviventes começou poucas horas depois do início do incêndio. Na manhã de sexta, quase todos os cômodos do Centronor já estavam cheios de doações. Somente uma loja de Vacaria tinha doado mais de 500 peças de roupas novas. Para organizar o que está sendo recebido, mais de 30 voluntários trabalham sem parar desde quinta. Alguns separam o que é arrecadado e outros ajudam nos cuidados com os idosos. Os 24 que estão alojados temporariamente no Centro estão separados em quartos identificados com os nomes de cada um nas portas.

— A rede de solidariedade se formou muito rápido e tudo está se organizando. Só espero que a ajuda não diminua muito daqui uns dias, quando ainda vamos precisar — espera o pastor Jonas Santos, responsável pela triagem das doações e acolhimento dos voluntários.



 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros