Falta de energia elétrica prejudica comércio de Caxias - Cidades - Pioneiro

Transtorno09/06/2017 | 21h35Atualizada em 09/06/2017 | 21h35

Falta de energia elétrica prejudica comércio de Caxias

Além de moradias, temporal  comprometeu  empresas que ainda não tiveram energia restabelecida 

Falta de energia elétrica prejudica comércio de Caxias Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Gerente de padaria, Rodrigo Linhares Martins, lamenta queda de faturamento com manutenção de falta de energia. Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Desde o temporal da última quinta-feira, uma padaria do bairro Marechal Floriano funciona sem energia elétrica. Em dois dias, o transtorno já causou um prejuízo estimado em R$ 10 mil.

O problema não é exclusivo do estabelecimento. Centenas de moradores da cidade e do interior, além de comércio e indústria, vivenciam situações semelhantes em pontos onde o fornecimento de energia elétrica não foi restabelecido.

— De fora, as pessoas não percebem que estamos abertos porque as luzes estão todas desligadas. Além de perdermos um grande número de clientes, tivemos de jogar muita comida fora porque não termos onde conservá-las — relata o gerente da padaria, Rodrigo Linhares Martins.

Leia mais:
Acidente com van escolar deixa oito estudantes feridos em Caxias do Sul
Moradores de asilo destruído pelo fogo em Vacaria irão para albergue desativado 


Ainda assim, ele comenta que parte dos alimentos puderam ser encaminhados à matriz no bairro Lourdes, o que evitou um prejuízo ainda maior.

Clientes precisam improvisar iluminação com celular para enxergar produtos. Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS


Os dois dias de atividades comprometidas não se limitam à necessidade de ligar equipamentos elétricos, mas também ao próprio horário reduzido de trabalho:

— Quando termina a luz do dia, não temos muito o que fazer a não ser fechar. Às 17h30min, já estamos indo embora.

Para uma empresa vizinha, que confecciona etiquetas adesivas, as perdas foram menores por se tratar de um negócio de pequeno porte. Apesar disso, o proprietário, Rudimar Bertuol, 45, lamenta as máquinas paradas e o acúmulo de trabalho que a situação deve gerar com os próximos pedidos que ingressarem.

— Estou com cinco encomendas pendentes, porém, apenas uma é urgente. O lado bom é que os clientes estão sendo compreensivos. O problema vai ser na próxima semana, quando terei que lidar com uma nova demanda.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros