Empresa assina contrato para implantação de estacionamento no Aeroporto Hugo Cantergiani  - Cidades - Pioneiro

Infraestrutura12/05/2017 | 08h02Atualizada em 12/05/2017 | 08h31

Empresa assina contrato para implantação de estacionamento no Aeroporto Hugo Cantergiani 

Com diversos projetos encaminhados, nova gestão espera aprimorar serviços oferecidos em aeródromo regional 

Empresa assina contrato para implantação de estacionamento no Aeroporto Hugo Cantergiani  Felipe Nyland/Agencia RBS
Alexandre Debiase, administrador do Aeroporto Hugo Cantergiani, busca agilizar obras de infraestrutura. Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Essencial para quem utiliza o Aeroporto Regional Hugo Cantergiani, em Caxias do Sul, o estacionamento com 260 vagas junto ao terminal finalmente deve começar a andar: após a definição da empresa que vai concluir a construção do espaço, a Traçado, foi assinado o contrato para início dos trabalhos. O projeto deve ser enviado ao Departamento Aeroportuário do Estado (DAP) até o dia 19 de junho e as obras devem iniciar em agosto. A expectativa de conclusão é até o fim do ano.

Leia mais:
Prefeitura de Caxias elabora novo projeto para minipraças
Definidos os preços das passagens para a romaria de Caravaggio, na Serra 
Vítimas de acidentes em Caxias têm dificuldades para manter a família e cuidar da saúde

— Há anos está sendo aguardada esta obra, a gestão anterior gastou cerca de R$ 400 mil e o projeto por algum motivo não teve avanços significativos. Mas enfim acredito que agora poderemos dar andamento efetivo. Também foram necessárias várias adequações no terreno para permitir que a empresa pudesse instalar toda a estrutura do estacionamento, talvez isso justifique em parte essa demora —  explica o administrador do Hugo Cantergiani, Alexandre Debiase, que informa que 30% das vagas serão cobertas.

A Traçado também ficará responsável por gerir de forma integral a cobrança das tarifas aos usuários do espaço. O contrato estabelece convênio de 15 anos com a empresa. Do total arrecadado, serão repassados R$ 6.550 mensalmente ao Departamento Aeroportuário do Estado (DAP), além de 11% do faturamento bruto. Os projetos para finalização da obra também serão de responsabilidade da concessionária.

Além da questão do estacionamento, a administração, que assumiu neste ano os trabalhos no local, promete agilizar melhorias estruturais pendentes há um longo tempo. Desde janeiro, pequenas intervenções já foram realizadas, como a instalação de piso tátil na área interna, colocação de película nos vidros da sala de controle e a inserção do idioma italiano em placas informativas. 

As melhorias, entretanto, não devem parar por aí. Segundo ele, ainda estão previstas a instalação de um painel para controle de voos por parte dos passageiros neste semestre, a implantação da cobertura na fachada do aeroporto e o aprimoramento geral dos serviços oferecidos no terminal.

— Precisamos otimizar a experiência de voar por Caxias. Só assim poderemos bater na porta das companhias aéreas e sugerir a ampliação de itinerários. Também, é claro, o objetivo principal é proporcionar maior conforto para nossos passageiros — ressalta Debiase.

Recentemente, a empresa Gol ampliou o horário ofertado diariamente também para os domingos pela manhã (com chegada em Caxias às 10h30min e decolagem a São Paulo às 11h10min). A novidade deve gerar aumento de mil passageiros mensais.

Em julho também deve haver incremento de um novo voo em decorrência da alta temporada. Para o administrador, a continuidade dos bons índices de ocupação por aeronave, e a melhoria dos serviços, podem atrair o interesse das companhias aéreas.

— Temos uma boa estrutura, as pessoas que criticam  não devem conhecer outros aeroportos regionais, normalmente comparam com o Salgado Filho, mas ali é uma situação bem diferente, as condições são muito mais privilegiadas. Mas é claro que podemos melhorar, uma pena tudo ser bastante burocrático e lento e o município estar enfrentando dificuldades financeiras. Por mim, todas as melhorias já teriam sido feitas.

MELHORIAS PLANEJADAS

— Revitalização de acessos a embarque e desembarque e área de trânsito de passageiros
Previsão: restauração asfáltica já foi concluída. Pinturas complementares devem iniciar nos próximos dias.

— Implantação de 260 vagas de estacionamento
Previsão: Contrato já foi assinado pela empresa que deve encaminhar projeto para o DAP até dia 19 de junho. As obras devem iniciar em agosto com expectativa de conclusão até o fim do ano.

  Instalação de painel de voo
Previsão: deve iniciar a operação no próximo mês.

  Instalação de cobertura na entrada
Previsão: não há previsão. O projeto está sendo elaborado pela diretoria técnica da Secretária Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade.

  Instalação de plataforma de acessibilidade (elevador)
Previsão: conclusão neste ano.

Do município ao Estado

A construção do estacionamento começou no fim de 2012. O município era inicialmente responsável pelo projeto, mas uma série de entraves atrasou a entrega. Entre elas estão a necessidade de dinamitar o solo rochoso e a remoção de postes. Com as dificuldades, os recursos se esgotaram. No final de 2015 o assunto foi repassado ao Estado, que decidiu conceder a área devido à falta de recursos.

Problema passageiro

Historicamente, o mês de maio representa sérios prejuízos ao Aeroporto Hugo Cantergiani. O motivo é a alta incidência de dias com neblina, que atrapalham pousos e decolagens de aeronaves. Somente no ano passado, 1,5 mil embarques e desembarques foram afetados por cancelamentos e atrasos durante o mês. Para efeito comparativo, no primeiro trimestre deste ano, apenas um voo foi cancelado, o que prejudicou pouco mais de 100 passageiros.

Nos dois meses seguintes a situação também se repete, porém, em menor impacto. Em junho de 2016, 600 passageiros foram prejudicados, já em julho foram cerca de 200, número já considerado relativamente estável.

— É definitivamente a pedra no nosso sapato. Mas, infelizmente não há o que fazer, nossa localização é bastante vulnerável a qualquer nevoeiro que baixe sobre a cidade, pois estamos na altitude em que se formam as nuvens — justifica. 

Ele acrescenta que em função da altitude do terminal, não existe equipamento que possa agilizar ou auxiliar os pilotos a executarem poucos e decolagens no local, diferentemente do aeroporto da Capital,m por exemplo, que está em posição mais favorável. 

Projeto do Aeroporto de Vila Oliva estacionou

O município ainda aguarda esclarecimentos da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) acerca do licenciamento da área onde o futuro Aeroporto de Vila Oliva será construído. De acordo com o secretário de Planejamento, Fernando Mondadori, o projeto está parado e deve ter um encaminhamento efetivo somente no final do ano. O pedido de elaboração da licença ambiental foi solicitado à Fepam ainda em março. 

— Ainda temos dúvidas sobre o enquadramento que devemos solicitar no nosso licenciamento. Também não sabemos se a iniciativa desse processo deve ser nossa ou do Banco do Brasil (já que é o governo federal quem vai custear a construção do terminal).

A prefeitura aguarda informações sobre a necessidade de elaboração do Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (Eia/Rima). Somente após o procedimento, o município estaria apto a dar andamento à elaboração do projeto.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros