Vândalos atacam jazigos no Cemitério Municipal, em Caxias - Cidades - Pioneiro

Depredação02/04/2017 | 11h55Atualizada em 02/04/2017 | 11h55

Vândalos atacam jazigos no Cemitério Municipal, em Caxias

Vidros foram quebrados com auxílio de cruz de concreto

Vândalos atacam jazigos no Cemitério Municipal, em Caxias Gustavo Trintinaglia/divulgação
Cacos de vidro por todo lado foi o cenário que família encontrou ao chegar no local, neste sábado Foto: Gustavo Trintinaglia / divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Indignação é o sentimento de uma família caxiense frente a mais um caso de depredação de túmulos no Cemitério Público Municipal de Caxias do Sul. O ataque foi descoberto no sábado, quando conhecidos avisaram a Luciana Trintinaglia que o jazigo da família da mãe dela havia sido — outra vez — vítima de vândalos. Ao chegarem ao local, encontraram vidro quebrado por todo lado, e pelo menos outros quatro jazigos ao redor também vandalizados.

Leia também:
Por causa de vandalismo, famílias deixam de usar metal em túmulos de cemitérios de Caxias
Jovem mata idoso a facadas em Ipê e é preso 
Morre primeira papeleira de Caxias do Sul e fundadora do bairro Cannyon

— Já se dá como corriqueiro (esses ataques), a sensação é de que o cemitério está em completo abandono — desabafa Luciana.

Ela destaca que as sepulturas atacadas ficam próximas à entrada, e mesmo assim o jazigo da família já foi depredado três vezes. Nas anteriores, levaram argolas de metal das gavetas e uma porta de vidro com moldura em alumínio. Agora, o foco foi a moldura de um anjo de vidro.

— Devem ter pensado que a moldura era de algum metal que possam vender ou trocar por crack — diz.

Os vidros foram quebrados com uma cruz de concreto, provavelmente arrancada de outro túmulo próximo e que foi largada por ali. A mãe de Luciana registrou ocorrência policial.

O caso não é único: os relatos de ataques a túmulos no Cemitério Municipal são frequentes, apesar de a prefeitura ter instalado concertina no topo dos muros e de os portões serem fechados à noite. No ano passado, o Pioneiro noticiou a queda de até 90% no uso de argolas cromadas e molduras de metal nos túmulos, pelo fato de esses materiais serem alvo de ladrões.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros