Justiça de Caxias determina multa diária de R$ 50 mil caso Sindicato dos Médicos siga liderando greve - Cidades - Pioneiro

Greve do SUS20/04/2017 | 16h25Atualizada em 20/04/2017 | 18h03

Justiça de Caxias determina multa diária de R$ 50 mil caso Sindicato dos Médicos siga liderando greve

Pedido foi protocolado por promotor do Ministério Público do Trabalho (MPT) na terça

Justiça de Caxias determina multa diária de R$ 50 mil caso Sindicato dos Médicos siga liderando greve Roni Rigon/Agencia RBS
Decisão da Justiça não deve encerrar a greve que iniciou na segunda-feira em Caxias do Sul Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

A partir desta quinta-feira, se o Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul seguir liderando a paralisação dos profissionais do SUS, que ocorre desde segunda, a entidade pagará R$ 50 mil por dia. A decisão, da 5ª Vara do Trabalho de Caxias do Sul, saiu na tarde desta quinta-feira. O afastamento do sindicato veio a partir de um pedido protocolado na terça-feira pelo procurador do Ministério Público do Trabalho Roger Ballejo Villarinho. A Justiça ainda decidiu que "qualquer ato do Sindicato dos Médicos que configure representação da classe médica durante a paralisação" também será punida com multa de R$ 100 mil por ato.

— A última decisão da Justiça já dizia que o Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv) é quem representa a classe, não o Sindicato dos Médicos. A decisão, agora, é para que isso seja cumprido. Mas, para deixar claro: não vamos interferir nas reivindicações dos médicos, o papel do Ministério Público (MP) não é esse — explica Villarinho.

Leia mais:
Mirante: greve dos médicos em Caxias requer solução de emergência
Médicos conversam com prefeito, mas mantêm greve em Caxias
Atendimento médico nas UBSs de Caxias agrada a 83% dos entrevistados

A decisão da Justiça, realmente, não vai impedir a realização ou a interrupção da greve, pelo menos neste primeiro momento. Procurado pela reportagem, o presidente do Sindicato dos Médicos, Marlonei dos Santos, garantiu que a paralisação deve continuar durante os próximos dias. E ainda disse que ela terá uma adesão maior dos médicos a partir de segunda:

— Todos os médicos do Centro Especializado de Saúde (CES) vão parar. Tenho a informação de que 35 que estavam trabalhando, fora os que estavam em férias ou licença, vão parar no início da semana.

Marlonei ainda afirmou que, até a tarde desta quinta-feira, não tinha recebido nenhuma intimação da Justiça. Porém, esclareceu que pode acatar a decisão.

— O Sindicato pode se retirar das negociações, mas a greve vai continuar. A lei 7.783/89 é clara quando diz que uma comissão de greve pode liderar o movimento. E é isso que vai acontecer — adianta.

No entanto, o procurador Villarinho explica que uma comissão de greve pode liderar se a categoria não tiver um sindicato de representação, o que não é o caso. Ele também esclarece que, caso o Sindicato dos Médicos continue interferindo no movimento de forma indireta (fique por trás das decisões dos médicos que compõem uma possível comissão de negociação), medidas poderão ser tomadas pelo MPT e também pelo município:

— Se eventuais abusos forem investigados e comprovados, o município pode abrir um processo administrativo, por exemplo. 

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros