Sindicato dos Médicos vai processar prefeito de Caxias por assédio e dano moral - Cidades - Pioneiro

Impasse07/03/2017 | 15h00Atualizada em 07/03/2017 | 21h07

Sindicato dos Médicos vai processar prefeito de Caxias por assédio e dano moral

Entidade ainda entrará na Justiça alegando que Daniel Guerra intimidou profissional em momento de greve ao divulgar vídeo. Cremers entrou com representação no MP

Sindicato dos Médicos vai processar prefeito de Caxias por assédio e dano moral Reprodução/
Em vídeo, o presidente do Sindicato, Marlonei dos Santos, também afirma que o material divulgado por Guerra foi montado Foto: Reprodução

O vídeo divulgado pela prefeitura de Caxias nas redes sociais, em que o prefeito Daniel Guerra (PRB) aparece, ao telefone, cobrando um médico que estava em greve na quinta-feira por não estar no trabalho, fará com que Guerra se explique na Justiça. Isso porque o Sindicato dos Médicos processará o administrador municipal por assédio e dano moral, além de intimidação do profissional em greve.

Na segunda, o Conselho Regional de Medicina do RS (Cremers) entrou com uma representação junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) também em função da exposição pública do médico. 

Leia mais
"Essa greve dos médicos é ilegal e imoral", diz Daniel Guerra sobre paralisação em Caxias
Prefeitura de Caxias não descarta contratar novos médicos após paralisação
Durante paralisação dos médicos em Caxias, Samu pode ser acionado para atender casos de emergência em UBS

Em vídeo divulgado nesta terça-feira, o presidente do Sindicato, Marlonei dos Santos, também afirma que o material divulgado por Guerra foi montado:

— O prefeito de Caxias ligou para um médico, o ofendeu, chamando-o de irresponsável, negligente e não cumpridor de suas obrigações. Depois disso, ele montou uma farsa, um vídeo falando lentamente e calmamente com o médico e sem ofendê-lo. O médico foi xingado, foi exposto, mas isso não apareceu no vídeo — disse Marlonei.

Confira o vídeo na íntegra:

A reportagem tentou contato com o médico que atendeu ao telefonema de Guerra, mas não obteve retorno. Marlonei diz que o profissional não falará com a imprensa por enquanto e que, depois do ocorrido, está fazendo tratamento com psiquiatra.

Por meio da assessoria de imprensa, a prefeitura de Caxias do Sul afirmou que não foi notificada oficialmente sobre os processos na Justiça. Sobre a denúncia do presidente do Sindicato Médico, de que o vídeo publicado "é uma farsa", a assessoria garante que o material, como todos os demais vídeos da TV Cidade (produzidos pela assessoria de comunicação), foi editado, mas não cortado. O vídeo teria mais de três minutos de duração - o material publicado no Facebook da prefeitura tem 1 minuto e 40 segundos. Porém, a assessoria afirma que a parte que foi editada não é a fala do prefeito ao telefone. A reportagem do Pioneiro solicitou o vídeo na íntegra, mas o envio não foi autorizado. A justificativa dada pelo poder público é de que "a publicação do vídeo na íntegra possibilitaria a identificação do profissional e a prefeitura tem por objetivo preservar os servidores". Porém, a assessoria não detalhou como essa identificação ocorreria, nem confirmou se Guerra fala o nome do profissional durante a ligação.

Sobre a exoneração dos médicos, Marlonei afirma que, desde segunda, cerca de 12 profissionais pediram desligamento do serviço público. A secretaria da saúde não confirma a informação.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros