Funcionários da Visate, em Caxias, devem paralisar atividades no dia 20 e por tempo indeterminado - Cidades - Pioneiro

Transporte coletivo10/03/2017 | 18h03Atualizada em 10/03/2017 | 18h18

Funcionários da Visate, em Caxias, devem paralisar atividades no dia 20 e por tempo indeterminado

Assembleia na próxima quarta-feira vai definir detalhes sobre a greve que ocorrerá em função da alta de reajuste salarial

Funcionários da Visate, em Caxias, devem paralisar atividades no dia 20 e por tempo indeterminado Porthus Junior/Agencia RBS
A previsão é de que uma nova paralisação ocorra a partir do dia 20 Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Depois de mais uma reunião sem acordo sobre o reajuste salarial entre Visate e Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul, funcionários da empresa marcaram para quarta-feira que vem, às 6h30min, uma assembleia para definir a data de início para o estado de greve. De acordo com o presidente da entidade, Tacimer Kulmann da Silva, a previsão é de que uma nova paralisação ocorra a partir do dia 20. Mas, ao contrário das paradas anteriores, essa será com tempo indeterminado.

— De novo, a Visate fez a mesma proposta que vem fazendo há muito tempo, que é de não dar reajuste enquanto a passagem não subir. No encontro dessa sexta, eles chegaram a propor uma coisa absurda: que vão conceder o aumento pela inflação quando o valor da passagem for revisado. Isso é absurdo e só nos resta parar — adianta.

Leia mais
Como saber se você tem uma conta inativa no FGTS
Pagamento das contas inativas do FGTS começa nesta sexta-feira

A reunião na sexta ocorreu na sede da Gerência Regional do Ministério do Trabalho (MTE) e também contou com o gerente regional do MTE, Vânius Corte. À Gaúcha Serra, o diretor administrativo da Visate, Gustavo Marques dos Santos, disse que é imprescindível que o reajuste da tarifa ocorra neste ano:

— Tem que ocorrer esse ano porque senão inviabiliza o transporte coletivo de Caxias do Sul. Continuamos abertos para tentar uma reunião com o prefeito.

Por mais de uma vez, Daniel Guerra (PRB) disse que não cabe ao Executivo interferir nas relações entre empresa e empregados e, por isso, não vai discutir com a Visate, nem com o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros