Amigos lembram do trabalho de Corina Frigeri Wainstein, em Caxias do Sul - Cidades - Pioneiro

Personalidade10/03/2017 | 11h48Atualizada em 10/03/2017 | 12h05

Amigos lembram do trabalho de Corina Frigeri Wainstein, em Caxias do Sul

Costureira morreu na madrugada desta sexta-feira no Hospital da Unimed

Amigos lembram do trabalho de Corina Frigeri Wainstein, em Caxias do Sul Porthus Junior/Agencia RBS
Corina contribuiu para a criação dos figurinos das soberanas a partir de 1958, ano em que começou a vestir as rainhas e princesas que representam a Festa da Uva. Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Ex-rainhas da Festa da Uva e amigos, lembram com carinho da costureira Corina Frigeri Wainstein, que morreu na madrugada desta sexta-feira, em Caxias. Aos 93 anos, ela confeccionou os vestidos de diversas rainhas, princesas e candidatas a soberana da festa, além de trajes para eventos sociais como vestidos de noivas, debutantes. 

Leia mais:
Aos 93 anos, morre a costureira Corina Frigeri Wainstein em Caxias do Sul

O velório ocorre na Sala 1 das Capelas Cristo Redentor em Caxias do Sul. O sepultamento está marcado para as 16h, no Cemitério Público Municipal. 

Confira a repercusão:

— Tenho lembranças de toda vida. Cresci vendo a Tia Corina, pois morávamos próximo. Ela fez meus vestidos de debutante e de noiva e de todas as principais datas da minha vida. Sempre exigia o melhor, não se contentava com pouco. Caxias está perdendo uma grande costureira, de uma delicadeza na maneira de fazer, de olhar pra gente. E de uma sutileza. Isso que encantava a gente. E, ao mesmo tempo, era uma mulher muito forte, que passava segurança.
Roxane Torelli Comandulli, rainha da Festa da Uva 1975

— Tenho uma lembrança muito linda da dona Corina porque, além de uma excelente profissional, era uma querida. Fez meus vestidos de Glamoru Girl, da Festa da Uva e de noiva. Ela procurava te olhar e valorizar o que tu tinhas de melhor e torcia junto pelo teu sucesso. Ela adorava o que fazia e pensava em deixar a pessoa mais bonita e não o vestido mais bonito. Tinha um corte perfeito.
Delis De Zorzi, rainha da Festa da Uva 1989

— A Tia Corina sempre foi muito determinada no que fazia e de muito bom gosto. O corte dela era uma perfeição. Me dava muitas dicas, pelo contato que teve com ex-soberanas.. Os encontros para as provas do traje eram praticamente uma aula de história.
Fabiana Bressanelli Koch, rainha da Festa da Uva 2000, que teve criado por Corina o vestido vestido com o qual concorreu ao título

— Eu carrego comigo um orgulho enorme de ter sido a última rainha da Festa da Uva que ela vestiu. Ela não era simplesmente uma costureira. Ela vibrava junto e chorava junto de emoção. Era uma pessoa iluminada. Jamais vou esquecer da minha última prova do vestido oficial, quando ela se sentou no chão e chorou. Me disse: "Tu estás linda! Encerro com chave de ouro". Todo mundo já sabia quando era um vestido feito por ela porque eram os mais luxuosos, os mais pomposos. Ela realmente tinha mãos de fada. Perco uma grande amiga, uma pessoa generosa, muito simples, de coração puro.
Juliana Marzotto, rainha da Festa da Uva 2002

 — A Tia Corina teve uma importância imensurável no ambiente social de Caxias. Vestiu várias gerações de debutantes, noivas e rainhas da Festa da Uva e rainhas de clubes. Tinha um olhar muito sensível e era muito alto astral. Foi uma das primeiras a desenvolver a alta costura em Caxias. O papel e o trabalho dela foram de extrema importância para a cidade.
João Pulita, colunista social do Pioneiro

— Minha homenagem a você, Corina, pelos ensinamentos dados a mim e a muitos. Sem sua dedicação, a Festa da Uva não teria tido a beleza e a elegância que marcaram nossas memórias. Fique em paz.
Véra Stedile Zattera, pesquisadora, em seu perfil no Facebook

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros