No palco do Cine Operário de Galópolis em 1947 - Cidades - Pioneiro

Memória15/11/2016 | 06h22Atualizada em 15/11/2016 | 14h45

No palco do Cine Operário de Galópolis em 1947

Grupo de teatro amador dirigido pelo padre Olívio Bertuol encenou diversas peças no ano de inauguração da nova igreja matriz

No palco do Cine Operário de Galópolis em 1947 Sisto Muner/divulgação
Peça "Honrarás Pai e Mãe" tinha no elenco Aurora Pegoraro,  Atilio Toniolli, Nilo Forner, Dionísio Sandi e Elzira Felippi, entre outros Foto: Sisto Muner / divulgação

Antecipando as comemorações dos 70 anos da Igreja Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, em março de 2017, retornamos ao ano da abertura do templo, um dos mais importantes símbolos de Galópolis.

Inaugurada oficialmente em 1º de março de 1947, a matriz consolidou-se como um dos ícones da religiosidade do povo do bairro graças também às iniciativas do Lanifício São Pedro e do padre Olívio Bertuol. Entre elas estavam as apresentações de teatro amador envolvendo os integrantes do Departamento Artístico do Círculo Operário Ismael Chaves Barcellos, atrelado à fábrica.

Leia mais:
A construção da nova Igreja Matriz de Galópolis
Inauguração da Igreja Matriz de Galópolis em 1947

Filha do comerciante e ex-ator do grupo Nilo Forner (1926-1994), a leitora Isabel Forner disponibilizou uma série de imagens das peças em que o pai atuou, nos anos de 1947 e 1948. Basicamente de cunho religioso, as montagens eram apresentadas no palco do antigo Cine Operário e registradas pelo fotógrafo Sisto Muner.

Na imagem acima vemos o grupo que atuou no drama Honrarás Pai e Mãe, encenado em 30 de novembro de 1947. A partir da esquerda, em pé, estão Aurora Pegoraro, Atilio Toniolli, Ivo Vignocchi (no alto), Raimundo Pegoraro, Nilo Forner, Dionisio Sandi e Elzira Felippi. Sentados, Honorino Sandi, Edmundo Canale e Ermínia Manéa. Ao fundo, à direita, o padre e diretor Olívio Bertuol.

Leia mais:
Para recordar do Cine Operário de Galópolis
Teatro no Cine Operário de Galópolis em 1947
Galópolis antiga: no escurinho do cinema

Moradores como Maria Terribile, Maria Scola, Edmundo Canale e Nilo Forner participavam das montagens apresentadas no Cine Operário Foto: Sisto Muner / divulgação

Fotos com o padre

Acima, um registro da comédia Visita de Cerimônia, apresentada em 9 de agosto de 1947, durante a inauguração do novo palco do Cine Operário - repare na dedicatória do padre Olívio Bertuol ao senhor Nilo Forner (sentado à direita).

A partir da esquerda, sentados, estão Maria Terribile, Maria Scola, Edmundo Canale e Nilo. Atrás, Sergio Braga, Ivo Vignocchi, Armando Felippi e o padre Olívio Bertuol.

Abaixo, o grupo encenando a peça Judite Degola Holofernes, em 14 de novembro de 1948. Sentados vemos Maria Scola, Zita Forner e Nilo Forner (de bigode). Atrás, entre outros, estão Argemiro Rigon (com o cesto), Clementina Sandi (com o chapéu de palha), Bonifácio Stragliotto (de lenço no pescoço), Elzira Felippi (com a valise) e o padre Olívio Bertuol.

Você reconhece mais alguém nas imagens? Entre em contato com a coluna.

Peça "Judite Degola Holofernes" tinha no elenco Argemiro Rigon, Maria Scola, Zita Forner, Nilo Forner, Clementina Sandi e Elzira Felippi, entre outros Foto: Sisto Muner / divulgação

Parceria

Agradecimento especial a Isabel Forner, Lourdes Diligenti Comerlato, Rosa Maria Diligenti e Atilio Toniolli pelo auxílio na identificação das fotos.

Leia mais:
Galópolis: um museu a céu aberto
Museu de Território de Galópolis: um vínculo comunitário
Casarão da família Stragliotto, um símbolo de Galópolis
Galópolis na Festa da Uva de 1954
Memória: uma cidade, múltiplos olhares

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros