Moradores do Cruzeiro, em Caxias, pedem a instalação de sinaleira em esquina perigosa - Cidades - Pioneiro

Fala, bairro27/11/2016 | 15h22

Moradores do Cruzeiro, em Caxias, pedem a instalação de sinaleira em esquina perigosa

Abaixo-assinado para colocação do equipamento já tem mais de mil assinaturas

Moradores do Cruzeiro, em Caxias, pedem a instalação de sinaleira em esquina perigosa Felipe Nyland/Agencia RBS
Para acessar a Bortolo Zani ou mesmo cruzar a via, condutores que seguem pela Dionísio Lorandi se arriscam na passagem, sem ter visão adequada Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Uma reivindicação de pelo menos quatro anos tira o sono de moradores do bairro Cruzeiro, na zona leste de Caxias do Sul. Desde 2012, lideranças comunitárias pedem uma sinaleira para o cruzamento das ruas Bortolo Zani e Dionísio Lorandi. Vizinhos e empresários próximos à esquina já perderam as contas de quantas vezes já ouviram o barulho de veículos se envolvendo em acidentes ao passar pelo trecho.

Para constatar o problema viário, basta ficar alguns minutos observando o fluxo de veículos: para acessar a Bortolo Zani ou mesmo cruzar a via, condutores que seguem pela Dionísio Lorandi se arriscam na passagem, sem ter visão adequada. Consequentemente, cria-se outro transtorno: com a dificuldade de observar os veículos do sentido oposto, muitos motoristas acabam ficando sobre as faixas de pedestres, prejudicando quem precisa fazer a travessia a pé. A velocidade de 40km/h também é pouco repeitada no trecho.

Leia mais

Bairro Planalto Rio Branco reivindica área de lazer, em Caxias do Sul
Série Fala, bairro elencará as prioridades das comunidades de Caxias
Caxias registra 140ª morte violenta deste ano

— É uma coisa bem visível, há uma necessidade muito grande de se colocar a sinaleira. A gente percebe que o movimento aumenta a cada dia e os acidentes também. Se em 2012 (quando foi protocolado o pedido) já era uma necessidade, imagina agora — compara o presidente da Associação dos Moradores (Amob) do Cruzeiro, Gilberto Suzin.

Para tentar solucionar a questão, lideranças da Amob criaram um abaixo-assinado e coletaram mais de mil assinaturas reivindicando a melhoria na sinalização. Segundo Suzin, o documento já foi apresentado à Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM).

— Em princípio, eles acharam que não era necessária essa sinaleira. Mas, em função de todos esses acidentes, o pessoal resolveu fazer um levantamento. Porém, a gente ainda não teve um retorno desse estudo. Vamos entrar 2017 novamente sem uma solução — aponta o presidente da Amob.

Dono de uma chapeação na esquina perigosa, Marcio Tesch, 44 anos, também reforça a necessidade sinalização adequada:

— Outro dia, teve um capotamento aqui. A gente só ouviu o estouro. Eu acho que deviam colocar a sinaleira ou pelo menos instalar um quebra-mola — avalia o empresário.

COMUNIDADE

População: 12.575 habitantes*
Região: leste
Iluminação: boa, segundo avaliação da Amob.
Educação pública: os estudantes do bairro são atendidos pelas escolas estaduais Província de Mendoza e Aquilino Zatti e pela Escola Municipal Ítalo João Balen. Há também a Escola de Educação Infantil Perci dos Santos. 
Transporte: os moradores ouvidos pela reportagem não reclamaram das linhas que circulam no bairro. Para a Amob, uma das necessidades ligada ao transporte público se refere a melhoria na cobertura de alguns abrigos de ônibus. 
Lazer: a Praça Avelino Manoel Avrela, localizada na Avenida Sirius, tem equipamentos de ginástica, brinquedos e quadra de futebol. 
Saúde: possui uma unidade básica de saúde. Usuários ouvidos pela reportagem sugerem que o horário do postinho seja ampliado para diminuir as filas. Atualmente, a UBS atende das 7h30min às 16h30min.

*Conforme levantamento do IBGE em 2010.

CONTRAPONTO

Segundo Rogério Garcia, diretor de Sinalização Viária da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade, a pasta está ciente da necessidade de colocação de uma sinaleira no cruzamento da Bortolo Zani com a Dionísio Lorandi. No entanto, ele afirma que não há equipamento disponível viabilizar a instalação.

— Este cruzamento, possivelmente, esteja nos próximos pacotes do programa de semaforização nos bairros. Acho positiva a instalação para a comunidade, mas, até o fim do ano, acredito que não seja colocada porque realmente não temos o material — justifica Garcia.

Quem não conhece o Tio Iba?  

Ibanês Antônio Avrela, o Tio Iba, comandou por mais de 40 anos um bar que leva o seu nome, no bairro Cruzeiro Foto: Jonas Ramos / Agencia RBS

Quando a família de Ibanês Antônio Avrela, 68 anos, o Tio Iba, saiu de Bom Jesus para viver no bairro Cruzeiro, em Caxias do Sul, no início dos anos 1950, não imaginava que seria uma das precursoras do bairro. O pai dele, Avelino Manoel Avrela, inclusive foi um dos moradores que fez a venda dos terrenos da localidade. Hoje, Avelino (falecido há cerca de 50 anos) nomeia a praça do bairro e cinco dos seus filhos ainda moram na localidade. Tio Iba, por sua vez, comandou por mais de 40 anos um bar que leva seu nome e que hoje é gerenciado pela filha e pelo genro.

— Quando nós viemos para cá, eu tinha uns quatro anos, não tinha muita coisa. Era praticamente tudo mato, tinha muitos eucaliptos e parreiras. Na verdade, dava para contar as casas — lembra ele.

O chão batido e a pouca oferta de energia elétrica de mais de 60 anos atrás em nada lembra o bairro desenvolvido que o Cruzeiro se tornou, aponta o morador.

— Logo que chegam, os moradores mais novos dizem que o Cruzeiro é um dos melhores bairros de Caxias. E eu concordo, porque hoje é praticamente uma cidade. Modéstia à parte, a gente tem tudo.


 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros