Estudantes e professores protestam contra fechamento de turmas em escola de Bento Gonçalves - Cidades - Pioneiro

Educação10/11/2016 | 18h50

Estudantes e professores protestam contra fechamento de turmas em escola de Bento Gonçalves

Escola Municipal de Ensino Médio Alfredo Aveline não terá aulas no turno da noite a partir do próximo ano letivo

Estudantes e professores protestam contra fechamento de turmas em escola de Bento Gonçalves divulgação/Divulgação
Foto: divulgação / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

A prática de cortes na educação não afeta apenas a rede de Ensino Estadual. Em Bento Gonçalves, a Escola Municipal de Ensino Médio Alfredo Aveline deve fechar as três turmas do turno da noite, em função da baixa demanda de alunos. Descontes, professores, alunos e familiares protestaram em frente à prefeitura de Bento Gonçalves por volta das 18h desta quinta-feira.

Leia mais:
Cortes na educação não devem afetar escolas de Caxias do Sul
Cai mais do que a metade número de novos cadastros de imigrantes no SUS em Caxias
Polícia intensifica ações em rodovias da Serra após assaltos a ônibus intermunicipais
Brilha Caxias começa na próxima semana com concerto nas sacadas da Casa Magnabosco
EGR projeta melhorias em pontos da RS-235, em Nova Petrópolis, a partir do ano que vem

De acordo com a diretora da instituição, Neusa Garbin Siqueira, se tornou inviável manter uma grande estrutura para atender apenas 38 alunos, distribuídos em três séries. 

— O fechamentos das turmas é apenas em função dos gastos. Só com funcionários é desembolsado cerca de R$1,1 mil mensais por aluno. Sem contar custos com luz e água, por exemplo — explica Neusa.

Segundo ela, todos os alunos do turno da noite que não trabalham terão vaga garantida no horário da manhã. Os outros terão a opção de estudar na Escola Estadual Mestre Santa Bárbara, instituição distante cerca de três quadras da Alfredo Aveline. A diretora também afirma que não haverá corte de professores, já que originalmente eles dão aula no turno do dia.

Foto: divulgação / Divulgação

Uma  professora que pede para não ser identificada, contraria a versão dada pela diretora.

— Existe demanda, sim. Sabemos que cerca de 14 novos alunos do 9º ano teriam interesse em estudar no turno da noite em 2017. Queremos que os alunos tenham o direito de escolher onde desejam estudar e que não sejam barrados.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros