Eberle: o jubileu de prata de Avelino Rossi  - Cidades - Pioneiro

Memória17/11/2016 | 06h43Atualizada em 17/11/2016 | 06h43

Eberle: o jubileu de prata de Avelino Rossi 

Chefe da seção de cortação de aço para forja completou 25 anos de atuação na empresa em 2 de maio de 1957

Eberle: o jubileu de prata de Avelino Rossi  Acervo de família/divulgação
Avelino Rossi (sentado ao centro) entre os diretores da metalúrgica Hugo Argenta e Oscar Martini e dezenas de colegas da antiga seção Foto: Acervo de família / divulgação

O período de confecção das portas de bronze da Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém do Pará - abordado na coluna de ontem -, também coincidiu com o jubileu de prata de Avelino Rossi na Metalúrgica Abramo Eberle.

Chefe da seção de cortação de aço para forja, Rossi teve os 25 anos de atuação na empresa reconhecidos em 2 de maio de 1957, durante uma cerimônia nas dependências do próprio setor de trabalho - como era de praxe naqueles tempos.

Funcionário da empresa desde 1932, Rossi casou-se com Genoveva Rossa um ano depois, em 1933. Dessa união nasceram cinco filhos: Edmor, Derval, Jurandir, Raul e Marilene.

Na imagem acima, Rossi aparece ao centro da mesa, ladeado pelos diretores Hugo Argenta (à esquerda), Oscar Martini (à direita), Glacyr Moré, Ildefonso Eberle e Clodomiro Batista, além de diversos outros chefes de seção, colaboradores e familiares, entre eles os filhos Derval e Edmor Rossi.

Hugo Argenta presenteou Rossi com o clássico relógio de ouro oferecido aos jubilados, enquanto Glacyr Moré ofereceu-lhe um álbum com a assinatura dos colegas de seção. 

Leia mais:
Eberle: um relógio de ouro no jubileu de prata
Eberle: o jubileu de prata de Hugo Seidl em 1952
Setor de gravação da Maesa em 1958
Eberle: o jubileu de prata e ouro de Honório Marotto em 1948
Eberle: a trajetória de Joaquim Barasuol
Olivo Berton e os jubilados do Eberle em 1968
Getúlio Jacoby da Rosa: um jubileu de prata em 1969

Reis dos bailes: Olindo Mandelli, Alcides Minghelli, Antonio Fedrizzi, Cirilo Bragagnolo e os irmãos Antonio e Francisco Castagnotto Dal Pos (atrás). À frente, Oderico Fedrizzi, Pedro Zacaron e Olimpio Mandelli Foto: Roni Rigon,a partir de foto de Julio Calegari / acervo de família,Divulgação

Clube Juvenil nos anos 1920

O acervo dos leitores Mirlene Dal Pos Rossi e Raul Rossi (filho de Avelino) também contempla diversas imagens dos primórdios do Clube Juvenil, fundado em 1905. Na imagem acima, mantida na moldura original da época, vemos os jovens Olindo Mandelli, Alcides Minghelli, Antonio Fedrizzi, Cirilo Bragagnolo, Antonio Castagnotto Dal Pos e Francisco Castagnotto Dal Pos (pai de dona Mirlene). Sentados estão Oderico Fedrizzi, Pedro Zacaron e Olimpio Mandelli. O registro, datado de 1928, foi feito no lendário estúdio de Julio Calegari.

Conforme um antigo depoimento de Alcides Minghelli (in memoriam) concedido a dona Mirlene, em meados da década de 1920 o grupo era sempre convidado para iniciar os bailes promovidos pela agremiação.

- Nenhuma moça ficava sem dançar - recorda Mirlene.

 Abaixo, parte desse mesmo grupo à época em que integrava o grupo carnavalesco Bloco dos Toureiros, também do Juvenil, na década de 1920. Na foto estão, a partir da esquerda, Pedro Zacaron, Antonio Castagnotto Dal Pos, Antonio Fedrizzi, Alcides Minghelli, Italo Goron, Cirilo Bragagnollo, Flech e Oderico Fedrizzi.

Leia mais:
Clube Juvenil: 110 anos depois
Um passeio pelos salões do Clube Juvenil
Martha Rocha, o furacão loiro visita Caxias em 1955
Escolha da rainha do Clube Juvenil em 1959

O Bloco dos Toureiros: Pedro Zacaron, Antonio Castagnotto Dal Pos, Antonio Fedrizzi, Alcides Minghelli, Italo Goron, Cirilo Bragagnollo, Flech e Oderico Fedrizzi Foto: Julio Calegari / acervo de família,Divulgação

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória

- contentFrom:cms -->
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros