Casamento de Reno Mancuso em 1941 - Cidades - Pioneiro

Memória14/11/2016 | 06h42Atualizada em 14/11/2016 | 06h42

Casamento de Reno Mancuso em 1941

Fotógrafo, que assumiu o laboratório do pai, Domingos Mancuso, em 1937, uniu-se a Talitha Conceição Prates, com quem teve seis filhos 

Casamento de Reno Mancuso em 1941 Acervo de Renan Carlos Mancuso/divulgação
A cerimônia religiosa em 1º de fevereiro de 1941, na Catedral Diocesana Foto: Acervo de Renan Carlos Mancuso / divulgação

Um dos perfilados do livro O Instante e o Tempo, lançado recentemente pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, o fotógrafo Reno Mancuso deu sequência ao ofício que também marcou a trajetória profissional do pai, o italiano Domingos Mancuso (1885-1942).

Se Domingos registrou a cidade e a região nos primórdios do século 20, principalmente a época da chegada do trem, em 1910, Reno tratou de eternizar Caxias a partir de 1937, quando assumiu o estúdio – localizado na Rua Sinimbu, entre a Visconde de Pelotas e a Dr. Montaury, nas imediações da Galeria Fonini.

Era o período em que a cidade começava a se modernizar, recebendo calçamento nas ruas centrais, casas de alvenaria, um crescente número de estabelecimentos comerciais e os primeiros prédios residenciais.

Leia mais:
Caxias pelas lentes do fotógrafo Reno Mancuso
Mauro De Blanco e o Inferno de Dante em 1952
Para recordar do Studio Geremia
Studio Tomazoni e a inauguração do Monumento ao Imigrante em 1954
Memória: uma cidade, múltiplos olhares

A festa de casamento: Reno e Talitha com a família. À esquerda, os pais Domingos Mancuso e Cecília Fonini Mancuso. Sentada, à esquerda, a avó materna de Reno, a baronesa Alexandrina Catherina Von Schlabbrendorff Fonini Foto: Acervo de Renan Carlos Mancuso / divulgação

Perda de visão

Atuando inicialmente como retocador e auxiliar do pai, Reno tomou a linha de frente do atelier Mancuso Caxias após Domingos perder parte da visão, em decorrência do contato com os produtos químicos do laboratório. No início dos anos 1940, ele transferiu o estúdio para a Av. Júlio de Castilhos, ao lado do Clube Juvenil.

Por volta dessa época, o fotógrafo também aumentou a família. Nas imagens acima, dois momentos do casamento de Reno Mancuso com Talitha Conceição Prates, em 1º de fevereiro de 1941, na Catedral Diocesana. Dessa união nasceram seis filhos: Domingos (nome do avô italiano), Sérgio, Reno Filho, Maricilia, Maria Helena e Renan.

Studio Geremia: parceiro da coluna Memória

Reno Mancuso e Talitha Conceição Prates em 1942 Foto: Acervo pessoal de Renan Carlos Mancuso / divulgação

Em frente ao atelier

Abaixo, a família defronte ao atelier Foto Mancuso, localizado ao lado do Juvenil, por volta de 1948. A partir da esquerda estão Reno Mancuso, a irmã Carmela (com a sobrinha Maricilia, filha de Reno) e os irmãos Cyro, Caetano, Rubi e Clemente (com a cuia), que também atuava como fotógrafo em Vacaria.

Posteriormente, o estúdio foi transferido para a Avenida Júlio, esquina com a Rua Garibaldi. 

Leia mais:
Bomboniére Maratá na Av. Júlio de Castilhos em 1943
Os antigos quiosques da Praça Dante Alighieri
Armazém de Antonio Boz nos anos 1940
Casarão de Germano Parolini na Av. Júlio
Varejo do Eberle: um clássico do Centro

Na Júlio em 1948: Reno Mancuso e os irmãos Carmela (com a sobrinha Maricilia), Cyro, Caetano, Rubi e Clemente.  Foto: Acervo de Renan Carlos Mancuso / divulgação

Evolução

Em 1947, Reno Mancuso percorreu os mesmos locais registrados pelo pai, Domingos Mancuso, capturando diversas imagens comparativas da evolução da cidade. Elas podem ser conferidas no blog caxiaspormancuso.blogspot.com.

Leia mais:
Domingos e Reno Mancuso: as antigas agências bancárias de Caxias
Banco da Província do Rio Grande do Sul na Avenida Júlio
Ferragem Caxiense em 1947

Em 1948: os meninos Domingos, Reno e Sergio (filhos de Reno Mancuso), a cunhada Ida (de saia xadrez), Talitha Conceição Prates (esposa de Reno) e Cyro Mancuso (irmão de Reno), com a sobrinha Maricilia Foto: Reno Mancuso / Acervo pessoal de Renan Carlos Mancuso,divulgação

Outras funções

Um dos sete filhos do fotógrafo Domingos Mancuso, Reno Mancuso nasceu em 11 de novembro de 1919. Após trabalhar também na Óptica Caxiense, nos anos 1950, e atuar brevemente como fotógrafo da Polícia Civil, ele abandonou o ofício em 1961, quando ingressou no serviço público estadual, na coletoria de impostos.

Reno Mancuso faleceu em 1974, aos 55 anos.

Reno Mancuso e seu irmão Cyro Mancuso por volta de 1937, no atelier Foto Mancuso Caxias. Imagem foi uma das últimas feitas por Domingos Mancuso.  Foto: Domingos Mancuso,acervo pessoal de Renan Carlos Mancuso / divulgação

Parceria

Informações desta coluna são uma colaboração de Renan Carlos Mancuso e do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami. 

Arquivo Histórico Municipal: um casarão para a história

Confira outras publicações da coluna Memória


Acesse conteúdos antigos do blog Memória

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros