Balada Segura completa cinco anos e mortes no trânsito diminuem em Caxias - Cidades - Pioneiro

Fiscalização17/11/2016 | 19h14Atualizada em 17/11/2016 | 19h14

Balada Segura completa cinco anos e mortes no trânsito diminuem em Caxias

Operação já flagrou 5.402 motoristas embriagados, entre quem fez teste do bafômetro ou se recusou a soprar no aparelho

Balada Segura completa cinco anos e mortes no trânsito diminuem em Caxias Alexandre Bortoluz/Divulgação
Em 2011 foram 61 mortes e 2015 fechou com 48, o que significa 13 casos ou 21% a menos Foto: Alexandre Bortoluz / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

 A força-tarefa Balada Segura completa cinco anos nesta quinta-feira e comemora um ótimo resultado: o número de mortes no trânsito em Caxias do Sul têm caído ano a ano, segundo informações da Secretaria de Transportes. Em 2011 foram 61 mortes e 2015 fechou com 48, o que significa 13 casos ou 21% a menos. Em 2016, a o índice é de 33 óbitos (até esta quinta-feira à tarde). Na comparação com 2011, quando ocorriam em média cinco mortes por mês, 2016 registra cerca de três a cada 30 dias.

Leia mais:
Abertura do Natal Brilha Caxias é transferida para domingo
Prefeitura assina acordo para regularização de loteamentos em áreas carentes de Caxias
Guarda Municipal reforça segurança na Praça Dante Alighieri, em Caxias do Sul

A ação que visa a combater a imprudência também registra outro índice alto: foram 5.402 motoristas flagrados embriagados, número que inclui os que fizeram teste do bafômetro ou se recusaram a soprar no aparelho (o que também configura crime). Esse número corresponde a uma média de mais de 1 mil casos por ano.

Embora muitos motoristas ainda desafiem o perigo e ao dirigir depois de ingerir bebida alcoólica, o diretor de Trânsito da Secretaria de Transportes, Érico Oliveira, acredita que os números indicam um princípio de mudança de comportamento.

— Esses primeiros sintomas são um embrião para que se tenha consciência de que beber e dirigir não combina. há muitas opções para não beber e dirigir — aponta.

Apesar do esforço conjunto de diversos órgãos, a manutenção das blitze há anos enfrenta um desafio: com a troca de informações em grupos de Whats App e redes sociais, é grande o número de condutores que driblam a fiscalização e dirigem alcoolizados. Quando possível, os fiscais têm mudado os locais de abordagem na mesma operação.

— Sim, é um desserviço, mas ainda não existe nada que proíba as pessoas de fazerem isso (trocarem informações). Enquanto não houver essa mudança, os primeiros vão ser surpreendidos e os demais acabarão sendo avisados. A nossa intenção é mudar o comportamento — salienta.

A ação é uma parceria da Fiscalização de Trânsito e Transportes, Detran-RS, Guarda Municipal, Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Estadual e Polícia Rodoviária Federal.

Por meio da assessoria de imprensa, o prefeito eleito Daniel Guerra (PRB), diz que as operações serão mantidas e que serão avaliadas para saber se há necessidade de ampliá-las e fortalecê-las.

Números
:: 5.402 motoristas embriagados
z 75.506 veículos abordados e 5.131 recolhidos
z 1.601 carteiras nacionais de habilitação (CNHs) e 6.478 CRLVs (documentos do veículo) recolhidos
z 3.463 pessoas dirigindo sem habilitação, com carteira suspensa, vencida ou ainda com categoria diferente

Mortes
2011: 61
2012: 57
2013: 54
2014: 52
2015: 48
2016: 33 (até esta quinta-feira à tarde)


 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros