Audiência pública debate atraso na entrega de correspondências, em Caxias - Cidades - Pioneiro

Transtornos28/11/2016 | 10h10Atualizada em 28/11/2016 | 10h10

Audiência pública debate atraso na entrega de correspondências, em Caxias

O encontro, na Câmara, também debaterá a sobrecarga de trabalho de carteiros

Audiência pública debate atraso na entrega de correspondências, em Caxias Jessé Giotti/Agencia RBS
Foto: Jessé Giotti / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Se você está recebendo as contas a pagar via Correios bem depois da data de vencimento saiba que não está sozinho. O problema estaria ocorrendo em toda a cidade e será levantado novamente em uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, na noite desta segunda-feira. Além dos rotineiros atrasos das correspondências, o encontro debaterá a sobrecarga de trabalho de carteiros.

Segundo o presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano, Transporte e Habitação, vereador Edson da Rosa (PMDB), todos os bairros da cidade têm sofrido com a demora. O problema ocorre tanto com faturas bancárias quanto com correspondências em geral. 

Conforme o parlamentar Neri, o Carteiro (SD), que também integra a comissão, o déficit de trabalhadores é o principal problema no atraso no município. Ele aponta que o último concurso público para os profissionais foi realizado em 2011 e, desde lá, a demanda aumenta dia a dia, ainda mais com a criação de novos loteamentos e a nomeação de novas ruas. 

Leia mais
Moradores do Cruzeiro, em Caxias, pedem a instalação de sinaleira em esquina perigosa
Abstenção é de 11,1% no vestibular de verão da UCS
Mulheres ainda morrem por medo em Caxias do Sul


Em uma sessão ordinária em março, na Câmara de Vereadores, Neri relatou que, à época, contabilizava-se pouco mais de 200 carteiros ativos desde 2015, em Caxias do Sul. Ele ainda ressaltou que o ideal seria, pelo menos, o dobro. 

— Cresce o número de loteamentos, mas diminui o número de carteiros, porque muitos acabam se aposentando; outros, até pela sobrecarga de trabalho, acabam entrando no INSS — justifica o parlamentar. 

O vereador também alega que, diante da falta de trabalhadores, alguns carteiros percorrem mais de um bairro, o que também gera atrasos nas correspondências:

— Pelo certo, cada carteiro teria que fazer uma região, que no Correio é chamado de distrito.  Mas, hoje, não é isso que acontece. Eles acabam indo em mais de uma região na semana, e atrasam as entregas no seu próprio bairro — explica Neri.

O encontro servirá também para esclarecer alguns detalhes do processo da entrega das cartas como, por exemplo, a importância de usar corretamente o CEP nas correspondências. 

Toda a comunidade pode participar da reunião. Representantes dos Correios e do Ministério Público (MP) também estão convidados. A audiência começa às 19h na sala das comissões da Câmara.


 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros