Aprovação de lei para reaproveitar alimentos vai a votação em Caxias  - Cidades - Pioneiro

Projeto de lei23/11/2016 | 13h14Atualizada em 23/11/2016 | 13h14

Aprovação de lei para reaproveitar alimentos vai a votação em Caxias 

Projeto pretende dar mais segurança para ampliar distribuição a entidades carentes e chegar a 2 mil refeições por dia 

Aprovação de lei para reaproveitar alimentos vai a votação em Caxias  Jonas Ramos/Agencia RBS
Foto: Jonas Ramos / Agencia RBS

Está na pauta de votação da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul o projeto de lei 119/2016, que regulamenta a doação de sobras de alimentos de cozinhas industriais e outros estabelecimentos do gênero. Na prática, o Banco de Alimentos de Caxias do Sul coordena o projeto Prato Solidário, que reaproveita o excedente de refeições em empresas, há três anos. O projeto do executivo busca dar mais segurança para as doações. As informações são da Gaúcha Serra.

Leia mais
Cartinhas para o Papai Noel estão disponíveis nos Correios de Caxias
Diplomação dos eleitos para prefeitura e Câmara será no dia 19, em Caxias
Licitação para serviços funerários abre espaço para fim do monopólio em Caxias
Arborização urbana de Caxias: resultados mostram 463 mil árvores, mas pouca biodiversidade

Atualmente, são servidas 540 refeições por dia em nove entidades beneficentes, graças ao apoio de cinco empresas: Marcopolo, Randon, Perfilline, Matripolo e Sica. São beneficiados moradores de rua, recicladores e entidades dos bairros Jardelino Ramos, São José, Monte Carmelo, Santa Fé, além de associações do Murialdo, São Carlos e o projeto Mão Amiga.

Assis Borges, coordenador do Banco de Alimentos, diz que há empresas esperando a aprovação da lei para se unir ao projeto, caso da Agrale.

— Hoje são colocadas cerca de quatro toneladas de alimentos fora, todos os dias. Nós teríamos mais empresas participando, que hoje tem medo de sofrer penalidades. Podemos chegar a 2 mil refeições em Caxias do Sul — projeta Borges.

O Banco de Refeições Coletivas já serviu 238 mil refeições desde quando foi implantado. De acordo com o relador do projeto, o vereador Zoraido Silva, se for aprovada, a lei precisa da sanção do prefeito para entrar em vigor. Ela não precisará de regulamentação, porque já tem esta validade.

Porto Alegre tem lei semelhante, mas que ainda aguarda regulamentação.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros