Doença que pode ter vitimado Fabiane Niclotti se manifesta através de alterações no comportamento, diz psicóloga  - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Luto29/06/2016 | 16h03Atualizada em 30/06/2016 | 15h18

Doença que pode ter vitimado Fabiane Niclotti se manifesta através de alterações no comportamento, diz psicóloga 

Crise depressiva pode ter sido a causa da morte de ex-miss Brasil, moradora de Gramado

Doença que pode ter vitimado Fabiane Niclotti se manifesta através de alterações no comportamento, diz psicóloga  Jefferson Botega/Agencia RBS
Corpo de Fabiane Niclotti foi encontrado por um irmão na casa onde a modelo morava em Gramado Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS

Para quem suspeita de que alguém próximo possa estar com depressão, mesmo que essa pessoa possa não deixar os sinais transparecer no dia a dia, há maneiras de identificar possíveis indícios da doença que pode ter levado à morte da ex-miss Brasil Fabiane Niclotti, moradora de Gramado. É o que explica a psicóloga caxiense Luciana Mancio Balico. Em depoimento à Polícia Civil, o irmão da jovem disse que ela apresentava sintomas depressivos nos últimos meses. 

Leia mais:
"Perdemos uma menina espetacular", diz prefeito de Gramado
"Em nenhum momento ela se mostrava ansiosa ou depressiva", afirma missólogo da Miss Brasil 2004 
Morre, em Porto Alegre, a mãe do ex-governador Germano Rigotto
Morre, em Caxias do Sul, o empresário Vanderlei Bucco 

_ É preciso estar atento ao comportamento dessa pessoa. Se ela era parceira para sair e daqui a pouco deixou de ser, se houve alteração no apetite, no humor ou no sono. Em crianças, é comum a depressão se manifestar pela raiva. Em adultos, essas alterações de comportamento servem de indícios suficientes para que a pessoa procure ajuda. Como qualquer doença, quantos antes ser identificado, melhor _ explica. 

Luciana alerta que a depressão, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, afeta 15 em cada 100 pessoas  no mundo. Por se tratar de uma doença que atinge o funcionamento cerebral, é fundamental que seja tratada com psicofármacos. E ninguém está livre da possibilidade de desenvolver o quadro. 

_ Não é uma doença que escolha classe social ou profissão. Normalmente, há indicadores genéticos. Onde há pensamento negativista, é melhor não ficar na dúvida e procurar um psicólogo, ou, se não tiver dinheiro, pelo menos procurar conversar com amigos sobre o que sente _ exemplifica.

Sobre o fato de Fabiane Niclotti ser uma miss, Luciana acredita que o fato de ser uma pessoa pública possa ter contribuído para que ela tenha tentado passar uma imagem positiva, mesmo sofrendo internamente. Havia expectativas da sociedade quanto a ela, afinal, que não estavam de acordo com o que ela sentia. Mas Luciana não considera que essa particularidade torne uma pessoa mais propensa à depressão:

_ Normalmente, o pensamento depressivo se desenvolve em torno da tríade meu futuro/os outros/eu. Mas isso pode acometer qualquer um na realidade que experimenta, independente do contexto em que esteja inserida.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros